Notícias

Banca de DEFESA: GABRIELLA LINHARES DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELLA LINHARES DE ANDRADE
DATA: 28/03/2022
HORA: 14:00
LOCAL: remoto
TÍTULO: Avaliação do efeito das proteínas do látex de Plumeria pudica na mucosite intestinal induzida por 5-fluorouracil em camundongos
PALAVRAS-CHAVES: Citotoxicidade; efeito protetor; estresse oxidativo; inflamação.
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O látex é um fluido de aspecto leitoso produzido por diferentes plantas através de
células especializadas chamadas de laticíferos. Este é conhecido por possuir uma ampla
e variada composição química, na qual apresenta a capacidade de promover diversas
ações farmacológicas benéficas ao ser humano, tornando o látex matéria-prima em
potencial para aplicação biotecnológica. A espécie Plumeria pudica é uma planta
produtora de látex, na qual após a coleta, diálise e liofilização do material se obtém uma
fração rica em proteínas (PLPp), apresentando potencial anti-inflamatório,
antinociceptivo e antidiarreica, bem como efeito redutor da periodontite e protetor na
colite ulcerativa. Diante destas informações e sabendo que a mucosite intestinal é uma
condição patológica caracterizada pela inflamação e ulceração da mucosa que reveste o
trato alimentar, ocasionada pelo uso do quimioterápico 5-fluorouracil (5-FU), o presente
trabalho tem como objetivo avaliar os efeitos de PLPp na mucosite intestinal induzida
por 5-FU em camundongos. Para o modelo experimental, camundongos fêmeas Balb/c
foram divididos em grupo salina, 5-FU e PLPp + 5-FU, com a análise ponderal
realizada durante todo o experimento. Os animais foram submetidos à indução da
mucosite através da administração do 5-FU dividido em 3 doses de 50 mg/kg (uma dose
por dia) via intraperitoneal (i.p.) e tratados com PLPp na dose de 40 mg/kg (i.p.)
solubilizada em salina 1 hora antes de cada administração do quimioterápico,
totalizando 3 dias de tratamento. Após a eutanásia dos camundongos foi retirado o
intestino delgado para realização da análise histopatológica e morfométrica, avaliação
do estresse oxidativo a partir do malondialdeído (MDA), glutationa (GSH) e superóxido
dismutase (SOD), e análise dos parâmetros inflamatórios de mieloperoxidase (MPO),
nitrito/nitrato (NO 3 /NO 2 ) e citocinas (TNF-α e IL-β). Paralelamente, foi avaliada a
citotoxicidade in vitro de PLPp e em associação ao 5-FU. Verificou-se que os animais
tratados com a fração proteica não apresentaram alteração na massa ponderal em
comparação ao grupo 5-FU, entretanto, tiveram os índices de MDA, GSH e SOD
preservados. Observou-se também que PLPp atuou na inflamação diminuindo MPO e
NO 3 /NO 2 , mas não observada melhora nas alterações histopatológicas. Os dados dos
ensaios in vitro apontaram que PLPp não apresentou citotoxicidade a linhagem celular
testada e ao ser associada ao 5-FU não foi capaz de reduzir a CI 50 do quimioterápico.
Deste modo, as informações desse trabalho sugerem que PLPp protege a mucosa do
intestino da ação do estresse oxidativo e da inflamação induzido por 5-FU, todavia, a
atividade proteolítica das proteínas pode estar modulando de forma negativa sua
atividade farmacológica.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Presidente - 1789383 - JEFFERSON SOARES DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2140963 - LEONARDO PERES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 17/03/2022 09:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 30/11/2022 21:52