Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIO DE PADUA ROCHA NOBREGA NETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO DE PADUA ROCHA NOBREGA NETO
DATA: 23/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Campus Ministro Reis Velloso, Universidade Federal do Piauí.
TÍTULO: EFEITOS DA BROMELAÍNA (derivada do Ananas comosus) EM PELE E MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO APÓS INJÚRIA EXPERIMENTAL NA PATA DE RATAS
PALAVRAS-CHAVES: Produtos naturais; bromeliaceae; neutrófilos; inflamação; estresse oxidativo.
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A bromelaína (derivada do Ananas comosus - abacaxi) da família das proteases, conjunto de enzimas proteolíticas encontradas nos vegetais da família das Bromeliaceae, é conhecida por uma variedade de efeitos farmacológicos, apresentando propriedades fibrinolíticas, antitrombóticas e anti-inflamatórias. No entanto, de acordo com o nosso conhecimento, não há estudos sobre os efeitos da bromelaína extraida do caule do Ananas comosus em pele e músculo estriado esquelético tibial anterior (TA) em modelo de injúria por incisão experimental e concomitante análise histomorfometrica do gastrocnêmio homolateral em ratas. Então, objetivou-se avaliar os efeitos da bromelaína extraída do caule do Ananas comosus em pele e músculo estriado esquelético após modelo de injúria por incisão experimental na pata de ratas. O estudo foi conduzido com ratas (Wistar) separadas em três grupos: controle (n = 06), incisão (n = 04) e bromelaína (n = 05). A bromelaína foi administrada uma vez/dia, via i.p na dose 15 mg/kg durante 07 dias consecutivos. O potencial anti-inflamatório foi testado com atividade de mieloperoxidase (MPO) e análise macroscópica e histopatológica da pele. O potencial antioxidante foi testado com níveis de glutationa (GHS) e malondialdeído (MDA). Foi analisado histomorfometricamente o gastrocnêmio usando Software ImageJ (Image Processing and Analysis in Java) para medição de área e diâmetro de fibras, contagem de células, núcleos e núcleos/células. No grupo incisão os animais tiveram aumento da atividade de MPO, níveis de GHS reduzidos e MDA aumentado (p≤ 0,05) em pele e músculo TA, além de aumento na área das fibras do gastrocnêmio (p≤ 0,05). Contudo, a bromelaína conseguiu reverter esses achados (p≤ 0,05) e favoreceu o processo de cicatrização na pele. Em conclusão, nossos dados indicam que a bromelaína extraída do caule do Ananas comosus reduziu atividade de MPO e estresse oxidativo nos tecidos incisados. Além disso, favoreceu o processo de cicatrização na pele e reverteu o aumento na área das fibras do gastrocnêmio. Recomenda-se mais estudos com tempo superior para determinar a contribuição em diâmetros, contagem de células, núcleos e núcleos/células. Nosso modelo experimental é promissor e pode funcionar como um modelo inovador de avaliação de danos e reparo no músculo estriado esquelético, além disso, trouxe dados inéditos da bromelaína revertendo atividade de MPO e níveis de GSH e MDA. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Interno - 1979277 - KARINA OLIVEIRA DRUMOND
Interno - 1637767 - MARCELO DE CARVALHO FILGUEIRAS
Notícia cadastrada em: 10/03/2017 17:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 09:24