Notícias

Banca de DEFESA: EMANUEL AIRTON DE OLIVEIRA FARIAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUEL AIRTON DE OLIVEIRA FARIAS
DATA: 24/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ CMRV
TÍTULO:

Desenvolvimento e caracterização de filmes Layer-by-Layer à base de PAni e polissacarídeos de algas para aplicações em sensores eletroquímicos


PALAVRAS-CHAVES:

PALAVRAS-CHAVES: agar; carragenana; Polianilina; automontagem; Layer-by-Layer; sensores eletroquímicos de cromo VI; Nanopartículas de ouro;

 


PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Este trabalho teve como objetivo o desenvolvimento e caracterização de filmes Layer-by-Layer à base de Polianilina (PANI), intercalada com polissacarídeos regionais para aplicações em sensores eletroquímicos. A PANI é um polímero condutor ambientalmente compatível que tem despertado enorme interesse devido às suas propriedades eletroquímicas, anticorrosivas e eletrocrômicas. Numa primeira etapa desta pesquisa, a PANI foi intercalada com a carragenana e o agar, ambos extraídos de algas vermelhas, e estudou-se as propriedades eletroquímicas (Voltametria Cíclica - VC), espectroscópicas (espectroscopia na região do UV-Vis) e morfológicas (microscopia de força atômica - AFM) desses filmes. Por VC observou-se que tanto a carragenana quanto o agar melhoraram a estabilidade eletroquímica da PANI em meio ácido devido a um efeito antioxidante. Além disso, a carragenana e o agar melhoraram a adsorção da PANI nos substratos utilizados, auxiliando ainda numa melhor estruturação dos filmes. Os resultados obtidos por AFM mostraram que os filmes de agar/PANI e carragenana/PANI crescem cerca de aproximadamente, 7nm e 8nm, respectivamente, por bicamada adsorvida. Após caracterização, os filmes de agar/PANI foram aplicados na detecção do Cr(VI), um metal muito tóxico mesmo a baixas concentrações. O LD (limite de detecção) e o LQ (Limite de quantificação) calculados foram de 2,48 µmol L-1 e 7,51 µmol L-1, respectivamente. Numa segunda etapa deste estudo, o mesmo polímero condutor (PANI) foi intercalado com nanopartículas de ouro estabilizadas com a carragenana (carr-AuNPs). Os filmes de PANI e carr-AuNPs foram adsorvidos em eletrodos flexíveis de ouro (EFAu) e caracterizados por VC, UV-Vis e AFM. Neste estudo observou-se que as nanopartículas produzidas melhoraram a estabilidade eletroquímica e condutividade da PANI em meio neutro (PBS, pH 7,1), quando intercaladas em conjunto. O filme de EFAu/PANI/carr-AuNPs mostrou-se promissor para aplicações em biossensores.

 

 



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2549060 - CARLA EIRAS
Externo à Instituição - JANICIARA BOTELHO SILVA - IFPI
Externo à Instituição - MÁRCIA VALÉRIA SILVA LIMA - IFPI
Notícia cadastrada em: 12/02/2016 08:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 20:49