Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANAIDE ROSA DE CARVALHO NASCIMENTO PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANAIDE ROSA DE CARVALHO NASCIMENTO PINHEIRO
DATA: 20/03/2021
HORA: 08:30
LOCAL: link
TÍTULO: : ANÁLISE DA FUNÇÃO SEXUAL DE PACIENTES COM INFECÇÃO POR PAPILOMAVIRUS HUMANO
PALAVRAS-CHAVES: Sexualidade. Papillomaviridae. Mulheres.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A infecção pelo papilomavírus humano (HPV) é uma das infecções sexualmente transmissíveis mais frequentes em todo o mundo. Afeta principalmente mulheres jovens e sexualmente ativa. Embora apenas a infecção genital por HPV não se apresente, a princípio, como uma ameaça a vida, é fator de grande relevância, uma vez que pode acarretar problemas emocionais, físicos e sociais para a mesma. OBJETIVO: Comparar a função sexual e a atitude em relação à sexualidade em mulheres diagnosticadas com infecção pelo HPV com controles saudáveis. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo do tipo transversal, observacional e analítico realizado no ambulatório da Unidade de Atendimento à Saúde da Mulher de um hospital de ensino universitário, no período de fevereiro a outubro de 2019. Foi analisada uma amostra de 101 pacientes, que foram divididas em 02 grupos: GRUPO 1- mulheres com diagnóstico de infecção por HPV (n=44); GRUPO 2- mulheres saudáveis (n=65). Os dados foram coletados, através de questionário autoaplicável, subdividido em duas partes: dados gerais (clínicos, sociodemográficos, econômicos e hábitos de vida) e Índice de Função Sexual- IFSF. A aplicação do formulário foi guiada por um procedimento operacional padrão (POP). Os dados foram submetidos a processo de digitação, utilizando-se planilhas do aplicativo Microsoft Excel e posteriormente exportados e analisados no software R versão 3.6.3. RESULTADOS: Observou-se que a maioria das participantes do estudo eram jovens, com média entre 29-34 anos de idade, com parceria fixa, ensino médio completo e que se autodeclaravam negras, provenientes principalmente da zona urbana de Teresina. Observou-se a existência de associação entre a percepção do relacionamento conjugal e a presença de disfunção sexual (p<0,001), mas que não houve associação estatisticamente significante entre os grupos e a presença de disfunção sexual (valor-p=0,112). Houve alterações em todos os domínios da resposta sexual feminina dos dois grupos, mas com diferença estatisticamente significante apenas para o domínio do orgasmo para as mulheres com infecção pelo HPV (p=0,002).  CONCLUSÃO: A chance de uma mulher portadora da infecção pelo HPV ter disfunção sexual não difere da chance de uma paciente sem a infeção. Sendo assim, o diagnóstico de HPV pode interferir negativamente na qualidade de vida sexual das mulheres, porém não é o único fator que pode influenciar


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Externo ao Programa - 1794482 - JUSSARA MARIA VALENTIM CAVALCANTE NUNES
Interno - 1167577 - LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
Interno - 1552078 - MARTA ALVES ROSAL
Notícia cadastrada em: 05/03/2021 17:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 25/07/2021 00:57