Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SUELY MOURA MELO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SUELY MOURA MELO
DATA: 01/09/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Química/UFPI
TÍTULO:

Sensor eletroquímico para detecção do organismos geneticamente modificados: detecção do promotor P35S


PALAVRAS-CHAVES:

Sensor eletroquímico. Genosensor.  P35S. CaMV 


PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

A demanda por alimentos seja por aumento populacional seja para alimentar populações carentes, e a existência de limitações de terras cultiváveis, exige que se tenha cada vez mais produtividade dos cultivares. Essa produtividade pode ser alcançada pelo uso de plantas transgênicas. Os produtos dessas lavouras precisam ser controlados e são regulados por Legislação Federal quanto ao teor de transgênico. O Brasil em sua legislação, Atos do Poder Executivo de 24 de abril de 2003, Decreto número 4680 preconiza até 1,2% de transgênico, enquanto que a União Europeia tem seus padrões estabelecidos nas legislações da “Comission Regulation” números 1829/2003 e 1830/2003. Na Legislação Europeia, o produto que contém algum organismo geneticamente modificado, autorizado, pode estar acima de 0,9% com a obrigatoriedade de receber a denominação “geneticamente modificado” na lista de ingredientes. A detecção de Organismos Geneticamente Modificados (GMOs) é uma das mais importantes necessidades dos consumidores a fim de resguardar sua saúde, e nas indústrias para obedecer a legislação e a qualidade desses produtos alimentícios. O promotor “P35S” é uma sequência procedente do vírus do mosaico da couve flor, amplamente encontrado em produtos transgênicos sendo o gene de maior expressão normalmente insertado e expresso como MON 810. A especificidade do ensaio depende de dois pilares: a amplificação isotérmica do DNA dirigida por primers específicos, acoplado a produtos de hibridização por HDA com sondas específicas de captura e indicadora. Os genosensores fornecidos foram detectados por técnicas eletroquímicas mesmo com alguma dificuldade. O método requer um equipamento simples e acessível para detecção em campo.  Isso pode ser vantajosamente aplicado para a detecção específica de pequenas quantidades de biomarcadores de ácidos nucleicos em análises diagnósticas, ambientais e alimentares. O sistema que combina HDA e a detectabilidade permite uma detecção do tipo SIM/NÃO de 30 cópias de DNA. O método oferece uma ferramenta versátil para a detecção de DNA com abundância extremamente baixa não apenas para controle de segurança alimentar, mas também para o diagnóstico e controle de áreas ambientais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1553988 - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO
Interno - 247.195.523-15 - FABIO MENDONCA DINIZ - EMBRAPA
Externo ao Programa - 068.464.242-53 - PAULO SARMANHO DA COSTA LIMA - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 18/08/2015 09:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:34