Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOÃO VITOR DUTRA DE LIMA PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO VITOR DUTRA DE LIMA PEREIRA
DATA: 29/09/2023
HORA: 14:30
LOCAL: PRODEMA/UFPI
TÍTULO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BIODIVERSIDADE EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: ABORDAGENS TEÓRICAS E PRÁTICAS EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS.
PALAVRAS-CHAVES: Educação; Meio Ambiente; Caatinga; Nordeste; Piauí.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A Educação Ambiental (EA)é um processo formativo que contribui para práticas e reflexões que fortalecem os valores para a sustentabilidade, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal. Como objetivos desse trabalho: verificar como os professores entendem as Unidades de Conservação (UC) como espaço não formal para as práticas de EA enfocando a temática biodiversidade; identificar as metodologias de EA e biodiversidade em UC do Brasil no período de 2003 2022; e avaliar como e em quais níveis os professores se relacionam com a natureza, utilizando a Escalas de Conexão com a Natureza. Estruturada em três capítulos. Sendo o primeiro, intitulado “Metodologias de Educação Ambiental com enfoque na biodiversidade em UC do Brasil: uma revisão de 2003 a 2022” elaborado a partir de buscas nas bases de dados Periódicos Capes, Web of Science, Scielo e Scopus entre os meses de agosto e dezembro de 2021, sendo selecionados 20 artigos científicos que abordavam atividades práticas nas UC. No segundo capítulo, intitulado “Concepções de professores sobre UC como espaço não-formal de aprendizagem para práticas de EA com ênfase em biodiversidade”, de natureza quali-quantitativa, entrevistados 86 professores em 60 escolas de Teresina e Altos, Piauí. Destacou-se que 70,9% dos professores já desenvolveram atividades práticas, sendo a maioria ações pontuais. Constatou-se que o estreito conhecimento sobre a biodiversidade nas UC dificulta a realização de atividades práticas, e sugere-se o desenvolvimento de parcerias entre escolas e universidades com as UC, principalmente na região nordeste, em que se predomina a caatinga, sendo um dos biomas mais degradados do país, concentrando mais de 60% das áreas susceptíveis à desertificação. No terceiro capítulo, intitulado “Níveis de relacionamento com a natureza: atitudes ambientais de professores de escolas de Teresina e Altos, Piauí”, pretende-se avaliar como e em quais níveis os professores se relacionam com a natureza, utilizando a Escala de Conexão com a Natureza (ECN), com abordagem quantitativa, envolvendo professores de escolas de Teresina e Altos. Os resultados apontam que as metodologias ativas de EA nas UC favorecem a elaboração de estratégias para a conservação da biodiversidade. O conhecimento dos professores em relação às UC evidenciam a importância para realização de atividades práticas com enfoque na biodiversidade desses locais, subsidiando a abordagem pedagógica aos professores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1984821 - PATRICIA MARIA MARTINS NAPOLIS
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Interno - 150.292.393-91 - JOSÉ MACHADO MOITA NETO - UNICAMP
Externo à Instituição - CARLA LEDI KORNDORFER - UESPI
Externo à Instituição - Karolina Martins Almeida e Silva - UFT
Notícia cadastrada em: 11/09/2023 15:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 18/07/2024 17:45