Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DAYRTON RAULINO MOREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAYRTON RAULINO MOREIRA
DATA: 28/07/2023
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório Hospital Universitário UFPI
TÍTULO: ANTICONCEPÇÃO EM MÃES DE PACIENTES PORTADORES DE DOENÇA FALCIFORME
PALAVRAS-CHAVES: Hemoglobinopatias; Saúde reprodutiva; Planejamento Familiar.
PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

Introdução: A Doença Falciforme (DF) é uma hemoglobinopatia hereditária resultante de uma mutação genética que leva à formação da hemoglobina anormal S (Hb S). Essa doença genética possui alta morbimortalidade, o que torna crucial o aconselhamento genético dos genitores. Um programa de anticoncepção é uma estratégia que pode ser utilizado nesse aconselhamento. Objetivo: Avaliar o planejamento familiar de mães de portadores de Doença Falciforme. Métodos: Realizou-se um estudo descritivo, observacional e transversal com 75 mães de pacientes de zero a 15 anos com DF, atendidos no ambulatório de Hematologia Pediátrica de um hospital de referência em Teresina, Piauí. Coletou-se os dados por meio de um formulário contendo questões sociodemográficas, dados clínicos sobre a doença falciforme e questões sobre saúde reprodutiva. Resultados: A idade média das entrevistadas foi de 33 anos, a maioria possuía Ensino Médio completo e eram donas de casa. Elas eram provenientes do interior do Piauí, viviam em união estável e seguiam a religião católica. A maioria dos pacientes falcêmicos possuía o genótipo SS, que é o mais grave e a maioria desses pacientes foram diagnosticadas por meio do teste do pezinho nos primeiros 12 meses de vida. No histórico de gestações dessas mães, a maioria tinha de 1 a 2 filhos, e a maioria delas 88% tinha apenas 1 filho afetado pela doença. Em relação aos métodos contraceptivos utilizados, 92% das mães utilizavam algum método, sendo o preservativo masculino o mais comum (89,3%), seguido pelo anticoncepcional oral combinado (ACO) (25,3%). Das mães que desejavam utilizar outro método contraceptivo, 67,7% tinham interesse em fazer a laqueadura cirúrgica. Conclusão: Existe uma preocupação das famílias de pacientes portadores de DF em evitar novas gestações devido ao risco de terem filhos afetados pela doença. No entanto, ainda há uma parcela significativa que utiliza métodos contraceptivos que podem apresentar falhas no uso, como o preservativo masculino. É extremamente importante apresentar adequadamente outras opções de métodos contraceptivos a essas famílias.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Externo à Instituição - MAYARA LADEIRA COÊLHO - UNIFACID
Externo ao Programa - 423669 - MONICA FORTES NAPOLEAO DO REGO
Notícia cadastrada em: 17/07/2023 10:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/07/2024 20:33