Notícias

Banca de DEFESA: DAVID FERNANDES LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAVID FERNANDES LIMA
DATA: 08/07/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Campus de Parnaíba
TÍTULO:

Prospecção tecnológica, perfil químico sazonal de alcaloides imidazólicos, aspectos polimórficos moleculares e morfológicos de Pilocarpus microphyllus Stapt ex Wardleworth (Jaborandi)


PALAVRAS-CHAVES:

Pilocarpus microphyllus, jaborandi, sazonalidade, alcaloides, prospecção tecnológica, pilocarpina, epiisopiloturina.


PÁGINAS: 125
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O presente estudo descreve a sazonalidade dos alcaloides imidazólicos da espécie Pilocarpus microphyllus (Jaborandi) cultivada no estado do Piauí, Brasil, com foco na utilização como matéria-prima para o isolamento de fitofármacos pela indústria farmoquímica nacional. O Capítulo I apresenta breve revisão sobre o gênero Pilocarpus e a espécie P. microphyllus e seus principais alcaloides. No Capítulo II a prospecção tecnológica destaca a importância da espécie devido ao uso do alcaloide pilocarpina (PIL) no tratamento do glaucoma e xerostomia e abre perspectivas para aplicação biotecnológica dos alcaloides secundários. A base Web of Science para gênero Pilocarpus resultou em 56 artigos e para a espécie P. microphyllus 17 entre 1993 a 2012. O Brasil se destaca com a publicação de 16 artigos, no entanto na busca por patentes o Japão lidera na proteção refletindo a falta de cultura no Brasil de patentear tecnologias. O capítulo III apresenta a patente: processo de extração, purificação e isolamento do alcaloide epiisopiloturina (EPI), submetida  INPI/ BR 102012 0183013, co-titularidade UFPI e Anidro S.A. O capítulo IV apresenta a sazonalidade dos alcaloides, PIL e EPI, em três populações (AM01, AM02 e AM03) cultivadas durante um ano. Os resultados evidenciaram PIL como principal alcaloide e o teor diferindo entre as populações em todos os meses, exceto setembro. O grupo jaborandi linha verde (AM01) apresentou um alto teor de PIL em comparação com jaborandi linha tradicional (AM02 e AM03), que tiveram teores semelhantes. O teor de PIL diminuiu gradualmente nas três populações no período chuvoso. Quanto ao teor de EPI, AM01 apresentou significativamente menor teor em todos os meses, demonstrando não ser a melhor variedade para a extração do alcaloide promissor EPI contra a esquistossomose. Marcadores ISSR e análise morfológica separaram claramente as populações, em concordância com resultados das análises químicas. No Capítulo V verificamos o perfil químico sazonal e quantificação dos alcaloides secundários, epiisopilosina, pilosina, isopilosina e macaubina presentes na espécie cultivada e a avaliação do perfil cromatográfico e quantificação de todos os alcaloides imidazólicos em populações nativas no estado do Piauí.   Em conclusão, este estudo evidencia pela primeira vez a correlação entre os estudos químicos com os alcaloides imidazólicos e os marcadores polimórficos moleculares e morfológicos de P. microphyllus cultivado no estado do Piauí, destacando os benefícios potenciais de uma abordagem multidisciplinar com o objetivo de fornecer subsídios à indústria para seleção de possíveis variedades de interesse medicinal e conservação das populações nativas.  

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2549060 - CARLA EIRAS
Externo ao Programa - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Interno - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Interno - 1551921 - GIOVANNY REBOUCAS PINTO
Presidente - 1553559 - JOSE ROBERTO DE SOUZA DE ALMEIDA LEITE
Notícia cadastrada em: 13/06/2016 17:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 03:35