Notícias

Banca de DEFESA: PATRICK VERAS QUELEMES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRICK VERAS QUELEMES
DATA: 25/11/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do NUPCelt/CCA - Teresina-PI
TÍTULO: Quaternização da goma de cajueiro para aplicação como biomaterial antiestafilocócico – Caracterização química, atividade antibacteriana e biocompatibilidade celular
PALAVRAS-CHAVES: Goma de cajueiro; quaternização; antibacteriana; Staphylococcus spp.; biocompatibilidade.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

A goma de cajueiro (GC) é um heteropolissacarídeo aniônico natural com potencial uso na indústria farmacêutica e alimentícia, além de promissora aplicação em (nano)biotecnologia. Alterações químicas na estrutura desse polímero vêm sendo executadas no intuito de se obterem novas propriedades, no entanto, ainda não foram realizadas modificações por introdução de grupos funcionais com objetivo de torná-la catiônica, o que poderia alterar, por exemplo, suas atividades farmacológicas, como a antimicrobiana. Este trabalho objetiva modificar quimicamente a GC por reação de quaternização, avaliar o efeito da goma de cajueiro quaternizada (GCQ) sobre bactérias do gênero Staphylococcus, bem como sua biocompatibilidade celular. Para a produção de três derivados quaternizados de goma de cajueiro (derivados GCQ), adicionou-se a uma solução de GC, cloreto de trimetilamônio e hidróxido de sódio, em três diferentes proporções de razões molares. Após uma reação de 14 h sob aquecimento em banho-maria; ajustou-se o pH e procedeu-se a precipitação de cada goma modificada utilizando-se acetona, seguindo-se por diálise e liofilização. Os derivados obtidos (GCQ-1, GCQ-2 e GCQ-3) foram caracterizados por: espectroscopia na região de infravermelho, análise elementar, potencial Zeta e espectroscopia de ressonância magnética nuclear 2D (correlação heteronuclear 1H−13C). Também foi calculado o grau de substituição do grupo químico introduzido na estrutura desses modificados. A atividade antiestafilocócica dos derivados GCQ foi avaliada pela determinação das concentrações inibitórias e bactericidas mínimas (CIM e CBM) e por microscopia de força atômica. A biocompatibilidade sobre eritrócitos, queratinócitos e fibroblastos também foi verificada, por meio dos testes de hemólise e de citotoxicidade. Os métodos de caracterização selecionados para este estudo confirmaram a modificação da GC. Os três derivados GCQ apresentaram promissora atividade antiestafilocócica, com potência crescente relacionada ao aumento do grau de substituição do grupamento amônio quaternário introduzido na estrutura da goma. Destacou-se, por exemplo, o efeito do derivado GCQ-3 sobre uma linhagem de S. aureus resistente à meticilina, com obtenção de CIM em valor de 31,25 μg/mL e CBM igual a 62,5 μg/mL. Os derivados GCQ também apresentaram biocompatibilidade sobre as células testadas, sugerindo, deste modo, que os mesmos possam ser aplicados como ferramenta para o desenvolvimento de biomateriais com ação antisséptica.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2549060 - CARLA EIRAS
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Interno - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Externo ao Programa - 1313503 - HUMBERTO MEDEIROS BARRETO
Presidente - 1553559 - JOSE ROBERTO DE SOUZA DE ALMEIDA LEITE
Externo à Instituição - KATHERINE ATHAYDE TEIXEIRA DE CARVALHO - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 21/11/2016 11:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 04:29