Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SILVENY MEIGA ALVES VIEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SILVENY MEIGA ALVES VIEIRA
DATA: 24/11/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Campus Ministro Reis Velloso, Parnaíba
TÍTULO: PREVALÊNCIA DO POLIMORFISMO - 819 C/T (rs1800871) DO GENE IL-10 EM POPULAÇÃO DO NORDESTE DO BRASIL COM INFECÇÃO PELO Dengue virus.
PALAVRAS-CHAVES: Citocina anti-inflamatória, Resposta Imune, Hospedeiro Humano, Dengue virus, Polimorfismo Genético.
PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A dengue caracteriza-se como a infecção arboviral de maior prevalência mundial. Esta arbovirose constitui uma grande ameaça à saúde pública em regiões tropicais e subtropicais, devido às condições climáticas propícias para o desenvolvimento do vetor transmissor do Dengue virus (DENV) - a fêmea de mosquitos do gênero Aedes, acarretando em sua progressiva taxa de morbimortalidade. A patologia é atualmente classificada com base nas manifestações clínicas: dengue sem sinais de alarme, dengue com sinais de alarme e dengue severa. A ampla gama das manifestações clínicas decorre da sua intrincada patogênese, em que fatores virais, ambientais e genéticos do hospedeiro encontram-se envolvidos no desenvolvimento da doença. Estudos genômicos de associação têm mostrado que Polimorfismos de Nucleotídeo Único (SNPs) em genes codificadores de moléculas envolvidas com a resposta imune do hospedeiro à infecção pelo DENV desempenham papel importante na orientação da patologia. A variante polimórfica -819 C/T (rs1800871) do gene IL-10 vem apresentando destaque nesse contexto, estando associada na literatura com a susceptibilidade genética ou proteção à dengue, e influência sobre a progressão da doença para suas formas mais graves. Considerando a heterogeneidade desses resultados, o presente estudo, do tipo caso-controle, objetiva investigar a prevalência da referida variante e a sua influência no desenvolvimento das formas clínicas em população atendida na cidade de Parnaíba – Piauí, no período de 2016 a 2018. Para esta avaliação, três grupos de indivíduos – grupo de pacientes com dengue, grupo assintomático e grupo controle negativo tem uma amostra de sangue coletada. O DNA genômico é extraído a partir do sangue total dos pacientes e quantificado em espectrofotômetro. A genotipagem do SNP será realizada por PCR em Tempo Real. Os resultados serão posteriormente analisados estatisticamente através do programa BioEstat 5.0, incluindo o teste de Qui-quadrado ou teste exato de Fisher, para verificar o equilíbrio de Hardy-Weinberg na distribuição das frequências genotípicas e alélicas, adotando p<0,05 como nível de significância. Até o momento foram coletadas 393 amostras de pacientes com sintomatologia sugestiva para dengue, sendo 96 destas positivas para a infecção pelo DENV, 123 de controles e 83 de assintomáticos. Com relação à classificação da doença, 72 pacientes apresentaram dengue sem sinais de alarme (DSSA) e 24 apresentaram dengue com sinais de alarme (DCSA). Os dados obtidos com esta pesquisa, juntamente com as evidências descritas na literatura, poderão elucidar os efeitos do SNP sobre a patogênese da dengue, esclarecendo mecanismos desconhecidos e cooperar com o desenvolvimento de uma imunoterapia eficaz para o controle da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Interno - 1551972 - FRANCE KEIKO NASCIMENTO YOSHIOKA
Interno - 2147346 - TATIANE CAROLINE DABOIT
Notícia cadastrada em: 01/11/2017 11:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 29/09/2022 09:05