Notícias

Banca de DEFESA: RODRIGO ELISIO DE SÁ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGO ELISIO DE SÁ
DATA: 14/02/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Remoto
TÍTULO: VITAESTERÓIDES OBTIDOS DE Acnistus arborescens APRESENTAM POTENCIAL ANTICÂNCER E EFEITOS INIBITÓRIOS NOS PROCESSOS METASTÁTICOS IN VITRO E IN SILICO
PALAVRAS-CHAVES: Anticâncer; Citoesqueleto; Hibridização molecular; Movimento celular; Viabilidade celular; Vitanolídeos.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

O câncer é considerado uma doença de caráter mutacional, multifatorial e proliferativa, em que as
células anormais possuem crescimento descontrolado com alto potencial invasivo. A metástase
representa o maior problema para o tratamento do câncer e é a principal causa de morte de pacientes
com câncer. Desse modo, é evidente a importância da busca por novas fontes de terapias antitumorais
e antimetastáticas, que muitas vezes têm sido encontradas no reino vegetal. Assim, este trabalho teve
como objetivo determinar o perfil citotóxico de vitanolídeos em células tumorais e não tumorais, bem
como investigar o efeito inibitório do Vita A9 nos processos envolvidos na metástase, utilizando
ensaios in vitro e in silico. Inicialmente, seis vitanolídeos isolados da espécie Acnistus arborescens
foram testados frente a cinco linhagens de células tumorais e duas linhagens não tumorais. Através do
teste de MTT, após 72 h de tratamento, foi observado que quatro amostras obtiveram valores de CI50
que variaram de 0,3 a 2,52 μM em células tumorais e 0,65 a 3,50 μM em células não tumorais. Diante
dos resultados, as amostras Vita A8 e Vita A9 foram escolhidas para prosseguir com os testes na
linhagem MDA-MB-231, que apresenta um perfil agressivo e capacidade de formar metástase.
Inicialmente foi determinado o índice de seletividade comparando os valores de CI50 das linhagens
MDA-MB-231e MCF-10A, após 24 e 48 horas de tratamento. O Vita A9 apresentou maior índice de
seletividade, sendo então escolhido para dar continuidade aos estudos. A fim de avaliar o perfil de
reversibilidade, foi realizado um protocolo de exposição intermitente ao Vita A9 por 6, 12, 24 e 48 h

seguido de incubação em meio sem amostra até o tempo final de 72 h, utilizando células MDA-MB-
231, pelo método do MTT. Um tratamento de pulso da molécula Vita A9 por 6 horas foi suficiente

para reduzir significativamente a viabilidade celular medida após um tempo total de incubação de 72 h.
Para os demais testes, definiu-se as concentrações sub-citotóxicas de 0,06 e 0,6 μM do Vita A9 a partir
dos resultados de CI50 após 72 horas de tratamento para dar continuidade ao estudo. Através do ensaio
clonogênico foi possível observar que a amostra diminuiu a área de colônias, após 12 horas de
tratamento, com percentual da área de colônia de 181 cm e 141 cm após tratamento nas concentrações
de 0,06 μM e 0,6 μM, respectivamente. Por meio de microscopia óptica, após 48 horas de tratamento,
foi possível observar perda de interações célula-célula e alterações na morfologia celular. Constatou-se
que nas concentrações testadas, o Vita A9 foi capaz de inibir de forma significativa a migração e
adesão celular quando comparada ao controle negativo, após 48 horas de exposição. Tais resultados
corroboraram com análises realizadas através da Microscopia de Força Atômica, onde foram
observadasmudanças na morfologia celular, com diminuição das filopodias e aumento na rugosidade
média celular de 70,66 nm e 71,70 nm para as concentrações de 0,06 μM e 0,6 μM, respectivamente,
ao passo que o controle negativo apresentou valor de 49,92 nm. Por meio de docagem molecular foi
possível observar melhor afinidade do Vita A9 com a vimentina e a metaloproteinase 9, com energia
de ligação igual a -9,96 kcal.mol-1 e -9,8 kcal.mol-1, respectivamente. Os resultados do ensaio de
Western blot mostraram uma ativação de Akt independente de PI3K, com consequente diminuição de
p-Akt. Assim, foi possível demonstrar o potencial citotóxico de quatro vitaesteróides, e que o Vita A9
inibe etapas importantes do processo metastático. No entanto, mais estudos devem ser realizados para
desvendar o mecanismo pelo qual o composto inibe os eventos migratórios e adesivos nos processos
metastáticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Externo ao Programa - 3107513 - DALTON DITTZ JUNIOR
Externo à Instituição - LETÍCIA VERAS COSTA LOTUFO - USP
Notícia cadastrada em: 02/02/2022 08:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 06/12/2022 03:38