Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: INES MARIA DE SOUZA ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INES MARIA DE SOUZA ARAUJO
DATA: 29/09/2016
HORA: 14:30
LOCAL: NUPCelt/UFPI/Teresina
TÍTULO:

Desenvolvimento de Membranas de Celulose Bacteriana e Nanopartículas Metálicas para aplicações Biomédicas.


PALAVRAS-CHAVES:

celulose bacteriana, síntese hidrotermal, nanopartículas de cobre. 


PÁGINAS: 42
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

A Celulose Bacteriana (BC) é um biopolímero obtido em um processo de crescimento de bacteris. A CB tem sido objeto de estudo em diversos trabalhos, tanto na produção quanto na aplicação. Entre as aplicações destaca-se as da área médica e correlatas. A (CB) foi obtida em condições de laboratório no processo de desenvolvimento de colônias da bactéria Gluconacetobacterhansenii, (linhagem ATCC 23769), em meios de culturas ricos em carbono e nitrogênio. A CB é um biopolímero natural obtido com alto grau de pureza, livre de lignina e hemicelulose. Pode ser obtida em forma de filmes em meio estático ou em micropartículas sob agitação. Esse material pode ser aplicado na área médica em diversas situações. Entretanto, por não possuír atividade antimicrobiana, apresenta limitações. Os filmes de CB podem ser aplicados para adsorção de metais, na forma de íons, ou reduzidos, como óxidos e/ou nanopartículas metálicas. Entre os metais, destaca-se o cobre para aplicação como bactericida. As nanopartículas de cobre, sobre CB, foram obtidas pelo processo Hidrotermal. Utilizou-se a técnica hidrotermal a uma temperatura de 150 °C, por um período de tempo de 3, 6, 24 e 48 horas. Os filmes obtidos, nestas condições,foram caracterizados por técnicas de FTIR, MEV, AFM, DRX e TG, e ainda foram aplicados na forma de filmes em testes bactericidas para os micro-organismos E. coli, Staphylococcus aureus e Salmonella, pela técnica de difusão em disco. Os filmes de BC submetidas a síntese hidrotermal (SH), apresentam coloração de branco (solução sem metal) a negro (solução com cobre). As amostras de BC, submetidas a síntese hidrotermal, sofreram diferentes reações em função do tempo de cozimento, e as amostras apresentaram cobre disperso, sem perda de estrutura até amostras degradadas. A degradação pode ser observada nos espectros de FTIR por variação na banda atribuída a estiramentos de OH (3344 cm-1), e a banda referente a formação de duplas ligações (1340 cm-1). As Micrografias mostram a estrutura da CB em forma de redes entrelaçadas, com muitos espaços vazios. Algumas diferenças podem ser observadas entre a celulose antes e após a síntese hidrotermal.Nas análises de AFM pode-se confirmar a distribuição das partículas de cobre e o adensamento da celulose com perda de seus poros. Nas análises de DRX verifica-se que a cristalinidade inicial da celulose bacteriana foi reduzida. Nas amostras submetidas à síntese hidrotermal, identifica-selinhas espectrais das faces cristalinas de cobre. As análises de TG indicam que a medida que ocorre o aumento do tempo de cozimento, ocorre degradação da celulose com perda de massa acentuada em temperaturas inferiores as que ocorrem na amostra de celulose pura. Essas características indicam a presença do cobre quando o resíduo final da análise de TG aumenta. As amostras das várias sínteses foram submetidas ao teste de difusão de disco mostrando excelentes atividades bactericidas para os micro-organismos testados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Interno - 1167321 - MARIA RITA DE MORAIS CHAVES SANTOS
Notícia cadastrada em: 09/09/2016 15:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 05/10/2022 00:09