Notícias

Banca de DEFESA: TEREZA CRISTINA DE CARVALHO SOUZA GARCES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TEREZA CRISTINA DE CARVALHO SOUZA GARCES
DATA: 10/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE REUNIÕES DO CMRV
TÍTULO:

Caracterização Molecular de Dengue virus Circulantes e Investigação de Flavivírus Emergentes no Estado do Piauí.


PALAVRAS-CHAVES:

Flavivirus, Dengue virus, Sequenciamento, Piauí.


PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Os arbovírus são vírus transmitidos por vetores artrópodes e podem infectar seres humanos e animais. Estes vírus constituem um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, resultando em elevadas taxas de morbidade e mortalidade. Produzem diferentes manifestações clínicas, que variam de doença febril a formas graves, incluindo alterações hemorrágicas e neurológicas. Em 2015, nove arbovírus que causam doenças em humanos tem circulado no Brasil, entre eles destacam-se o Dengue virus (DENV), West Nile virus (WNV) e Saint Louis encefalite virus (SLEV) e recentemente a emergência do Zika virus (ZIKV) e Chikungunya virus (CHIKV) causando doenças exantemáticas, tem dificultado o diagnóstico laboratorial destes arbovírus. O objetivo desse trabalho é detectar através de métodos moleculares os Flavivírus associados a doenças exantemáticas e caracterizar geneticamente os sorotipos do Dengue virus, circulantes no estado do Piauí durante o período de 2014-2015. Foram analisadas 114 amostras de soro e 14 amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR) de pacientes com suspeita clínica de dengue ou outras arboviroses cedidas por laboratório públicos e privados, localizados no estado do Piauí. O RNA viral (vRNA) foi extraído e convertido em cDNA, através da técnica de Transcrição Reversa (RT) com o uso de iniciadores aleatórios. Na amplificação dos produtos foram analisadas três regiões de interesse distintas: os genes C/prM, E e NS5, em seguida quatro amostras de pacientes com sinais e sintomas de gravidade foram purificadas e sequenciadas pelo método de Sanger (1977), as sequências obtidas foram alinhadas e comparadas quanto ao grau de identidade com sequências depositadas no GenBank. Uma árvore filogenética foi construída através do programa Mega v.6.0, por análise de Máxima Verossimilhança a partir do gene E, que possui altas taxas de recombinação, resultando no surgimento de variantes a partir de genótipos e linhagens, que podem estar associados ao desenvolvimento de formas graves, e análises dessa região permitem acompanhar a evolução viral. O gene NS5 consiste em uma região altamente conservada entre os Flavivírus, o que permite monitorar a sua inserção em determinada região geográfica. Das amostras analisadas por RT-PCR, 22 amostras de soro foram positivas e as do líquido cefalorraquidiano (LCR) não amplificaram. Este estudo identificou a circulação dos sorotipos DENV 1, DENV 2 e DENV 3 no Piauí, o que reflete a situação de hiperendemicidade no estado. Análises filogenéticas do DENV 1 confirmaram a circulação do genótipo V, que é o único descrito no Brasil até o momento e encontra-se distribuído nas Américas, África ocidental e Ásia. Essas análises indicam a detecção de duas linhagens distintas: linhagem 1 (PI-279), que corresponde a isolados da Venezuela, Colômbia e do Brasil e a linhagem 6 (PI-52), que inclui amostras isolada das Ilhas Virgens e a maioria das amostras Brasileiras. Essa relação com países da América Latina, reforça a hipótese que estes vírus possam ter sido introduzido no Brasil através da rota Caribenha, a qual é conhecida como uma importante via de entrada de novos vírus na América do Sul, incluindo o Brasil. A partir da cocirculação dos diferentes arbovírus, entre eles o quatros sorotipos do DENV, o WNV associado a primeira infecção em humanos no país em 2014 e o ZIKV responsável por um surto de doenças exantemáticas no Nordeste Brasileiro em 2015, o nosso grupo de pesquisa padronizou uma RT-PCR para detecção de ZIKV, DENV 1-4 e SLEV a partir de regiões do gene E e NS5. Estudos complementares baseados no diagnóstico diferencial de arbovírus associados a doenças exantemáticas e caracterização molecular dos Flavivírus circulantes são essenciais para o estabelecimento de medidas preventivas em regiões hiperendêmicas, como o estado do Piauí.



MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Presidente - 1772764 - GUSTAVO PORTELA FERREIRA
Externo ao Programa - 1979277 - KARINA OLIVEIRA DRUMOND
Notícia cadastrada em: 08/03/2016 09:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 30/11/2022 20:36