Notícias

Banca de DEFESA: LUCIANO BRITO SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIANO BRITO SANTOS
DATA: 30/08/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do Conselho Departamental, no Centro de Ciências da Saúde, situado na Avenida Frei Serafim, Nº
TÍTULO:

"ANÁLISE ESPACIAL DA MORTALIDADE POR DOENÇAS DO APARELHO CIRCULATÓRIO EM TERESINA, PIAUÍ"


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

Doenças Cardiovasculares.  Distribuição Espacial da População. Taxa de Mortalidade.             Sistemas de Informação.


PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

O número de indivíduos com mais de 60 anos de idade vem aumentando acentuadamente nas últimas décadas em todo o mundo, com projeções indicando que em 2050 esse grupo contará com cerca de 1 bilhão e 900 milhões de pessoas. No Brasil essa faixa da população apresentou um crescimento de 33,65% no período de 2000 a 2009, e com isso as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) passaram a ser predominantes, com destaque para as Doenças do Aparelho Circulatório (DAC). Essas doenças, por sua importância e magnitude, constituem-se como um dos mais importantes problemas de saúde da atualidade, tanto em países desenvolvidos quanto em países emergentes. Entre seus principais subgrupos estão as doenças cerebrovasculares (DCBV) e as doenças isquêmicas do coração (DIC). Embora a mortalidade por DAC apresente diminuição, sobretudo em regiões desenvolvidas, a magnitude e o declínio podem apresentar variabilidades por períodos e regiões, em sexo e idade. O conhecimento do padrão desses agravos pode ajudar a levantar hipóteses sobre a sua ocorrência e subsidiar medidas de prevenção e controle. Nesta perspectiva, o presente estudo teve como objetivo analisar a distribuição espacial da mortalidade por doenças do aparelho circulatório e sua correlação com variáveis socioeconômicas no município de Teresina, Piauí. Foi realizado um estudo ecológico, observacional, retrospectivo, com base em dados secundários dos óbitos de pessoas residentes no município de Teresina, Piauí, no período de 2011 a 2015 tendo como causa básica de morte as doenças do aparelho circulatório. A coleta foi realizada no período de março a abril de 2016. Os dados foram pesquisados dos bancos de dados dos sistemas de informações Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do censo 2010 do IBGE. Para a organização dos resultados foi utilizado o programa Microsoft Excel for Windows®, e as análises estatísticas foram realizadas com o programa SPSS, versão 20.0, já a confecção do mapa temático foi utilizado o sistema de informações geográficas (SIG) QGIS 2.16. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa na UFPI com parecer 1.522.967. Verificou-se um declínio das taxas de mortalidade por DAC, DIC, DCBV. Foi calculado o coeficiente de correlação de Pearson para verificar a relação entre a taxa de mortalidade por DAC e as variáveis socioeconômicas onde apenas as variáveis taxas de analfabetismo de idosos e índice de envelhecimento apresentaram correlação positiva e estatisticamente significativa, p<0,05. Na autocorrelação espacial foi empregado o cálculo do Índice Moram I para verificar a dependência espacial de todas as variáveis estudadas. A taxa de mortalidade por DAC não apresentou dependência espacial, já as variáveis socioeconômicas apresentaram índices positivos indicando presença de aglomerados espaciais. A distribuição espacial da mortalidade por DAC nos bairros de Teresina apresentou uma grande variabilidade e o mapa temático um perfil heterogêneo. Novos estudos se fazem necessários com a utilização de séries temporais, outras variáveis socioeconômicas e diferentes unidades geográficas para uma melhor compreensão do impacto das relações no espaço urbano de Teresina e dessa forma subsidiar a tomada de decisões de gestores do sistema de saúde. 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Interno - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Externo à Instituição - EUCARIO LEITE MONTEIRO ALVES - UESPI
Notícia cadastrada em: 17/08/2016 16:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 19/07/2024 12:19