Notícias

Banca de DEFESA: HIANNA RAYZA FERREIRA LOPES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HIANNA RAYZA FERREIRA LOPES
DATA: 30/05/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 752 - Mestrado em Ciências Biomédicas, Campus Ministro Reis Velloso - UFPI
TÍTULO: ESTUDO DO CONTROLE POSTURAL EM INDIVÍDUOS HEMIPARÉTICOS APÓS ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
PALAVRAS-CHAVES: Acidente vascular encefálico; hemiparesia; equilíbrio postural, oscilação corporal
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) causa um grande impacto na vida dos indivíduos e pode acarretar complexas deficiências. Dentre elas, há o comprometimento do sistema de controle postural, caracterizado como a principal causa de limitação e dependência funcional em indivíduos com AVE. O objetivo do estudo foi avaliar as oscilações posturais dos indivíduos hemiparéticos pós-AVE por meio dos parâmetros estabilométricos. A amostra foi composta por 35 indivíduos e distribuída em 18 sujeitos no Grupo AVE, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 30 anos e 17 indivíduos no Grupo Controle, de ambos os sexos, saudáveis e ativos. Após a classificação de cada grupo, o equilíbrio corporal foi avaliado por meio da plataforma de força (EMG System®e o softwareBIOMEC 400) em postura bipodal com olhos abertos - BEO (Bipodal eyes open)e olhos fechados - BEC (Bipodal eyes close) durante um período de 120 segundos. Os resultados revelaram um aumento significativo na oscilação postural dos indivíduos pós-AVE em relação ao grupo controle por meio das variáveis nos domínios do tempo, da frequência e das entropias em ambas as posturas. Na postura BEO, verificou-se significância na análise temporal (Área, p=0,0235;Amplitude médio-lateral, p=0,0049; Raiz quadrada média na direção médio-lateralp=0,0248) e na análise espectral somente na F80 (F80, p=0,0110). Na postura BEC, constatou-se significância na análise temporal (Área,p=0,0010; Amplitude médio-lateral, p=0,0005; Velocidade média na direção anteroposterior, p=0,0127; Velocidade média na direção médio-lateral, p=0,0096; Raiz quadrada média na direção médio-lateralp=0,0024)e na análise não-linear apresentou significância na entropia Aproximada direção médio-lateral (ApEn, p=0,0191) e entropia Cruzada (CrossEn, p=0,0100). Portanto, os indivíduos pós-AVE apresentaram alterações significativas na oscilação postural em relação aos sujeitos saudáveis em ambas as condições. O aumento da oscilação do COP demonstrado pelas medidas tradicionais caracterizou alterações nas variáveis de manutenção postural dos indivíduos pós-AVE. Porém, notou-se um achado relevante por meio da análise não-linear, no qual o aumento encontrado nos valores das entropias mostraram que os indivíduos pós-AVE não seguem um padrão de oscilação postural durante a manutenção da postura estática diferentemente dos indivíduos saudáveis. Destacando, com isto, a importância de um método mais eficiente para as avaliações instrumentadas de equilíbrio em pacientes pós-AVE a fim de contribuir para a obtenção de respostas mais rápidas as perturbações durante a manutenção da postura e melhora na qualidade de vida e no índice de quedas desta população.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1643216 - ALESSANDRA TANURI MAGALHAES
Presidente - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Interno - 1642909 - FUAD AHMAD HAZIME
Notícia cadastrada em: 19/05/2018 15:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 29/09/2022 07:39