Notícias

Banca de DEFESA: LUCAS ARRUDA MOITA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCAS ARRUDA MOITA
DATA: 08/07/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 752 - Sala do Mestrado em Ciências Biomédicas
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO PROTETOR DE PROTEÍNAS EXTRAÍDAS DO LÁTEX DE Plumeria pudica NA LESÃO GÁSTRICA INDUZIDA POR ETANOL EM CAMUNDONGOS
PALAVRAS-CHAVES: Proteínas laticíferas. Estresse Oxidativo. Úlcera Gástrica.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O látex é um fluido, geralmente de aspecto leitoso, que pode ser produzido em diversas plantas por meio de células especializadas denominadas de laticíferos. A ampla e rica composição química presente no látex vegetal, permite que moléculas extraídas deste fluido possuam capacidade em promover diversos efeitos biológicos em outros organismos. A espécie Plumeria pudicaé uma planta produtora de látex, cuja fração rica em proteínas extraída do látex exsudato (PLPp) já demonstrou possuir atividades anti-inflamatória, antinociceptiva, antidiarreica, protetora na colite ulcerativa, com melhores efeitos na dose de 40mg/kg, além de apresentar baixa toxicidade aguda e subcrônica. Levando em consideração o potencial biológico dessa fração, o presente trabalho tem como objetivo avaliar o efeito protetor ocasionado por PLPp em modelo experimental de lesão gástrica induzida por etanol em camundongos. Para obtenção da fração PLPp, o látex foi coletado em tubos com água destilada (1:1 v/v), fracionado por centrifugação e diálise, e por fim foi liofilizado. Para o modelo experimental, foram utilizados camundongos Swiss fêmeas, os quais foram distribuídos nos grupos: salina (SAL), etanol (ETA) e experimental (PLPp). Previamente as administrações, estes foram privados de sólidos (15h) e de líquidos (2h). Os animais dos grupos experimentais receberam PLPp, solubilizada em salina, na dose de 40mg/kg, via intraperitoneal (i.p.), 1h antes da administração do agente indutor da lesão. A indução ocorreu pela administração oral de 500µL de etanol a 50%, em todos os grupos, exceto no grupo SAL. Após 1h, ocorreu a eutanásia, retirada e coleta dos estômagos para as seguintes avaliações: área de lesão tecidual, histopatologia, quantificação dos níveis teciduais de malondialdeído (MDA), glutationa (GSH), superóxido dismutase (SOD), nitrito/nitrato (NO3/NO2). Um experimento independente foi realizado para avaliar ação de PLPp sobre a produção de muco gástrico. Os dados foram expressos em média ± E.P.M ou moda (mínimo e máximo), a diferença estatística entre os grupos foi determinada por ANOVA e Student-Newman-Keuls (dados paramétricos) ou por Kruskal-wallis e Dunns (dados não paramétricos), considerando significância p<0,05. Os dados obtidos demonstram uma redução significativa na média das áreas lesionadas no tecido gástrico dos grupos tratados com PLPp (0,73 ± 1,01mm²) em comparação ao grupo ETA (37,99 ± 3,11mm²), bem como houve preservação significativa na arquitetura tecidual, redução de infiltrado inflamatório tecidual, edema e hemorragia no grupo PLPp em relação ao ETA. PLPp também preservou os níveis teciduais de MDA, GSH, SOD e NO3/NO2, quando comparados aos valores de ETA. Em adição, PLPp demonstrou capacidade em influenciar a produção de muco gástrico quando comparado ao etanol (p<0,05). Deste modo, os dados deste estudo sugerem que a fração PLPp possui efeito protetor sobre a redução de lesões ocasionadas pelo etanol nos animais e que sua atividade protetora deva envolver ações sobre os sistemas endógenos antioxidantes e na produção de muco gástrico.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Presidente - 1789383 - JEFFERSON SOARES DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 913.964.335-20 - JOILSON RAMOS DE JESUS - IESVAP
Notícia cadastrada em: 25/06/2019 07:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 11:10