Notícias

Banca de DEFESA: TARCISIO VIEIRA DE BRITO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TARCISIO VIEIRA DE BRITO
DATA: 26/02/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de Aula/PPGBiotec
TÍTULO:

EFEITO ANTI-INFLAMATÓRIO E ANTIOXIDANTE DO POLISSACARÍDEO SULFATADO EXTRAÍDO DA ALGA MARINHA VERMELHA Hypnea musciformis DURANTE A COLITE INDUZIDA POR TNBS EM RATOS


PALAVRAS-CHAVES:

Hypnea musciformis, ácido malonildialdeido, colite ulcerativa, doença de crohn e citocinas pró-inflamatórias.


PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Introdução: Polissacarídeos sulfatados compreendem um grupo de biopolímeros, heterogêneos e complexos oriundo da matriz extracelular de algas marinhas. O polissacarídeo sulfatado da alga marinha vermelha Hypnea musciformis tem sido bastante estudado devido às suas propriedades e características bioquímicas específicas, por isto este polissacarídeo possui alguns efeitos farmacológicos comprovados, dentre os quais se destaca sua ação anti-inflamatória. Objetivo: O presente trabalho teve como objetivo extrair, caracterizar e estudar a ação anti-inflamatória do polissacarídeo sulfatado da Hypnea musciformis mediante os parâmetros deletérios da colite induzida pelo ácido trinitrobenzeno sulfônico em ratos. Métodos: Neste estudo, o polissacarídeo foi extraído e caracterizado usando técnicas de microanálise elementar, cromatografia líquida de alta eficiência e espectrometria de infravermelho. Para os estudos farmacológicos foram usados ratos Wistar machos pesando (150-200 g), sendo divididos em grupo de 5-7 animais por grupo, em seguida os animais foram tratados com o polissacarídeo sulfatado da H. musciformis nas doses de 10, 30 ou 60 mg/kg, logo em seguida a colite foi induzida usando o ácido trinitrobenzeno sulfônico a 50% em solução de etanol também a 50% v/v. Após três dias da indução da colite os animais foram  eutanasiados e uma amostra de 5 cm do cólon foi retirada para avaliação dos escores macroscópicos, microscópicos, peso úmido e dosagens bioquímica como: mieloperoxidase, interleucina 1 beta, fator de necrose tumoral alpha, glutationa, ácido malonildialdeido e nitrato e nitrito. Resultado: O tratamento dos animais com o polissacarídeo sulfatado da H musciformis na dose de 60 mg/kg apresentou um padrão bastante satisfatório de redução da lesão intestinal, bem como uma diminuição do peso úmido, além disso o polissacarídeo em questão, mostrou uma redução significativa de todos os testes bioquímicos avaliados, com ênfase nos marcadores de migração de leucócitos como mieloperoxidase, citocinas pró-inflamatórias e marcadores de estresse oxidativo in vivo. Conclusão: Os resultados apresentados neste estudo permitem concluir que a ação anti-inflamatória do polissacarídeo sulfatado da H. musciformis foi reproduzida satisfatoriamente, revertendo de forma unânime os parâmetros deletérios da colite no modelo de doença inflamatória intestinal, sugerindo desta forma uma forte relação deste polissacarídeo como a inibição do mecanismo de migração celular por mitigar o aporte de citocina pró-inflamatórias e diminuir o estresse oxidativo nos locais da lesão, isto permite sugerir este polissacarídeo como um potente candidato ao tratamento de pacientes com doença inflamatória intestinal.


 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1690196 - ANDRE LUIZ DOS REIS BARBOSA
Externo ao Programa - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Externo ao Programa - 1979277 - KARINA OLIVEIRA DRUMOND
Notícia cadastrada em: 12/02/2016 08:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 21:17