Notícias

Banca de DEFESA: JESSICA GADELHA MORAIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JESSICA GADELHA MORAIS
DATA: 27/07/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Museu de Arqueologia e Paleontologia
TÍTULO:

AQUI JAZEM MUITAS HISTÓRIAS: UM ESTUDO ARQUEOLÓGICO DO ACERVO HISTÓRICO DO CEMITÉRIO SANTO ANTÔNIO EM CAMPO MAIOR-PIAUÍ (1804-1978)


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Cemitério. Patrimônio fúnebre. Campo Maior – Piauí.


PÁGINAS: 217
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Arqueologia
SUBÁREA: Arqueologia Histórica
RESUMO:

 

O cemitério abriga elementos materiais e imateriais das manifestações do homem diante dos
mais diversos assuntos e, portanto, não deve ser visto simplesmente como o espaço destinado
ao sepultamento do corpo sem vida, mas como uma potencial fonte de informação da
sociedade na qual está inserido. Partindo dessa premissa o questionamento que norteia a
presente pesquisa é de que forma o cemitério Santo Antônio, através de sua arquitetura
fúnebre e dos seus artefatos, pode informar sobre como viviam as sociedades do passado. Ele
está localizado a 86 km da capital Teresina, no município de Campo Maior - Piauí, e o último
enterramento nele realizado data de 1978. A escolha desse lugar é atribuída ao fato de ter sido
provavelmente a primeira necrópole da cidade. O objetivo da dissertação é investigá-lo
destacando o potencial contido em seu acervo como instrumento para tecer reflexões sobre o
patrimônio funerário piauiense. A investigação é feita através de descrição e análise
interpretativa de seus artefatos e enxoval funerário cuja ênfase é dada as lápides sepulcrais em
virtude da variedade de informações que agregam. Nelas existem elementos iconográficos
(desenhos, gravuras, signos etc.) e elementos gráficos (o texto escrito) que revelam ou
ocultam a história dos mortos para os vivos, ou seja, permitem identificar possíveis mudanças
da representação da morte e também podem ser considerados como documentos (fontes de
informações) que possibilitam diferentes análises sobre a comunidade a qual pertencem. O
percurso metodológico partiu de: pesquisa in loco, com o levantamento de dados por unidade
de sepulturas através de elaboração e preenchimento de fichas técnicas, cujo trabalho de
inventários realizados por Castro (2014) foi de crucial importância; pesquisa documental, com
consulta dos Livros de Tombo da Freguesia de Campo Maior N°1 e 2, de batismo, de
casamento, e de registro de óbitos; e pesquisa bibliográfica, consistindo no levantamento de
publicações sobre estudos cemiteriais, pela abordagem de distintos campos do saber
(Patrimônio, História, Arqueologia histórica, Artes plásticas), incluindo o levantamento da
produção local sobre o cemitério Santo Antônio. As atitudes e representações da morte, por
serem temas afins, também foram contempladas. Entre os autores que se destacam por tais
publicações estão Reis (1991); Lima (1994); Borges (2002b) e Grassi (2014), entre outros
apresentados no decorrer do texto. Os estudos sobre o tema possibilitaram evidenciar aspectos
singulares desse espaço funerário em meio a uma história plural (como o seu período de
implantação, iconografias peculiares), além de múltiplas histórias, expressas ou silenciadas.
Palavras-chave: Cemitério. Patrimônio fúnebre. Campo Maior - Piauí.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2153338 - MARIA DO AMPARO ALVES DE CARVALHO
Interno - 1520279 - FRANCISCA VERONICA CAVALCANTE
Externo ao Programa - 423686 - AUREA DA PAZ PINHEIRO
Externo à Instituição - TANIA ANDRADE LIMA - UFRJ
Notícia cadastrada em: 19/07/2016 17:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 16:41