Dissertações/Teses

2022
Descrição
  • JULIO CÉSAR GALDINO DE SOUSA
  • PEDOMETRIA E MAPEAMENTO DE ESTOQUE DE CARBONO DO SOLO POR ESPECTROSCOPIA DE REFLECTÂNCIA DIFUSA EM MICROBACIA NO POLO DE DESERTIFICAÇÃO DE GILBUÉS, BRASIL
  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 31/Ago/2022
  • Mostrar Resumo
  • A compreensão do estoque de carbono no solo (EstC) é indispensável para promoção de ações de mitigação da degradação do solo. Assim, objetivou-se com esse trabalho testar a aplicação da espectroscopia de reflectância difusa (ERD) como atributo pedoindicador para o mapeamento de EstC e atributos do solo com ele relacionados, em área com diferentes níveis de degradação por erosão hídrica acelerada, em escala de microbacia, na região sul do estado do Piauí. O estudo foi realizado na Microbacia do Riacho Piripiri (MBRP), localizada no Polo de Desertificação de Gilbués na região sul do estado do Piauí. Foram coletadas 214 amostras compostas de solo na camada de 0 a 0,10 m de profundidade. Essas amostras foram divididas em grupo de modelagem [100 amostras (70 para calibração + 30 para validação externa)] e grupo de predição (114 amostras). As 214 amostras foram utilizadas para obtenção de espectros na região entre 1.000 e 2500 nm (NIR) utilizando um espectrômetro com transformada de Fourier. As análises de EstC, estoque de nitrogênio no solo (EstN), carbono orgânico do solo (COS), nitrogênio total do solo (NT), Areia, Silte, Argila, densidade do solo (Ds) e pH foram realizadas apenas no grupo de modelagem. Os dados deste mesmo grupo foram utilizados para análise estatística descritiva, assim como para modelagem pedométrica, utilizando regressão por mínimos quadrados parciais. Apenas os modelos de calibração que obtiveram desvio residual da predição ≥ 1,40 foram submetidos à validação externa e utilizados para predição dos modelos. A análise geoestatística foi realizada para o mapeamento dos atributos observados e preditos utilizando os grupos de modelagem e predição, respectivamente. Os resultados mostraram que o solo da MBRP apresenta elevada variação de EstC e que essa variação possui relação direta com os processos erosivos. A zona sudoeste da MBRP destaca-se por apresentar maiores teores de silte e argila, em razão da exposição de horizontes B textural na superfície. Essa configuração dificulta a perda de carbono por oxidação, resultando em maiores teores de EstC nesta zona. Encontrou-se modelos eficientes na predição de EstC, COS e frações granulométricas a partir de ERD na região do NIR, por efeito da correlação destes atributos com expressões espectrais nos comprimentos de onda próximos a 1.400, 1.900 e 2.200 nm. Conclui-se que a concentração de EstC no solo da MBRP é inversamente proporcional ao tamanho da partícula da camada superficial e que é possível realizar seu mapeamento por ERD.  Os modelos aqui apresentados precisam ser ajustados e extrapolados para outras áreas dentro do polo de desertificação de Gilbués, a fim de garantir sua aplicabilidade em toda essa região. Os resultados dessa pesquisa servem como base para o desenvolvimento de novos estudos visando a modelagem de outras funções de pedotransferência que possam predizer outros atributos de relevância para a mitigação do processo erosivo da região.  E por fim, as informações aqui apresentadas devem ser vistas como uma ferramenta para auxiliá-los na gestão territorial, visando a conservação do solo e da água na região do polo de desertificação de Gilbués.

  • ADRIANNA BARREIRA DE MACEDO CARVALHO
  • ADUBAÇÕES CONVENCIONAL E ALTERNATIVA PARA AS CULTURAS DO FEIJÃO-CAUPI E SORGO GRANÍFERO NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Data: 30/Mai/2022
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi [Vigna unguiculata (L) Walp] é uma leguminosa com importância social, econômica e nutricional para a região Nordeste do Brasil, enquanto o sorgo granífero [Sorghum bicolor (L.) Moench] é o quinto cereal mais produzido do mundo. Contudo, a baixa fertilidade dos solos influencia consideravelmente o rendimento dessas culturas, podendo afetar também a composição químico-bromatológica. Foram realizados dois experimentos objetivando-se: (I) avaliar o desenvolvimento de cultivares de feijão-caupi (BR 17-Gurguéia e Pingo-de-Ouro-1-2) sob efeito de inoculantes (SEMIA 6462 e 6463) e doses de pó de rocha (2,5; 5,0 e 10,0 t ha-1) como alternativa a adubação fosfatada mineral em Latossolo Amarelo do Sul do Piauí; e (II) avaliar a composição químico-bromatológica do sorgo granífero irrigado sob o efeito de doses de NPK na presença ou ausência da adubação orgânica e de micronutrientes em Neossolo Quartzarênico do Semiárido. O experimento I foi realizado em casa-de-vegetação, com delineamento inteiramente casualizado com arranjo fatorial (3x2x2) e três repetições. As sementes de feijão-caupi foram inoculadas e semeadas em sacos plásticos (5,0 kg) preenchidos com solo adubado com as respectivas doses de pó de rocha. Aos 45 dias após a semeadura, foram determinados o número de folhas (NF) e de nódulos (NN), comprimento da parte aérea (CPA) e da raiz (CR), massa seca da parte aérea (MSPA), raízes (MSR), nódulos (MSN) e total (MST), além dos índices de clorofila A, B e total (Clo A, Clo B e Clo Total), N, P, K, Ca, Mg, Cu, Fe, Mn e Zn. O experimento II foi delineado foi em blocos ao caso, com cinco doses de NPK 10-20-10 (D1= 10-20-10; D2= 20-40-20; D3= 30-60-30; D4= 40-80-40), na presença e ausência da adubação orgânica com esterco bovino (0 e 40 t ha-1) e presença e ausência de adubação com micronutrientes [Sulfato de Zinco (ZnSO4) e Sulfato de cobre (CuSO4)], compondo um fatorial 4x2x2, com quatro repetições. As parcelas foram constituídas por quatro linhas de plantio (área útil: duas linhas centrais). A colheita foi realizada aos 98 dias após o plantio, sendo determinada a massa fresca e composição bromatológica do sorgo. Todos os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Scott-Knott (p ≤ 0,05). No experimento I, não houve efeito dos fatores sobre NF, MSN, CR, Clo A, B e total, nem nos teores de N e Zn. A MSPA, MSR e MST foram menores com adubação de 2,5 t ha-1 de pó de rocha. A Pingo-de-Ouro-1-2 inoculada com SEMIA 6463 promoveu CPA, NN, MSPA, MSR e MST superiores. A BR 17-Gurguéia inoculada com SEMIA 6462 proporcionou maior teor de Cu, e quando inoculada com SEMIA 6463, maior teor de Mn. Na Pingo-de-Ouro-1-2 adubada com 10 t ha-1 de pó de rocha, foram constatados teores superiores de Ca e Mg. A BR 17-Gurguéia inoculada com SEMIA 6463 é mais responsiva a adubação com 2,5 t ha-1 de pó de rocha, apresentando maiores teores de P e K. No experimento II os teores de MM e MO foram alterados apenas pela adubação com ou sem esterco bovino. Os maiores teores de MS foram encontrados nas doses D1 e D2 do formulado NPK. Contudo, teores inferiores de PB foram observados com a dose D2. Foi verificado que a adubação com a dose D4, proporcionou redução nos teores de FDN. Com relação ao efeito da adubação com ou sem micronutrientes, a presença destes resultou em menores teores de MS e FDA e maiores teores de FDN. Quanto aos teores de MM e MO, foi constatado que a adubação com esterco bovino (40 t ha-1) resultou em maiores teores de MM. A adubação com orgânica promoveu maior acúmulo dos nutrientes Fe Mg. Verificou-se que a presença de micronutrientes na dose D4 proporcionaram maiores acúmulos de P e menores de Cu, enquanto que na D1 resultou em acúmulos superiores de Cu e Fe. As crescentes doses do formulado NPK ocasionaram um maior acúmulo de P no sorgo, especialmente quando o manejo de adubação com a presença de micronutrientes e de esterco bovino.
  • GUSTAVO DE SOUSA DE OLIVEIRA LEITE
  • TEORES NATURAIS E VALORES DE REFERÊNCIA DE QUALIDADE DE SELÊNIO EM SOLOS DO PIAUÍ
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 8/Mar/2022
  • Mostrar Resumo
  • O selênio (Se) é um elemento essencial à saúde e tanto a toxidez quanto a deficiência no organismo pode provocar a incidência de distúrbios e doenças. Pesquisas direcionadas a quantificar o teor natural de Se no solo são de grande importância para elaboração de estratégias de prevenção à deficiência ou ao excesso de Se na população. Este estudo tem como objetivo determinar os teores naturais de Se em solos visando estabelecer o Valor de Referência de Qualidade (VRQ) para a região Sudoeste do estado do Piauí. Foram coletadas 55 amostras compostas de solo em áreas naturais preservadas ou com mínima influência antrópica.A extração de Se foi realizada por meio de digestão ácida de acordo com o método 3051A proposto pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (USEPA). O teor de Se foi determinado por espectroscopia de absorção atômica com sistema de geração de hidreto (HGAAS). Os dados foram submetidos a análise exploratória e realizada a estatística descritiva. Também procedeu-se a análise da correlação entre os teores de Se e as características do solo pelo método de Spearman e foram calculados os percentis 75 e 90 dos dados parciais da mesorregião Sudoeste do Piauí, que serviram de indicativo do VRQ. O teor natural de Se da mesorregião Sudoeste variou de 0,03–1,31 mg kg-1, com teor médio e mediano de 0,33 mg kg-1 e 0,28 mg kg-1, respectivamente. A maior parte das amostras (79%) apresentou teor de Se abaixo da média mundial de 0,44 mg kg-1, porém dentro do intervalo comumente relatado na literatura. Nenhuma amostra teve valores excessivos (> 3,0 mg kg-1). Os valores dos percentis 75 e 90 indicados pelo CONAMA para estabelecimento do VRQ foram de 0,34 mg kg-1 e 0,46 mg kg-1, respectivamente, ficando abaixo do valor limite estabelecido para o elemento (5,0 mg kg-1). Os resultados parciais enquadram os solos desta mesorregião como tendo nível adequado de Se, visto que a maior parte das amostras tiveram teores variando de moderado a alto, acima do limite crítico para uma potencial deficiência de selênio do solo (0,125 mg kg-1). A concentração média de Se, por ordem decrescente das classes de solos, foi como segue: Neossolos Litólicos > Latossolos Amarelos>Argissolos Vermelho-Amarelos>Luvissolos Crômicos > Neossolos Quartzarênicos. Apenas o carbono orgânico (COS) e teor de areia tiveram correlação significativa fraca, possivelmente por conta do baixo número de amostras. Os resultados preliminares da mesorregião Sudoeste, evidenciam solos, em geral, com níveis naturalmente moderados de selênio. 

  • PÂMALLA GRAZIELY CARVALHO MORAIS
  • ANÁLISE NUTRICIONAL DE ALFACES ATRAVÉS DA DETECÇÃO HIPERESPECTRAL E USO DE TÉCNICAS DE LEARNING MACHINE E PRÉ-PROCESSAMENTOS
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 28/Fev/2022
  • Mostrar Resumo
  • A aplicação adequada de nutrientes é um dos fatores mais importantes na produção de hortaliças de qualidade. As decisões de manejo e adubação são baseadas através de análises de tecido vegetal. No entanto, essas análises requer um grande número de amostras de folhas usando técnicas químicas caras e demoradas. Ultimamente, foi demonstrado que é possível estimar quantitativamente elementos nutricionais em tecido vegetal usando os valores de refletância espectral, obtidos por espectroscopia de refletância no infravermelho na faixa do visível e próximo (VIS-NIR). Esta técnica é rápida, não destrutiva e livre de resíduos tóxicos. Este estudo teve como objetivo avaliar o uso da espectroscopia Vis-NIR para quantificar os teores dos macronutrientes (Ca, Mg, P e K) e micronutrientes (Cu, Mn, Fe e Zn) em folhas de alface. A análise espectral VIS-NIR e as estimativas de concentração de macro e micro nutrientes foram realizadas usando 496 amostras de folhas de alface de duas cultivares. Quatro métodos de pré-processamentos, incluindo Savitzky-Golay (SG), variação normal padrão (SVN), Detrend (Det) e Continuum Removal (CR) juntamente com a combinação de três modelos: Cubist, Random Forest (RF) e Regressão de mínimos quadrados parcial (PLSR) foram usados para gerar a melhor estimativa de quantificação desses nutrientes. Verificou-se a obtenção de estimativas aceitáveis para P(R2=0,63), K(R2=0,65), Mn (R2=0,61) e Fe (R2=0,73), no entanto não houve calibrações sucedidas para Ca, Mg, Cu e Zn. Nesse estudo, o SNV como pré-pré-processamento serviu como uma ferramenta eficaz para otimizar as previsões de modelo tanto do cubista, quanto do RF e PSLR. Ao comparar a capacidade de previsão dos modelos, o Cubist teve o melhor desempenho, apenas para a predição de Fe que o modelo PLSR foi melhor em relação aos outros. É possivel predizer análise nutricional de alface através da espectroscopia Vis-Nir, evidenciando assim que essa técnica fornece uma abordagem rápida para a detecção de nutrientes foliares.
  • PALOMA CUNHA SARAIVA
  • QUANTIFICAÇÃO DE ELEMENTOS POTENCIALMENTE TÓXICOS POR ESPECTROSCOPIA de REFLECTÂNCIA NO VIS-NIR NOS SOLOS DO PIAUÍ
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 28/Fev/2022
  • Mostrar Resumo
  • O uso de sensores para a aquisição de dados espectrais de solos na faixa do visível e infravermelho próximo (Vis-NIR)tem contribuído para o avanço das técnicas de quantificação de diversos atributos do solo por ser uma técnica rápida e inovadora, não destrutiva, não gerar resíduos causadores de impactos ambientais e de baixo custo, apontando o seu uso como uma alternativa para análise de solos nos laboratórios. As leituras espectrais trazem consigo erros e ruídos que necessitam de um tratamento para melhorar a sua qualidade antes das análises de predição. As predições são realizadas com auxílio de modelagens do aprendizado de máquinas. Os solos piauienses recentemente demonstraram predições satisfatórias para textura e alguns parâmetros químicos com combinações de pré-processamento e modelagem. Baseado no exposto objetivou avaliar a performance das combinações dos procedimentos de pré-processamento espectral Savitzky-Golay (SG), standard normal variate (SNV), detrend (DET) e continuum removal (CR) com as modelagens multivariadas baseadas em aprendizado de máquinas partial least squares (PLSR), random forest (RF), and cubist (CUB) para a predição de elementos potencialmente tóxicos do estado piauiense. Foram coletadas 262 amostras na profundidade 0 – 0,2 m distribuidas em todo o território piauiense. Os elementos avaliados foram Ba, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mo, Ni, Pb, Sb, V e Zn obtidos apartir da metodologia 3051A e teores obtidos por emissão óptica com plasma induzido (ICP-OES). O estudo demonstrou que, pelo baixos teores encontrados, 4 elementos não puderam ser preditos. Os espectros sem pré-processamento apresesentou as maiores predições para Cu, Pb e V. O pré-processamento SG foi o mais promissor para as predições de Cr e Ni, enquanto SNV foi para Mo e CR para Ba e Fe. A modelagens realizadas com CUB apresentaram as maiores performances. O devido trabalho evidenciou a habilidade preditiva satisfatória da espectroscopia na faixa Vis-NIR para o elemento Cr.
  • MATHEUS OLIVEIRA TEIXEIRA
  • SELEÇÃO DE ÁRVORES DOMINANTES EM PLANTIOS DE MOGNO AFRICANO E O IMPACTO NA CLASSIFICAÇÃO DE SÍTIO
  • Orientador : ANTONIO CARLOS FERRAZ FILHO
  • Data: 23/Fev/2022
  • Mostrar Resumo
  • O estudo teve como objetivo avaliar o efeito do número de árvores por hectare selecionadas para determinação da altura dominante, na classificação de sítio em um plantio de mogno africano, com o intuito de determinar o número de árvores dominantes que garanta uma boa estimativa do índice de sítio. Para determinação da altura dominante, foram testados 11 tratamentos (consistindo na seleção de 1 a 11 árvores por parcela, representando 9 a 102 árvores dominantes por hectare) avaliando: a estabilidade da classificação de sítio, capacidade de estratificação das classes produtivas e a relação da classificação de sítio com o incremento volumétrico. Constatou-se que existe diferença entre os tratamentos, o número de árvores utilizadas para o cálculo da altura dominante influencia na média da altura dominante, afetando a estabilidade da classificação de sítio e o poder de estratificação das parcelas em diferentes classes de sítio.

  • HELIONAI PEREIRA DA SILVA
  • Efeito de estradas florestais secundárias na fitossociologia das principais espécies, estrutura dendrométrica e diversidade em área de manejo florestal
  • Orientador : ANTONIO CARLOS FERRAZ FILHO
  • Data: 11/Fev/2022
  • Mostrar Resumo
  • Áreas de transição são conhecidas por apresentar espécies dos dois Biomas adjacentes e espécies endêmicas. O estado do Piauí é constituído pelos biomas Cerrado e Caatinga além de áreas de transição entre esses biomas, apresentando grande diversidade de vegetações. Contudo, essas áreas sofrem com o processo de fragmentação antrópica, sobretudo com a construção de estradas florestais não oficiais responsável por condicionar a vegetação ao efeito de borda em diferentes distancias e escalas. Dentre os métodos mais usuais para identificar o efeito de borda na vegetação em diferentes distancias, a caracterização fitossociológica, classificação das espécies em guildas ecológicas de regeneração, estrutura dendrométrica e diversidade são as mais usuais. Contudo, a determinação do efeito de borda condicionado pela abertura de estradas utilizando esses métodos em diferentes distancias em áreas de transição são escassos. Diante da necessidade de conhecer a distância do efeito de borda na vegetação, o objetivo do presente estudo é avaliar a fitossociologia, guildas ecológicas, estrutura e diversidade em diferentes distancia da estrada em áreas de transição nos biomas Cerrado e Caatinga, na Região Sudoeste do Piauí. Considerando as distancias, foram instalados 6 setores: Setor 1 (0 - 15 m), Setor 2 (15 - 30 m), Setor 3 (30 - 45 m), Setor 4 (45 - 60 m), Setor 5 (60 - 75 m) e Setor 6 (75 - 90 m). Foram medidos: indivíduos com CAP ≥ 9 cm, altura total e identificação vulgar total e botânica de 4 espécies. Os dados foram analisados por meio da caracterização dos parâmetros fitossociológicos (estrutura vertical e horizontal), guildas ecológicas, análise da estrutura dendrométrica (distribuição hipsométrica e diamétrica, número de indivíduos, DAP e Altura média, área basal, volume) e diversidade (índice de diversidade de Shannon e Pielou). A espécie Cenostigma macrophyllum (Tul.), apresentou maior valor de importância ampliado e o índice de Shannon e equabilidade de Pielou da área total, foram 2,5 nats.ind-1 e 0,3 respectivamente. Ficou constatado influência da estrada na espécie pioneira Pityrocarpa moniliformis (Benth.) contudo, o efeito de borda observado não foi suficiente para promover efeito significativo na estrutura dendrométrica e diversidade entre setores.

  • MARCOS PAULO RODRIGUES TEIXEIRA
  • Caracterização morfométrica e avaliação da degradação de solos em bacia hidrográfica sob processo de desertificação na região Sul do Piauí
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 31/Jan/2022
  • Mostrar Resumo
  • A avaliação da morfometria e de atributos dos solos em bacias hidrográficas auxilia o desenvolvimento de planos para a proteção e conservação do solo e da água. O objetivo do trabalho foi analisar os fatores que atuam direta e/ou indiretamente na degradação dos solos da microbacia hidrográfica do riacho Piripiri (MBHRP) em Monte Alegre (PI). A análise morfométrica foi realizada para aumentar e complementar a compreensão acerca dos processos que controlam a sua degradação. Foram realizadas análises das frações granulométricas, argila dispersa em água (ADA), densidade do solo (Ds), Ca, Mg, P, nitrogênio total (NT), K, teor de carbono orgânico (CO), matéria orgânica (MO) e foram calculados os parâmetros de erodibilidade (K e Ki). A geoestatística foi utilizada para observar o comportamento da distribuição espacial das características químicas, físicas e dos fatores de erodibilidade (K) do solo. Com o uso do SIG, a morfometria da microbacia foi caraterizada com a finalidade de avaliar seu potencial de inundação e as caraterísticas que proporcionem fragilidade aos processos erosivos. Os solos apresentam altos teores de areia e baixa CTC. A área de Neossolos Litóllicos, montante da microbacia, apresentou os maiores valores de K. Essa região apresentou as maiores concentrações de argila e alta CTC. Os maiores teores de areia foram observados nos Latossolos Amarelos da parte mais central da microbacia, áreas com os menores teores de MO e baixo pH. No mapeamento da erodibilidade  foi possível observar que esse índice é um bom indicativo para monitorar as condições do solo na MBHRP, seja ela para uso agrícola ou não. Os indicadores morfométricos indicam que o risco de enchentes é baixo para área de estudo. Contudo, o uso do solo sem planejamento adequado e sem adoção das técnicas de conservação associadas a fragilidade ambiental da região podem aumentar a vulnerabilidade das características físicas e químicas da área e, com isso, potencializar a probabilidade do avanço da degradação desses solos já muito fragilizados.

  • AMANDA SOARES SANTOS
  • Suplementação com magnésio (Mg) na ativação de rotas de defesa para tolerância ao déficit hídrico em soja
  • Orientador : RAFAEL DE SOUZA MIRANDA
  • Data: 25/Jan/2022
  • Mostrar Resumo
  • O déficit hídrico tem constituído um problema alarmante para a produção agrícola, particularmente nas regiões áridas e semiáridas, que sofrem com episódios recorrentes de precipitações irregulares e veranicos ao logo do ciclo produtivo. Assim, a busca por técnicas de manejo capazes de intensificar mecanismos de defesa contra o estresse hídrico pode contribuir efetivamente para as culturas expressarem seu potencial produtivo. O presente estudo foi desenvolvido para testar a hipótese que a suplementação com magnésio (Mg) ativa vias antioxidantes e modula metabólitos de defesa em plantas de soja sob restrição hídrica, resultando em ajustes fisiológicos e bioquímicos relacionados ao aumento da tolerância ao estresse. Para isso, três genótipos de soja (BÔNUS 8579, M8808 IPRO e TMG1180) foram cultivados sob diferentes regimes de Mg [0,9 (baixo), 1,3 (adequado) and 1,7 cmolc dm-3 de Mg (suplementação)], e submetidos ao estresse hídrico [controle – 60% da evapotranspiração da cultura (ETc), estresse moderado – 45% ETc, e estresse severo – 30% ETc] por 28 dias. Parâmetros de crescimento, variáveis relacionadas ao status hídrico e estresse oxidativo, acúmulo de solutos orgânicos, atividade de enzimas antioxidantes e o metaboloma das folhas foram empregadas como indicadores de tolerância. O capítulo 1 aborda o estado da arte e contempla os principais assuntos abordados ao longo do estudo. O capítulo 2, na forma de artigo, teve como objetivo avaliar o papel da adubação com Mg na aclimatação ao déficit hídrico, e identificar genótipos de soja responsivos aos tratamentos de suplementação e mecanismos de tolerância relacionados. Os dados evidenciaram que plantas TMG1180 apresentaram melhor desempenho sob estresse moderado e severo, no regime adequado de Mg. Este genótipo foi caracterizado como mais tolerante à seca dentre as plantas de soja investigadas; contudo, não apresentou melhoria na defesa quando houve suplementação de Mg no solo. Em contraste, o genótipo M8808 se mostrou extremamente sensível à seca sob Mg adequado, porém, apresentou de forma surpreendente o melhor desempenho em ambos os níveis de estresse quando suplementado com Mg, em comparação aos genótipos Bônus 8579 e TMG1180. A performance superior das plantas M8808 estressadas e suplementadas com Mg foi atribuída a regulação do potencial osmótico e teor relativo de água, bem como ao acúmulo de Mg na parte aérea, que resultaram em incrementos nos teores de pigmentos fotossintéticos e culminaram na maior tolerância relativa ao déficit hídrico. No capítulo 3, os estudos foram desenvolvidos para elucidar rotas de defesa intensificadas pelo Mg, responsáveis por mitigar os danos do estresse e promover a recuperação do crescimento do genótipo de soja sensível à seca. Os dados sugerem a participação da prolina como determinante para as melhores respostas das plantas M8808 estressadas sob alto Mg. A prolina provavelmente atuou tanto na proteção contra os danos oxidativos das folhas, evidenciado pela redução nos teores de peróxido de hidrogênio (H2O2) e malondialdeido (MDA), quanto como soluto compatível no ajustamento osmótico, reduzindo a perda de água e mantendo a suculência foliar nas plantas estressadas. Adicionalmente, a análise do metaboloma permitiu identificar alvos moleculares potenciais, como asparagina, ácido chiquímico, ácido cítrico, sorbitol, ácido málico e ácido malônico. Tais metabólitos chave promoveram um efeito integrador para reverter as limitações da restrição hídrica em plantas M8808. Como conclusão, os dados revelam mecanismos regulatórios para a compreensão das rotas de defesa mediada pela interação entre a suplementação de Mg e a resposta da soja ao déficit hídrico.

2021
Descrição
  • ROBSON WILLIAN NUNES LOPES
  • POTENCIAL BIOHERBICIDA DE ESPÉCIES VEGETAIS COM EFEITO ALELOPÁTICO SOBRE A PLANTA DANINHA BIDENS PILOSA
  • Orientador : FRANCISCA DIANA DA SILVA ARAUJO
  • Data: 22/Dez/2021
  • Mostrar Resumo
  • Espécies vegetais que apresentam efeito alelopático sobre plantas daninhas surgem como uma estratégia potencial para o desenvolvimento de bioherbicidas ambientalmente amigáveis. Neste sentido, o presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial bioherbicida de espécies vegetais com efeito alelopático sobre a planta daninha Bidens pilosa. Bioensaios in vitro de germinação de sementes foram realizados utilizando as espécies Dipteryx lacunifera Ducke, Ricinus communis L., Piper aduncum L. e Jatropha gossypiifolia L., e demonstraram que estas foram capazes de inibir a germinação e o crescimento de plântulas de B. pilosa, com destaque para o maior efeito alelopático evidenciado por R. communis e P. aduncum. A fitotoxicidez dos extratos aquosos foi avaliada através de experimentos em vasos, por meio dos quais foi possível verificar que a aplicação foliar dos extratos de R. communis e P. aduncum promoveram o amarelecimento de folhas, afetando o conteúdo de clorofila e o crescimento da planta daninha. A discriminação dos extratos das espécies vegetais por espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier acoplada ao acessório de reflectância total atenuada (ATR-FTIR), aliada à análise de componentes principais (PCA), indicou a presença de compostos aleloquímicos, como fenólicos e terpenóides, que podem estar associados com a atividade alelopática. Em suma, os resultados deste trabalho apontam para a capacidade alelopática de D. lacunifera, R. communis, P. aduncum e J. gossypiifolia sobre a planta daninha B. pilosa, com destaque para as espécies R. communis e P. aduncum, apresentando potencial para o desenvolvimento de bioherbicidas ecologicamente seguros.

  • TIAGO DE SOUZA SANTIAGO
  • CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE CLONES DE CAJUEIRO- ANÃO IRRIGADO NO SEMIÁRIDO DO PIAUÍ, BRASIL
  • Orientador : GUSTAVO ALVES PEREIRA
  • Data: 30/Ago/2021
  • Mostrar Resumo
  • A cajucultura moderna apresenta produtividades promissoras devido principalmente à adoção da tecnologia clonal e manejo agronômico adequado no pomar. Assim, com o objetivo de avaliar o desempenho de clones de cajueiro-anão comerciais (CCP 76, BRS 265, BRS 226, BRS 189, EMBRAPA 51) e experimentais (PRO 145/2, PRO 145/7, PRO 805/4, PRO 553/2, CAPI 17, CAPI 24, CAPI 21, SLC 12/20, HB 116/4) em cultivo irrigado na região de clima semiárido no Estado do Piauí, foi instalado em 2018 um campo de competição de clones na Fazenda Experimental de Alvorada do Gurguéia, localizado no município de Alvorada do Gurguéia, Piauí, com espaçamento de plantio de 8 m x 8 m e sistema de irrigação por microaspersão. Os clones foram avaliados quanto aos aspectos de crescimento vegetativo (altura de planta, diâmetro da copa e do caule e volume de copa) e produtivos (número de frutos por planta, produtividade de castanha e de pedúnculo) no terceiro ano de plantio, mediante o delineamento de blocos incompletos equilibrados, com 4 grupos de duas repetições e 8 blocos de cada tratamento. Para a caracterização biométrica da castanha (massa, comprimento, largura e espessura, massa do caju e relação da massa entre castanha e massa do caju) e do pedúnculo (comprimento, diâmetro basal, massa, relação da massa entre pedúnculo e massa do caju), bem como a avaliação pós-colheita da incidência de traça-das-castanhas (Anacampsis phytomiella) nos lotes de castanha que utilizaram de delineamento inteiramente casualizado, com 100 repetições por clone. Foi observado superioridade dos clones comerciais de cajueiro-anão para as características morfológicas do pedúnculo e dos clones experimentais para àquelas da castanha. Os clones alcançaram no geral 1,63 m de altura de plantas, sem diferença significativa, todavia, quanto ao porte do dossel, considerando o diâmetro de copa e de caule e o volume de copa, os clones BRS 265, SLC 12/20, CAPI 24 e PRO 553/2 foram superiores e o CCP 76 e BRS 189 apresentaram as menores projeções. Mesmo sem diferença significativa para o número de frutos por planta, produtividade de pedúnculo e de castanha (PRODcast), numericamente, o BRS 265 e BRS 226 foram superiores entre os clones comerciais e o CAPI 24 apresentou a maior PRODcast entre os experimentais e não houve ocorrência do ataque de A. phytomiella às castanhas.

  • CLEONALDO RODRIGUES
  • NÍVEIS DE FERTIRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DE PIMENTÃO VERMELHO CULTIVADO EM AMBIENTE PROTEGIDO
  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 30/Jul/2021
  • Mostrar Resumo
  • A salinidade é um dos estresses abióticos que mais limita a produtividade das culturas. Tal fato torna essencial a busca por alternativas que viabilizem a produção nesta condição, assim como um manejo adequado dos nutrientes via fertirrigação contribui significativamente para as culturas expressarem seu potencial produtivo. O excesso de sais fertilizantes tem sido uma problemática constante no cultivo em ambiente protegido, em especial em culturas de alto valor agregado, como o Pimentão colorido. As informações obtidas em literatura sugerem que o Si tem grande potencial para a melhoria da produção agrícola brasileira, visto que estudos mostram que culturas podem se beneficiar desse elemento, minimizando efeitos causados por estresse abiótico nas plantas. Assim o presente estudo avaliou-se a hipótese de que o silicato de sódio via foliar em plantas de pimentão Capsicum annuum (Solanaceae) é capaz de reduzir os efeitos negativos da salinidade de fertirrigação, em substrato sob ambiente protegido e sua influência sobre os parâmetros de crescimento e produtivos. O estudo foi conduzido na área experimental da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas. Para condução do experimento adotou-se delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 2, com 4 repetições, sendo seis níveis de salinidade inicial da solução nutritiva (S1 = 1,20; S2 = 2,25; S3 = 3,27; S4 = 4,34; S5 = 5,28 e S6 = 6,14 dS m-1) e dois manejos de fertirrigação, sendo avaliados conforme presença e ausência de silício. As variáveis analisadas foram: Número de fruto, biomassa fresca, biomassa seca e qualidade dos frutos, mensurando produção e produtividade da cultura. Os resultados revelaram que uso do silicato de sódio via foliar associado a fertirrigação com diferentes níveis de salinidade não influenciou no desempenho produtivo  dos frutos do híbrido Rubia R, nem nas variáveis estudadas, biomassa seca e fresca da cultura do Pimentão. Por outro lado, a qualidade dos frutos, é afetada com o incremento dos níveis de salinidade, não sendo amenizada no manejo com a adição do Silicato de Sódio.

  • SAMUEL FERREIRA PONTES
  • SUSCETIBILIDADE MAGNÉTICA E ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO COMO ATRIBUTOS PEDOINDICADORES DE ERODIBILIDADE EM SOLO ARENOSO
  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 30/Jul/2021
  • Mostrar Resumo
  • A calibração de funções de pedotransferência aplicadas a erodibilidade do solo representam uma importante estratégia para subsidiar a prevenção da degradação do solo, especialmente em solos arenosos. Dessa forma, objetivou-se calibrar, para um solo arenoso, modelos de predição dos fatores de erodibilidade do solo, e atributos relacionados, aplicando a suscetibilidade magnética e espectroscopia no infravermelho próximo como atributos pedoindicadores. O estudo foi realizado em solo arenoso localizado no bioma Caatinga. Foram coletadas amostras deformadas de solo em 80 pontos, as quais foram utilizadas para análises granulométricas e de matéria orgânica. Esses resultados subsidiaram os cálculos dos fatores de erodibilidade. As amostras também foram submetidas às análises de suscetibilidade magnética e espectroscopia no infravermelho próximo, as quais foram utilizadas para calibração das funções de pedotransferência. Após essa calibração, os atributos observados e preditos foram submetidos à análise geoestatística e interpolados em mapas de isolinhas. O solo arenoso apresentou maior erodibilidade, quando comparado com solos de maiores teores de argila. Além disso, observou-se uma baixa suscetibilidade magnética, provavelmente devido à predominância de componentes diamagnéticos no solo. Tanto a suscetibilidade magnética quanto a espectroscopia de reflectância difusa forneceram modelos capazes de estimar atributos do solo, assim como os fatores de erodibilidade. Devido a essa baixa expressão magnética, os modelos baseados na suscetibilidade magnética apresentaram menos eficiência. Por isso, observou-se maior similaridade entre os mapas dos atributos observados, e aqueles preditos por espectroscopia de reflectância difusa. Assim, conclui-se que a suscetibilidade magnética e a espectroscopia de reflectância difusa podem ser utilizadas como atributos pedoindicadores de fatores de erodibilidade em solos arenosos e que estudos com o intuito de aperfeiçoar funções de pedotransferência para este fim precisam ser intensificados.

  • MARIA CAROLINA FARIAS E SILVA
  • Interação inseto-planta: desempenho biológico de Bemisia tabaci biótipo B em cultivares de soja
  • Orientador : LUCIANA BARBOZA SILVA
  • Data: 19/Jul/2021
  • Mostrar Resumo
  • A cultura da soja está exposta ao ataque de diversos insetos, entre eles, Bemisia tabaci biótipo B (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae), que compromete a fisiologia da planta e transmite vírus que ocasionam doenças. Nesse cenário, os programas de melhoramento têm um papel importante no desenvolvimento de linhagens superiores resistentes. Sendo assim, o estudo teve o objetivo de avaliar o ciclo de vida de B. tabaci biótipo B tendo como hospedeiro a soja para a identificação de cultivares que afetam negativamente o desenvolvimento do inseto, e estimar parâmetros genéticos e correlacionar caracteres de resistência. Além disso, também foi avaliado o desempenho biológico de cinco gerações de mosca-branca confinadas a cultivares de soja, a fim de testar a estabilidade da resistência do cultivar em mais de uma geração do inseto. Para tanto, foram analisados 11 cultivares sob o estresse de 20 indivíduos de B. tabaci, conduzidos através do delineamento inteiramente casualizado com 11 tratamentos e 5 repetições. As avaliações ocorreram no período de 25 dias e os parâmetros analisados foram: número de ovos por folíolo, número de ninfas por folíolo, número de adultos por folíolo (após 25 dias de infestação); total de ovos inviáveis; total de ninfas inviáveis; desenvolvimento de ovo-ninfa (dias) desenvolvimento de ovo-adulto (dias); desenvolvimento de ninfa-adulto (dias); porcentagem de ninfas; porcentagem de adultos emergidos; porcentagem de ninfas emergidas em adultos; porcentagem de ovos inviáveis; e porcentagem de ninfas inviáveis. Os insetos emergidos do bioensaio de desempenho biológico foram confinados em plantas de seus respectivos cultivares. Foram utilizadas seis plantas, onde três plantas foram expostas aos insetos provenientes da população mantidos em couve, e três foram expostas aos insetos da geração F1 que estavam em contato com a cultivar de soja. Os parâmetros avaliados foram: número de ovos por folíolo, número de ninfas por folíolo, número de adultos emergidos (através da contagem de exuvias presente na parte abaxial de cada folíolo) e número de adultos viáveis (adultos aptos para realizar a nova infestação). Foi adotado o delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial (cultivar x gerações x população) (11 x 5 x 2). Verificou-se que M 8808 IPRO e AS 3810 IPRO interferem negativamente na oviposição de B. tabaci. Já o cultivar BRS 9280 RR afetou o desenvolvimento (viabilidade) do inseto. De acordo com o índice de seleção, os cultivares que apresentaram superioridade foram BRS 9280 RR, AS 3810 IPRO, M 8808 IPRO e BRS 8383 IPRO, sendo considerados fontes de resistência à B. tabaci biótipo B para programas de melhoramento. Estes mesmos cultivares permaneceram expressando características de resistência quando analisado a mosca-branca sendo mantidas em pressão nestes cultivares por cinco gerações.
  • NOELLY MARIA DE OLIVEIRA DA SILVA
  • REVISÃO TAXONÔMICA DO GRUPO GENÉRICO Scirtothrips (THYSANOPTERA: THRIPIDAE) NA AMÉRICA DO SUL
  • Orientador : ELISON FABRICIO BEZERRA LIMA
  • Data: 30/Abr/2021
  • Mostrar Resumo
  • A dissertação consiste na revisão taxonômica do grupo-genérico Scirtothrips (Thysanoptera: Thripidae) na América do Sul. Thripinae é a mais rica das quatro subfamílias de Thripidae, e é usualmente dividida em 12 grupos-genéricos. Scirtothrips é um dos grupos mais diversos, compreendendo mais de 100 espécies classificadas em 11 gêneros. Na América do Sul esse grupo totaliza 10 espécies em quatro gêneros, entretanto nunca houve revisão taxonômica dessas espécies. Várias espécies deste grupo-genérico são pragas de plantas cultivadas, mas a validade de muitas das espécies descritas não é satisfatória, uma vez que, atualmente, podem ser identificadas apenas por comparação com o material-tipo. Na presente pesquisa, foram realizadas redescrições morfológicas das espécies do grupo na América do Sul. Além disso, novas espécies foram descritas e uma nova sinonímia foi estabelecida. Espécies de plantas hospedeiras foram elencadas sempre que possível, além de comentários sobre a biologia dos insetos. Foi proposta uma chave dicotômica ilustrada incluindo todas as espécies registradas na América do Sul, além de espécies não reportadas oficialmente mas de potencial quarentenário.

  • THIARA BRUNA DE ARAUJO SOARES
  • Monoamônio fosfato e tratamentos de sementes na morfologia, nodulação e produtividade da soja no Cerrado
  • Orientador : JULIAN JUNIO DE JESUS LACERDA
  • Data: 10/Mar/2021
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo deste trabalho foi avaliar a morfologia, produtividade e nodulação da soja quando submetida a doses de fosfato monoamônico (MAP) e diferentes tratamentos de sementes na região sul do Piauí. O experimento foi conduzido na Fazenda Santo Expedito localizada na Serra da Fortaleza, município de Santa Filomena-PI. O delineamento experimental foi em blocos casualizados (DBC) com fatorial duplo 5x5, constituído por 25 tratamentos com quatro repetições. Sendo 5 doses de MAP no sulco de cultivo, equivalentes a 0, 10, 20, 30 e 40 kg ha-1 de N, e cinco tipos de tratamentos de sementes: o primeiro tratamento completo (fungicida + inseticida + Cobalto e Molibdênio + inoculante), o segundo (inoculante + inseticida), o terceiro (inoculante + fungicida), o quarto (inoculante + CoMo) e o quinto (inoculante). A adubação com MAP resultou em ganhos significativos na altura e diâmetro de plantas, massa seca e volume de raiz, e massa seca de parte aérea. O fornecimento de N mineral, do MAP, afetou negativamente o número, volume e massa seca de nódulos, mostrando efeito de inibição da FBN. Houve aumento da produtividade com o aumento das doses de MAP.

  • THAÍS PAULA MARTINS NUNES
  • PROPORÇÕES DE CAULE DECOMPOSTO DE BURITI (MAURITIA FLEXUOSA L.) SOBRE OS PARÂMETROS FITOTÉCNICOS E NUTRICIONAIS DE MUDAS DE FIGUEIRA
  • Data: 22/Jan/2021
  • Mostrar Resumo
  • A cultura da figueira (Ficus carica L.) é produzida em diversos países, principalmente em regiões de clima tropical. Apesar dessa adaptabilidade, a produção das mudas é umas das etapas mais importantes e que atrelado ao substrato seja ele comercial ou orgânico, pode significar um aumento substancial na produtividade. Os substratos orgânicos além de contribuírem para a redução dos resíduos sólidos no ambiente, é uma alternativa para a redução dos custos de produção. Neste sentido o presente estudo teve por objetivo, avaliar as proporções de caule decomposto de buriti (Mauritia flexuosa L.) sobre os parâmetros fitotécnicos e nutricionais de mudas de figueira. O presente estudo foi conduzido em telado, coberto com sombrite a 50%. A primeira etapa, em junho de 2019, deu-se com início da decomposição do caule de buriti em diferentes intervalos de tempos, 0, 15, 30, 45, 60 e 75 dias, sendo irrigado manualmente todos os dias. Após a decomposição, em setembro de 2019, foram feitas 5 proporções para cada um dos tempos, 20%, 40%, 60%, 80 % e 100% de caule decomposto de buriti, e um tratamento adicional de 100% solo, utilizou-se o delineamento em blocos casualizados, dispostos em 5 blocos. Foram avaliados parâmetros morfológicos da figueira, número de folhas, número de brotos, comprimento radicular, volume da raiz, massa fresca parte aérea, massa fresca da raiz, massa seca parte aérea, massa seca da raiz e índice de clorofila a e b, além do atributos químicos dos substratos e nutricional das mudas. As proporções de caule decomposto de buriti, surtiram resultados positivos, para as variáveis morfológicas, massa fresca da parte aérea, massa fresca da raiz e volume radicular, e também para os nutrientes, cálcio, magnésio, ferro, zinco e manganês. O tempo de decomposição não contribuiu para o desenvolvimento das variáveis morfológicas da cultura. O composto orgânico possui bons teores nutricionais que são essenciais para as plantas, e por ser uma alternativa ecologicamente sustentável e economicamente viável, pode ser opção de substrato para outras culturas além da figueira.


Dissertações/Teses Antigas
2020
Descrição
  • ODÁLIA CAROLINNE MOTA DE SOUSA
  • CARACTERÍSTICAS FÍSICO-HÍDRICAS E MATÉRIA ORGÂNICA EM LATOSSOLOS SOB DIFERENTES TEMPOS DE ADOÇÃO DE PALHADA
  • Orientador : ADERSON SOARES DE ANDRADE JUNIOR
  • Ano: 2020
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os solos da região dos Cerrados piauiense são favoráveis à agricultura; porém, o uso intensivo aliado com manejo inadequado, tem provocado degradação dos solos da região. Por isso, estudos voltados para utilização de sistemas alternativos de produção como sistema de plantio direto (SPD) tem se tornado essenciais. Assim, objetivou-se avaliar as alterações nas características físico-hídricas e matéria orgânica em Latossolos sob diferentes tempos de adoção de cultivo sob palhada em áreas de Cerrado do Sudoeste Piauiense. A pesquisa foi realizada em fazendas comerciais nos municípios de Baixa Grande do Ribeiro, Uruçuí e Bom Jesus. As áreas estudadas apresentavam tempos distintos de adoção de cultivo sob palhada: SPD2 – 2 anos, SPD3 – 3 anos, SPD6 – 6 anos, SPD10 – 10 anos, SPD12 – 12 anos, SPD15 – 15 anos e SPD18 – 18 anos e mata nativa, nas quais foram avaliados os atributos físico-hídricos (frações granulométricas, densidade do solo, porosidade total, macro, microporosidade, água disponível e capacidade de campo), matéria orgânica e a fração humina. Os dados foram submetidos à análise multivariada, univariada e correlação de Spearman. Os resultados mostraram que houve alterações nos atributos físico-hídricos e conteúdo de matéria orgânica, notadamente, nas camadas mais superficiais do solo (0,0-0,2m), apenas para as áreas com mais de 10 anos de cultivo sob palhada em comparação a mata nativa.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 18/08/2022 20:52