Notícias

Banca de DEFESA: IANETE LIMA BATISTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IANETE LIMA BATISTA
DATA: 30/08/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de aula no Prédio da Pós-graduação do CPCE
TÍTULO: Comportamento ingestivo, parâmetros fisiológicos, hematológicos, bioquímicos e ruminais em cabras alimentadas com dietas contendo vagem da faveira (Parkia platycephala Benth)
PALAVRAS-CHAVES: alimentos alternativos, fluido ruminal, mastigação merícica, taxa de sudação
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Nutrição e Alimentação Animal
ESPECIALIDADE: Avaliação de Alimentos para Animais
RESUMO:

Objetivou-se neste trabalho avaliar os efeitos da substituição do milho pela faveira (Parkia platycephala Benth) sobre o comportamento ingestivo, variáveis fisiológicas, hematológicas, bioquímicas e os aspectos físico-químicos e microbiológicos do fluido ruminal de cabras em lactação. Foram utilizadas oito cabras Anglo-Nubianas, multíparas, com peso corporal médio de 44,5 ± 6,3 kg e, aproximadamente, quatro anos de idade, estando aos 50 dias de lactação, recebendo quatro dietas contendo 0%, 33%, 67% e 100% de faveira (%MS e clinicamente saudáveis. O experimento durou cerca de 80 dias, dividido em 4 períodos de 20 dias, sendo 15 dias para adaptação e 5 dias para coleta de dados. Distribuídas aleatoriamente em quadrado latino duplo 4 × 4 simultâneo. A avaliação do comportamento ingestivo ocorreu no 19º e 20º dia experimental, sendo registrado o tempo despendido em alimentação, ruminação e ócio. Foram verificadas observações por três períodos, das 10 ás 12h, 14 ás 16h e 18 ás 20h, determinando-se o número de mastigações merícicas, bolo ruminal e o tempo gasto para ruminação de cada bolo. Para aferir as frequências respiratórias e cardíacas, utilizou-se um estetoscópio, e para a temperatura retal um termômetro clínico digital. Foram registradas as variáveis ambientais temperatura ambiente, umidade relativa e temperatura de globo negro com auxílio de termo higrômetro. A avaliação dos parâmetros hematológicos e bioquímicos ocorreu no 16º, 18º e 20º dia experimental, pela manhã antes dos animais serem alimentados. As amostras de fluido ruminal para avaliação das características físico-químicos e microbiológicos, foram realizadas por meio de sondagem orofágica. Os dados foram testados para efeitos linear e quadrático e aplicado teste de média Tukey, sendo estes significativos quando o P≤0,05. Para números por período e tempo despendido em ruminação, apresentou efeito quadrático decrescente (P=0,11). Com a inclusão da faveira apresentou também efeito linear decrescente para mastigações merícicas: número de mastigações por dia (P=0,05) e número de mastigações por minuto (P=0,05). Para a concentração de hemoglobina corpuscular média houve efeito quadrático crescente (P=0,005). No metabolismo mineral o cálcio obteve um efeito linear crescente (P<0,05). Para densidade dos protozoários, foi constatado significância (P<0,05), com (P=0,02). Os aspectos bioquímicos do fluido ruminal, apresentou efeito significativo efeito linear crescente (P= 0,003) para reação em azul de metileno. Conclui-se que a inclusão da faveira na dieta pode substituir o milho em 100%, uma vez que não foram alteradas ás variáveis comportamento ingestivo, parâmetros fisiológicos, hematológicos, bioquímicos, físico-químicos e microbiológicos do fluido ruminal dos animais.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 619.829.204-59 - CARLO ALDROVANDI TORREAO MARQUES - UFS
Interno - 1656396 - LEILSON ROCHA BEZERRA
Interno - 1712960 - MARCOS JACOME DE ARAUJO
Externo à Instituição - LÍGIA MARIA GOMES BARRETO - UFS
Notícia cadastrada em: 21/08/2017 17:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 06:37