Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MICHELLY DA SILVA PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MICHELLY DA SILVA PINHEIRO
DATA: 11/05/2021
HORA: 15:00
LOCAL: ON-LINE
TÍTULO: AUTOAVALIAÇÃO DE SAÚDE NEGATIVA E FATORES ASSOCIADOS ÀS CONDIÇÕES DE SAÚDE DE IDOSOS
PALAVRAS-CHAVES: Idosos. Autoavaliação de saúde negativa. Condições de saúde. Hábito alimentar.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:
Introdução: A autoavaliação de saúde (AAS) consiste na percepção que os indivíduos possuem sobre sua própria saúde, demonstrando uma importante relação com o bem-estar geral. Nessa perspectiva, a Organização Mundial de Saúde recomenda a AAS como importante indicador de saúde, capaz de estimar e monitorar efeitos decorrentes do processo de envelhecimento. Objetivo: Investigar a associação entre a AAS negativa e fatores relacionados às condições de saúde em idosos no Piauí. Métodos: Estudo de natureza transversal, de base populacional, realizado com idosos (n=350), domiciliados nos municípios de Teresina e Picos – Piauí. Foram coletados dados sociodemográficos, econômicos, de hábitos alimentares, sobre condições de saúde e antropométricos. A AAS negativa foi considerada a partir da resposta ao questionamento: “Em geral, como o(a) senhor(a) avalia a sua saúde?”, que avaliaram sua saúde como Regular/Ruim/Muito ruim. Para verificar a associação entre a AAS negativa e as variáveis independentes, foi empregada a regressão de Poisson com variância robusta, expressa em Razão de Prevalência (RP). Considerou-se o nível de significância de 5% e Intervalos de Confiança de 95%. Resultados: A prevalência de AAS negativa foi de 60,3%, com maior prevalência no sexo feminino (RP=2,08; p=0,01) e nos idosos que apresentaram circunferência da cintura elevada (RP=1,81; p=0,03). O hábito de consumir de salada crua foi protetor para a AAS negativa em idosos (RP-0,41; p=0,03). Com relação à presença de morbidades, a AAS negativa associou-se significativamente com a hipertensão (RP=2,02), doenças cardiovasculares (RP=1,71) e hipercolesterolemia (RP=2,26). Além disso, a AAS negativa foi mais prevalente em idosos que utilizavam três ou mais medicamentos por dia (RP=2,34; p=0,04) e que utilizaram de serviços de emergência nos últimos 12 meses (RP=1,87; p=0,005). Considerações finais: De acordo com os dados do estudo a AAS negativa em idosos é mais prevalente no gênero feminino, naqueles com obesidade abdominal, que autorrelataram a presença de doenças crônicas, que utilizavam mais do que três medicamentos e que buscaram o serviço de saúde de urgência e emergência com maior frequência. Além disso, o estudo mostrou evidência do efeito protetor do hábito de consumir salada crua para a AAS negativa em idosos. Esses achados reforçam a importância de analisar os aspectos que estão envolvidos com a AAS negativa em idosos, como forma de subsidiar estratégias de saúde coletiva para a promoção da saúde nesse grupo etário. 
 

MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1888794 - JOSE WICTO PEREIRA BORGES
Presidente - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Interno - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Externo à Instituição - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ - UFPI
Notícia cadastrada em: 20/04/2021 18:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 01/10/2022 03:05