Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANIELA MOURA PARENTE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELA MOURA PARENTE
DATA: 22/12/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Hospital de Doenças Infecciosas Natan Portella
TÍTULO:

Reação em cadeia de polimerase quantitativa para estimativa da quantidade de Leishmania infantum e infectividade da saliva de pacientes com calazar e infeção pelo HIV


PALAVRAS-CHAVES:

Leishmaniose visceral. HIV. Transmissão. Real time PCR. Saliva. Diagnóstico. Biotecnologia


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

A leishmaniose visceral (LV), ou calazar, é uma protozoose de evolução lenta, grave, potencialmente fatal para o homem quando não tratada, cuja letalidade gira em torno de 10%, mesmo quando se institui o tratamento adequado. O surgimento da pandemia de HIV/AIDS no último quarto de século modificou substancialmente o espectro clínico e epidemiológico da leishmaniose visceral (LV). O diagnóstico é feito através de testes parasitológicos, moleculares ou sorológicos. Métodos para o diagnóstico não invasivo podem acelerar o diagnóstico e reduzir a letalidade. OBJETIVOS: Investigar a utilização da reação em cadeia de polimerase quantitativa para estimativa da quantidade de Leishmania infantum e infectividade da saliva de pacientes com calazar e infeção pelo HIV.   MÉTODOS: Estudo transversal que avaliou 64 pacientes distribuídos em três populações selecionadas, constituídas por (1) indivíduos assintomáticos que fazem o teste para HIV que apresentem sorologia reagente para L. infantum com e sem HIV; (2) indivíduos sintomáticos com LV com e sem HIV; (3) indivíduos que residem na mesma moradia de pessoas e pacientes com infecção por L. chagasi/HIV. Foi comparada as proporções de pessoas com infecção por L. chagasi entre os grupos domésticos de pessoas com L. chagasi/HIV e sem HIV utilizando para essa análise a  real time PCR. RESULTADOS: Não houve associação estatística significativaentre ter pelo menos um coabitante infectado e as variáveis sexo, CD4, Carga viral, Idade, qPCR saliva e qPCR sangue, mas houve associação estatística entre ter pelo menos um coabitante infectado e carga viral. Podemos observar na análise multivariada que a chance de um paciente com carga viral maior que 50 cópias virais∕mm³ é 0,9734 vezes maior em relação aos pacientes com carga viral menor que 50 cópias virais∕mm³, assim como de ter uma maior carga parasitária na saliva. Também foi possível observar a eficiência do uso da saliva como meio de diagnóstico da LV e na quantificação dos parasitas. Os paciententes com LV∕HIV se demonstraram comuma elevada parasitemia em relação àqueles que possuíam a LV sem HIV. A maior presença da L.infantum no sangue e na saliva foi observada em pacientes do sexo masculinos e com idade mediana de 41 anos.  CONCLUSÕES: Os resultados foram tímidos na demostração da correlação da transmissão do parasita com sua presença na salivamas foram importantes  nacomprovação da importância da influência do HIV nessa dinâmica, talvez pelo reduzido número de indivíduos pesquisados. Mas a pesquisa foi importante no esclarecimento de novas possibilidades de transmissão da Leishmania e sua relação com o HIV, bem como na demostração da eficiência do uso saliva no diagnóstico molecular de LV.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 130.036.743-15 - ANA AMELIA DE CARVALHO MELO CAVALCANTE - UFPI
Externo à Instituição - FABRICIO IBIAPINA TAPETY - UNINOVAFAPI
Externo ao Programa - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 17/12/2014 17:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 04:14