Notícias

Banca de DEFESA: DÉBORA CRISTINA COUTO OLIVEIRA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DÉBORA CRISTINA COUTO OLIVEIRA COSTA
DATA: 17/07/2015
HORA: 08:30
LOCAL: CCS - UFPI
TÍTULO:

RELAÇÃO ENTRE ATIVIDADE FÍSICA E O TIPO DE PARTO DE ADOLESCENTES


PALAVRAS-CHAVES:

Exercício físico; sedentarismo; gravidez na adolescência; parto.

 


PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A prática regular de exercícios durante a gestação pode gerar benefícios à saúde das adolescentes grávidas, que devem ser encorajadas à prática regular de exercícios, quando não houver contraindicações. OBJETIVO: Analisar a relação entre o nível de atividade física e o tipo de parto entre adolescentes. METODOLOGIA: Estudo transversal realizado com 415 adolescentes que finalizaram a gestação de março a junho de 2014, em Teresina-PI. A amostragem foi do tipo acidental e a coleta de dados foi realizada por meio de formulário pré-testado.  O nível de atividade física foi mensurado por meio do Questionário de Atividade Física para Gestantes-QAFG. Na descrição estatística dos dados, utilizou-se análise univariada e para a análise bivariada utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson (x2). Fatores associados ao nível de atividade física das participantes foram verificados por análise multivariada em variáveis com p valor < 0,20 na análise bivariada. RESULTADOS: As participantes do estudo apresentaram média de idade de 17,3 anos (desvio padrão 1,3), com predominância daquelas com companheiro (72,8%), fora do mercado de trabalho (88,7%), baixo poder aquisitivo (56,0%), sem renda própria (88,7%), com ensino fundamental completo (59,8%), escolarização inadequada para faixa etária (40,2%), renda familiar inferior a um salário mínimo (56,0%) e ocupação predominante “do lar” (47,9%). Também predominaram as que realizaram pré-natal (99,5%), com frequência de 4 a 6 consultas (47,0%), nascimento de conceptos a termo (75,4%) e parto cesáreo (76,9%). Caracterizaram-se ainda por comportamento sedentário (84,3%), consideravam-se ativas (57,6%) no último trimestre gestacional e acreditavam que o comportamento ativo poderia ajudá-las em um possível parto normal (81,2%), mas a maioria não praticou nenhum tipo de exercício físico (78,8%). A cesárea confirmou-se para maioria das participantes (76,9%). O nível de atividade física não apresentou associação significativa com o tipo de parto (p= 0,269). A análise multivariada mostrou que gestantes adolescentes que são estudantes ou do lar têm menos chances de realizar atividade física que outras ocupações profissionais (ORajust= 0,25/0,14), p= 0,000. De forma semelhante, adolescentes cujo parto foi cesáreo realizaram menos atividade física durante a gestação, comparadas aquelas que tiveram parto normal (ORajust= 0,53).  CONCLUSÃO: As participantes deste estudo apresentaram comportamento sedentário e a cesárea confirmou-se como tipo de parto para a maioria das participantes. Durante o pré-natal, faz-se necessário que informações sobre os benefícios da prática regular de exercícios físicos sejam disseminadas pelos profissionais de saúde, de modo que as gestantes, que não apresentem contraindicações para os exercícios físicos, sejam incentivadas a adquirir ou manter um padrão de comportamento ativo durante e após a gestação.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Presidente - 1167593 - KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
Externo ao Programa - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Externo à Instituição - PATRICIA UCHOA LEITAO CABRAL - UESPI
Notícia cadastrada em: 06/07/2015 16:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 19/07/2024 13:18