Notícias

Banca de DEFESA: LEONARDO HENRIQUE GUEDES DE MORAIS LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEONARDO HENRIQUE GUEDES DE MORAIS LIMA
DATA: 04/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Leishmanioses do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela
TÍTULO:

DNA barcode: uma ferramenta apropriada para construção de biblioteca molecular de referência e na determinação da relação alimentar Lutzomyia longipalpis-planta em flora tropical urbana.


PALAVRAS-CHAVES:

Genes rbcL e matk; angiospermas; discriminação de espécies; preferência alimentar, flebotomíneos.


PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Clínica Médica
ESPECIALIDADE: Doenças Infecciosas e Parasitárias
RESUMO:

A técnica do DNA barcode consiste na obtenção de curtas sequências de DNA a partir de regiões padronizadas do genoma. Essas sequências, reunidas posteriormente em bibliotecas de referência, podem ser utilizadas em abordagens taxonômicas e filogenéticas, bem como na identificação das relações alimentares entre insetos vetores de doenças e a flora regional. A partir desta proposição, estratégias de paisagismo urbano podem ser implementadas visando a eliminação dos vetores e, assim, controlando a disseminação natural da doença. Dessa forma, o estudo objetivou a montagem de uma biblioteca barcode de referência utilizando os marcadores moleculares matk e rbcL e rbcL-A nas plantas obtidas em Teresina, localizada no nordeste brasileiro. Adicionalmente, foi avaliado o poder de discriminação dos referidos marcadores por meio da utilização de abordagens filogenéticas. Outro foco do estudo foi estabelecer a relação alimentar entre flebotomíneos (Lutzomyia longipalpis) e a flora local. Amostras de 65 espécies de angiospermas, cada uma possuindo, no mínimo, 10 espécimes localizadas no município de estudo, distribuídas em 28 famílias, foram coletadas e processadas para obtenção das sequências gênicas de matk e rbcL. A biblioteca de referência foi montada a partir das sequências obtidas pelos marcadores rbcL, rbcL-A e matk, os quais apresentaram poderes de amplificação de 93.9%, 89.5% e 81.4%, respectivamente. O matk mostrou o melhor poder de discriminação. Entre as árvores filogenéticas construídas, a associação entre matk e rbcl-A mostrou o melhor suporte dos clados. Entretando, o matk sozinho também gerou uma árvore consistente. A utilização dos três marcadores simultaneamente (rbcL + rbcL-A + matk) não aumentou o poder de discriminação. Quanto à relação alimentar inseto-planta foram coletados 100 flebotomíneos, durante 5 dias e utilizando armadilha luminosa, em uma região urbana contendo 205 espécimes vegetais, distribuídas em 22 espécies e 14 famílias. O DNA total dos dípteros foi extraído e reações de PCR foram realizadas utilizando o gene rbcL. A taxa de amplificação positiva de material vegetal nos insetos foi de 57%. As sequências obtidas foram alinhadas com as contidas na biblioteca de referência anteriormente construída utilizando a ferramenta BLASTN. Adicionalmente, anotou-se o número absoluto de indivíduos para cada espécie encontrada além da distância de cada uma delas para a armadilha dos flebotomíneos. Obteve-se que 94,7% dos vetores alimentaram-se de plantas da família Fabaceae. Não foi observada correlação significativa entre o conteúdo alimentar vegetal identificado nos insetos e a abundância das plantas de cada família, distância média das plantas para a armadilha ou a expansão média da coroa de cada família vegetal. Como conclusão geral obteve-se que o marcador molecular matk constitui uma alternativa adequada para aplicação em estudos taxonômicos e filogenéticos de espécies de angiospermas de áreas tropicais urbanas e que os flebotomíneos mostraram uma preferência alimentar pela família Fabaceae em ambiente urbano.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1750318 - ANA PAULA PERON
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo ao Programa - 2128442 - FELIPE CAVALCANTI CARNEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - VALDIR DE QUEIROZ BALBINO - UFPE
Externo à Instituição - VLADIMIR COSTA SILVA - UFPI
Notícia cadastrada em: 15/02/2016 17:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 08:56