Notícias

Banca de DEFESA: ARLON FACYNEK DE OLIVEIRA CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ARLON FACYNEK DE OLIVEIRA CARVALHO
DATA: 30/07/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Museu de Arqueologia da UFPI
TÍTULO:

 

Sítio Covão do Jaburu: registro de um patrimônio arqueológico e da memória popular


PALAVRAS-CHAVES:

Covão do Jaburu, Lugar de memória, Salvamento arqueológico, Gestalt.


PÁGINAS: 109
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Arqueologia
RESUMO:

A pesquisa a que se refere o texto dissertativo ora apresentado tem como objeto de estudo o sítio arqueológico Covão do Jaburu. Além de possuir um rico acervo de gravuras na estrutura rochosa que lhe serve de suporte, o sítio em questão foi escolhido para estudo por encontrar-se em área prevista para ser impactada pela construção de uma barragem no Rio Poti, do qual o Riacho do Covão é afluente, fato que torna ainda mais urgente a documentação e o estudo das gravuras, e justifica a ação a que se denominou de “resgate da memória”.Pretendeu-se, com a pesquisa, mostrar a alta relevância do sítio e propor o “salvamento” das gravuras, destacando-o como “lugar de memória”, justificando assim a necessidade de sua preservação para as comunidades próximas e sociedades do presente e do futuro. Por que “preservar” este sítio, especificamente? Para responder a essa questão três hipóteses, que servem também como justificativas, são apresentadas: deve-se documentar o sítio, pois a iminência da perda requer atitudes urgentes; o sítio corresponde a um lugar de memória de populações pretéritas, portanto é referência do passado; é igualmente um componente da memória coletiva das populações atuais. Retomando o trabalho iniciado naGraduação,voltamos-nos agora, em termos de metodologia, para uma arqueologia mais social e mais preocupada com as comunidades atuais, sendo que todo o trabalho desenvolvido foi pensado no sentido de auxiliá-las no reconhecimento de suas relações com o lugar, assim comona socializaçãodo sítio.As considerações sobre o processo investigativo envolvendo entrevistas com indivíduos das comunidades atuais e o emprego da Gestaltcomo auxiliar nas análisesrevelamque o sítio é tão importante para as populações atuais quanto deve ter sido para as populações autoras das gravuras, e que o elemento mais destacado é a água, mais especificamente o olho d’água, fonte perene e ao mesmo tempo elemento simbólico, evocativo de acontecimentos.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423455 - SONIA MARIA CAMPELO MAGALHAES
Interno - 2266305 - ANA LUISA MENESES LAGE DO NASCIMENTO
Interno - 1520279 - FRANCISCA VERONICA CAVALCANTE
Interno - 2297796 - GREGOIRE ANDRE HENRI MARIE GHISLAIN VAN HAVRE
Interno - 1656914 - LUIS CARLOS DUARTE CAVALCANTE
Externo à Instituição - SUELY GLEYDE AMÂNCIO MARTINELLI - UFS
Notícia cadastrada em: 19/07/2016 17:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 17:35