Notícias

Banca de DEFESA: FRANCIRRAIMY SOUSA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCIRRAIMY SOUSA SILVA
DATA: 31/08/2015
HORA: 15:00
LOCAL: MESTRADO EM CIÊNCIAS E SAÚDE
TÍTULO:

RESPOSTA PRESSÓRICA AO ESFORÇO E RISCO CARDIOVASCULAR: CORRELAÇÃO COM ESCORE DE FRAMINGHAM


PALAVRAS-CHAVES:

Doenças Cardiovasculares, Escore de Framingham, Pressão Arterial Sistólica, Teste Ergométrico de Esteira.


PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

As doenças cardiovasculares constituem causa importante de morbidade e mortalidade e são consideradas um dos problemas de saúde de maior magnitude no Brasil e no mundo. A redução da incidência das doenças cardiovasculares e a consequente diminuição da morbidade e mortalidade tem sido um dos principais objetivos das políticas de saúde pública. No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda a utilização do Escore de Framingham como estratégia de identificação de indivíduos para estimativa de risco cardiovascular. Nesta pesquisa, objetivou-se correlacionar a resposta pressórica ao esforço com o grau de risco cardiovascular pelo Escore de Framingham. Foi realizado um estudo observacional, do tipo transversal com 83 pacientes da Unidade de Métodos Gráficos do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí. Os pacientes tiveram seu escore de risco cardiovascular pelo Escore de Framingham calculado e depois foram submetidos ao teste ergométrico para avaliação da variação da pressão arterial sistólica e outras variáveis. Foi observada a variação de pressão arterial sistólica no pico máximo de esforço menos a pressão arterial sistólica de repouso. Utilizou-se o programa Statistical Package for the Social Sciences para a análise estatística descritiva com aplicação do teste t para amostras independentes ou a Análise de Variância one way, seguida de Post Hoc de Tukey quando adequado. Para verificar a correlação entre as variáveis categóricas aplicou-se o teste Qui-quadrado de Pearson. Em todos os testes aplicados considerou-se sempre um nível de significância estatística de 95% (p < 0,05). A idade média dos participantes foi de 49,6 ± 11,3 anos. As mulheres representaram a maioria da amostra 55,4%. A variação de pressão arterial sistólica teve a média de 39,2 ±7,4 e quando foi feita a categorização a grande maioria (90,36%) se enquadrou no intervalo entre 31 e 60 mmHg. Mais de 70% das mulheres da amostra foram classificadas na faixa de baixo risco cardiovascular, enquanto a maioria dos homens foi classificada como fazendo parte do risco intermediário ou alto. A resposta pressórica ao esforço, avaliada pela variação de pressão arterial sistólica durante o teste ergométrico, não teve relação estatisticamente significativa com o risco cardiovascular pelo Escore de Framingham (p=0,672). A variação de pressão arterial sistólica não se correlacionou de forma estatisticamente significativa com as variáveis que compõem o Escore de Framingham. Novos estudos com maior número de participantes são necessários para conclusões mais precisas a respeito da relação entre resposta de pressão sistólica ao esforço e risco cardiovascular.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1552848 - ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
Externo à Instituição - EUCARIO LEITE MONTEIRO ALVES - UESPI
Externo ao Programa - 1167710 - MARIA DO CARMO DE CARVALHO E MARTINS
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Notícia cadastrada em: 13/08/2015 15:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 15/07/2024 15:21