Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LIDIANE SARAIVA NUNES DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIDIANE SARAIVA NUNES DE SOUSA
DATA: 19/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/muw-tgmu-mma
TÍTULO: ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM FLORIANO-PI.
PALAVRAS-CHAVES: Cuidado Pré-Natal. Mortalidade Materna. Atenção Primária à Saúde.
PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

RESUMO: Introdução: Durante as consultas de pré-natal, estratificar o risco gestacional é fundamental pois contribui na condução mais adequada do acompanhamento pré-natal e consequentemente reduz a morbimortalidade materna e infantil por causas evitáveis.Objetivo: avaliar a realização da Estratificação de Risco Gestacional, realizada por médicoseenfermeiros por meio da utilização da Ficha 01 de Classificação de Risco Gestacional instituída pela SecretariaEstadualdeSaúde-PI,naAtençãoPrimáriadeFloriano-PI. Método:Trata-se deumapesquisa descritiva, analítica,documental,transversalequantitativa. Foi realizada mediante envio de questionário eletrônico online semi-estruturado, por meio da Plataforma online Lime Survey, aos Médicos e Enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família da Zona Urbana de Floriano-PI no ano de 2021. Foi feito coleta de dados nos prontuários referentes a Estratificação de Risco Gestacional prestada por tais profissionais, nas19 Unidades Básicas de Saúde. Os dados do questionário eletrônico e os dos prontuários foram analisados por meio do software SPSS (versão 22). Para analisar as respostas das questões abertas, foi utilizado o software IRAMUTEQ. Além disso, foi feito um teste de associação de quiquadrado entre a frequência informada pelas participantes de realização de estratificação do risco e a quantidade de prontuários com pelo menos uma estratificação realizada, além de uma ANOVA. Resultados: Participaram da pesquisa 27 profissionais, 77,78% do sexo feminino, casados ou em união estável (59,26%), com média de 41 anos, sendo 74,07% enfermeiras, especialistas (59,26%), com tempo médio de atuação na atenção básica de 12,81 anos; dos participantes, 51,85% indicaram realizar a estratificação de risco gestacional sempre. O instrumento mais utilizado para estratificar foi a Nota Técnica referente a Saúde da mulher na gestação, parto e puerpério (44,44%). Quanto a ficha 01 de classificação de risco gestacional, 29,63% indicaram utilizar, entre raramente e sempre. Quanto às participantes que utilizam a ficha 01, 50% nunca entregam uma cópia da ficha à usuária. Em relação as dificuldades na utilização da ficha 01, 58,82% indicaramnão possuir nenhuma dificuldade. A idade gestacional de início do Pré-Natal foi em média na 11,71 semana de gestação.Quanto a indicação do nível de risco, em 55,64% dos prontuários não havia a estratificação de risco informado, dos que haviam registro, 37,70% apontava para o alto risco.Conclusão: o principal instrumento utilizado para a estratificação foi o quadro de critérios para estratificar o risco gestacional presente na Nota Técnica referente à Saúde da Mulher na Gestação, Parto e Puerpério. Os dados do presente estudo demonstraram fragilidades na qualidade do atendimento pré-natal evidenciando a necessidade de organização dos fluxos asspelos profissionais responsáveis, para assim proporcionar um adequado cuidado pré-natal e melhorar os indicadores da saúde materno-fetal istenciais


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1167710 - MARIA DO CARMO DE CARVALHO E MARTINS
Presidente - 1552078 - MARTA ALVES ROSAL
Interno - 1560969 - ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 27/07/2022 09:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 05/12/2022 12:24