Notícias

Banca de DEFESA: ROOSEVELT DELANO DE SOUSA BEZERRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROOSEVELT DELANO DE SOUSA BEZERRA
DATA: 17/06/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do PPGCM
TÍTULO:

Biomateriais Derivados da Celulose para a Aplicação na Adsorção/Dessorção do Fármaco Amitriptilina de Meio Aquoso.


PALAVRAS-CHAVES:

Celulose, modificação, Amitriptilina, Adsorção, Dessorção


PÁGINAS: 248
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Orgânica
ESPECIALIDADE: Polímeros e Colóides
RESUMO:

Este Trabalho foi realizado com o biopolímero natural celulose, ele foi modificado quimicamente para a aplicação na adsorção/dessorção do fármaco amitriptilina (AMI) de meio aquoso. A celulose pura e seus derivados foram caracterizados por diferentes técnicas de caracterizações, tais como: IV, DRX, TG/DTG/DSC, MEV, EDS e RMN 31P. A celulose foi modificada pelos seguintes procedimentos sintéticos: (I) modificação com trimetafosfato de sódio, biomaterial PC (6,82% de fósforo incorporado); (II) modificação com ácido fosfórico e tripolifosfato de sódio na presença de ureia, biomaterial CP (7,30% de fósforo incorporado); (III) modificação com (3-aminopropil)trimetoxisilano na ausência de solvente, biomaterial CSiN (8,16% de silício e 0,48% de nitrogênio incorporados) e (IV) modificação com etilenodiamina na ausência de solvente, biomaterial CN (1,10% de nitrogênio incorporado).  O biomaterial puro e seus derivados foram aplicados em estudos de adsorção (variando tempo, pH, temperatura, concentração e força iônica) e dessorção (variando pH e tempo) do fármaco AMI de meio aquoso. Por fim, os dados experimentais foram ajustados a diferentes modelos físico-químicos de cinéticos, isotermas e termodinâmicos. Os resultados destes experimentos mostraram que os biomateriais modificados apresentam uma capacidade de adsorção da AMI superior ao biomaterial puro, onde a temperatura de 298 K o biomaterial puro apresentou uma capacidade máxima de adsorção de qe = 20,23 ± 0,80 mg g-1em pH 5, o biomaterial PC em pH 7 de qe= 41,02 ± 0,68 mg g-1, o biomaterial CP em pH 7 de qe = 40,52 ± 0,72 mg g-1, o biomaterial CSiN em pH 7 de qe = 57,56 ± 1,31 mg g-1 e do biomaterial CN em pH 7 de 57,31 ± 1,00 mg g-1. Diante disso, os biomateriais modificados se mostraram promissores para a sua utilização como suportes para a adsorção/dessorção de fármacos com estrutura química semelhante a AMI.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2296591 - ALESSANDRA BRAGA RIBEIRO
Interno - 2549060 - CARLA EIRAS
Presidente - 1553988 - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO
Interno - 756.483.183-91 - GERALDO EDUARDO DA LUZ JUNIOR - UESPI
Externo à Instituição - HERNANE DA SILVA BARUD - UNESP
Notícia cadastrada em: 02/06/2016 09:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 23:07