Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: PAULO RONALDO SOUSA TEIXEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO RONALDO SOUSA TEIXEIRA
DATA: 31/05/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Programa de pós-graduação em Ciências Materiais/CT/UFPI
TÍTULO:

Imobilização do Mesocarpo do babaçu (Orbignya phalerata) quimicamente modificado para construção de (bios)sensores com vistas a aplicações biotecnológicas.


PALAVRAS-CHAVES:

mesocarpo de babaçu, anidrido ftálico, filmes LbL, eletroatividade.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

Recentemente, o crescente interesse no desenvolvimento de novos materiais capazes de atuarem como plataformas para o desenvolvimento de sensores e biossensores eletroquímicos, tem impulsionado a busca por materiais naturais, tais como, os biopolímeros, que além de suas propriedades já descritas, também apresentem eletroatividade e estabilidade eletroquímica de forma a possibilitar tais aplicações. O interesse em materiais naturais, como o mesocarpo de babaçu (Orbignya sp) (MB), na preparação de filmes finos chama atenção por se tratar de um material renovável, abundante e de baixo custo, que possui propriedades mecânicas de interesse já relatadas na literatura. No entanto, devido à natureza hidrofóbica do MB, muitas vezes este é submetido a uma modificação química em sua estrutura para torná-lo um produto com propriedades hidrofílicas. Neste estudo , o MB foi quimicamente modificado com anidrido ftálico (MBAF), a fim de facilitar o processamento na forma de filmes finos, e, em seguida, ser possível avaliar suas propriedades electroativas. Após a modificação química, o MBAF foi caracterizado por diferentes técnicas instrumentais tais como FTIR, DRX, TG, Potencial Zeta, VC e MEV, e para efeito de comparação, o MB também foi estudado. Já os filmes finos monocamada de MB e MBAF foram produzidos pela técnica de automontagem do tipo Layer-by-Layer (LbL) e adsorvidos sobre substrato de vidro condutor (ITO). Os resultados obtidos pela técnica eletroquímica de voltametria cíclica (VC) mostraram que tanto o MB quanto o MBAF são materiais naturalmente eletroativos e que podem ser utilizados na construção plataformas sensoras, sem a necessidade de serem conjugados com outros materiais também eletroativos. Adicionalmente, a modificação química realizada no MBAF melhorou a reversibilidade e estabilidade eletroquímica do processo redox característico do biopolímero nas condições experimentais empregadas. Diante do que foi exposto, o presente estudo objetiva a modificação do MB com anidrido ftálico MBAF, a ser utilizado na forma de filmes finos, visando o desenvolvimento de uma nova plataforma com potencial para aplicação em sensores eletroquímicos. Para analisar a originalidade do trabalho, um estudo de prospecção científica e tecnológica foi realizado nas bases científicas Web of Science, Scopus e Scielo, e nos bancos de patentes do Instituto Nacional de Propriedade Industrial - INPI, Escritório Europeu de Patentes - Espacenet e Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos – USPTO, demonstrado que o uso do MB na formação de filmes finos do tipo LbL para o desenvolvimento de um sensor eletroquímico para a detecção de neurotransmissores, é algo inovador, visto que não foi encontrado nada na literatura com abordagem semelhante.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2296591 - ALESSANDRA BRAGA RIBEIRO
Externo ao Programa - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Notícia cadastrada em: 10/05/2016 10:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:03