Notícias

Banca de DEFESA: NATÁLIA DA SILVA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NATÁLIA DA SILVA FERREIRA
DATA: 01/12/2023
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do PPGQ/UFPI
TÍTULO: Ação anticorrosiva de compósitos PANI-Zn sulfonada aplicadas em resinas epóxi para proteção da liga AA6061-T651
PALAVRAS-CHAVES: PAni, Zinco, Corrosão, resina epóxi, anticorrosiva
PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Eletroquímica
RESUMO:

A corrosão é um processo espontâneo que gera gastos exorbitantes de dinheiro e de tempo. Então, visando a proteção de ligas metálicas, estudam-se a possibilidade da aplicação da resina epóxi por conta de sua boa capacidade de aderência ao substrato metálico. Entretanto, por ser porosa e frágil, torna-se prático e eficiente, a incorporação de componentes anticorrosivos na resina. Baseando nisto, este projeto visa utilizar a PANI ou compósito de PANI-Zinco como componente anticorrosivo no epóxi para proteger a liga AA6061-T651 do processo de corrosão. Para isto, foram sintetizados compósitos de PANI pura e dopados com zinco, em diferentes proporções, e os incorporaram na resina epóxi, para verificar a performance anticorrosiva sobre o AA6061-T651. Os compósitos de PANI e PANI-Zn (com 1, 2 e 4% de Zinco em g/ g de anilina) foram sintetizados por polimerização química utilizando peróxido de hidrogênio e ácido sulfúrico, como agente oxidante e dopante, respectivamente, em temperatura ambiente. Para misturar em resina epóxi, os compósitos lavados e secos foram dissolvidos em etanol/NMP (1:1) e, após esta mistura, adicionou-se o agente endurecedor de base poliamina até ficar completamente azul. Revestiu-se os eletrodos lixados e limpos e posto em repouso por 7 dias, a temperatura ambiente, finalizando a cura com aquecimento a 70 °C, no último dia, por 1 hora. Foram realizadas caracterizações como FTIR, UV-Vis, DRX e XPS nos compósitos PANI e PANI-Zn (1, 2 e 4%). Além disto, foram realizadas análises microscópicas dos compósitos e dos revestimentos. Em vista de determinar a sua performance anticorrosiva, foram realizadas medidas de potencial de circuito aberto (PCA), espectroscopia de impedância eletroquímica (EIE) e curvas de polarização. Como resultado, os espectros da região infravermelho e do UV-Vis confirmaram a síntese da PANI, especificamente no estado sal de esmeraldina. Além disto, o resultado de FTIR demonstrou que a cadeia da PANI apresenta grupos sulfonados devido à dopagem com H2SO4 e grupos sulfatos dos sais utilizados na síntese. Porém, ao realizar o espectro do XPS, foram observadas que somente a PZn2 se encontra no estado sal de esmeraldina, enquanto as outras amostras estão no estado intermediário chamado de proto-esmeraldina. Além disto, o XPS demonstrou a presença de zinco nas amostras PZn1, PZn2 e PZn4 comprovando que a quantidade de zinco influenciou na formação de pólarons e dipólarons e por conseguinte, afetou no resultado final na proteção à corrosão. Além destas informações, através do espectro de DRX, foram demonstradas que os compósitos são semicristalinos, sendo a PZn1 o compósito com tendência mais amorfa, enquanto PANI e PZn4 possuem um caráter mais cristalino. Entretanto, este caráter diminui a estabilidade térmica do material e o leva a se degradar em temperatura mais baixas. Olhando para estas características e aplicando os compósitos na produção de revestimentos de epóxi, foi observado a formação de uma camada fina, na escala micro (µ), porém rígida, de cor azulada, devido à desdopagem pelo agente endurecedor. Pela análise eletroquímica, a quantidade de 2% (g/g) de zinco em relação à anilina demonstrou uma performance anticorrosiva mais eficiente, devido à proteção por barreira, proteção anódica e, até mesmo, proteção catódica. Com isto, o revestimento de E-PZn2 pode ser considerado uma opção de baixo custo, ambientalmente favorável e eficiente para proteção das ligas AA6061-T651


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1998602 - EVERSON THIAGO SANTOS GERONCIO DA SILVA
Presidente - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Externo à Instituição - LUCYANO JEFFERSON ALVES DE MACEDO - LNLS
Externo ao Programa - 025.153.433-25 - RAFAEL MARINHO BANDEIRA - USP
Externo à Instituição - REJANE MARIA PEREIRA DA SILVA - UESPI
Notícia cadastrada em: 13/11/2023 09:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 17/06/2024 19:54