Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CAROLINA MACHADO LEODIDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINA MACHADO LEODIDO
DATA: 01/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Campus Ministro Reis Veloso - Parnaíba/PI
TÍTULO: Avaliação pré-clinica de uma fração polissacarídica sulfatada obtida da alga marinha Gracilaria intermedia (J Agardh) como candidata a fármaco para o tratamento de doenças diarreicas agudas
PALAVRAS-CHAVES: Gracilaria, Rhodophyta, Polissacarídeos sulfatados, Cólera, Escherichia coli.
PÁGINAS: 154
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Biomedicina
RESUMO:

A crescente procura por moléculas com potencial terapêutico tem despertado interesse cada vez maior por artigos científicos e patentes envolvendo organismos de origem marinha. O presente estudo teve como objetivo investigar o potencial terapêutico e biotecnológico de uma fração polissacarídica sulfatada extraída da alga Gracilaria intermedia (PLS-Gi) no tratamento da diarreia aguda. No capítulo I, a prospecção tecnológica destacou as atividades biológicas descritas para polissacarídeos, com especial enfoque em suas aplicações nas doenças diarreicas. De modo geral, os resultados obtidos nas buscas realizadas em bancos de patentes e artigos mostraram que pesquisas envolvendo a atividade antidiarreica de polissacarídeos ainda encontram-se restritas aos centros de pesquisas e às universidades, o que reflete o baixo número de patentes encontradas e abre perspectivas para essa nova aplicação biotecnológica. O capítulo II mostrou os resultados obtidos a partir da extração, caracterização estrutural e investigação do efeito antidiarreico, antissecretório intestinal e toxicidade aguda da PLS-Gi em camundongos. O composto obtido pelo método de extração enzimática com papaína apresentou alto rendimento e ausência de contaminação por proteínas. A espectroscopia na região do infravermelho por transformada de Fourier (FTIR)  da PLS-Gi mostrou a presença de agarana com sulfatação nos resíduos de L-galactose. O pré-tratamento com PLS-Gi (3, 10, 30 mg/kg, v.o) reduziu as fezes totais e diarreicas, e o enteropooling. A PLS-Gi (30 mg/kg, v.o.) aumentou a Na+/K+ - ATPase gastrointestinal e reduziu o trânsito intestinal, a partir do bloqueio de receptores colinérgicos, sem interferir no esvaziamento gástrico. No modelo de diarreia induzida pela toxina da cólera (TC), a PLS-Gi diminuiu o fluido intestinal e as perdas de íons Cl- ao interagir com o monossialogangliosídeo (GM1) e a TC. A PLS-Gi reduziu a diarreia induzida por E. coli enterotoxigênica (ETEC) e preveniu a perda de peso dos animais. Contudo, os resultados obtidos pelo método de difusão em ágar mostraram ausência de zona de inibição nas concentrações de 10 e 30 mg/mL,  e sugeriram que essas concentrações de PLS-Gi não exercem atividade antibacteriana frente a E.coli. Além disso, no estudo da toxicidade oral aguda, os animais não exibiram qualquer sinal de efeito adverso após 14 dias de observação, desse modo, estimou-se que o valor da DL50 para a administração oral de PLS-Gi é maior que 2.000 mg/kg, podendo ser enquadrada na Classe 5 segundo o Globally Harmonized System – GHS, demonstrando limitado potencial de toxicidade aguda. Diante dos resultados apresentados, este estudo evidenciou, pela primeira vez, que a PLS-Gi é capaz de diminuir a motilidade intestinal por meio da ação anticolinérgica, e controlar as diarreias induzidas pela TC e toxina produzida pela ETEC por meio da interação entre PLS-Toxina-GM1, reduzindo, assim, a perda de íons e fluidos para o lúmem intestinal. Ademais, a biodisponibilidade, o baixo custo e o caráter atóxico, tornam o PLS-Gi um forte candidato para tratamento de diarreias agudas. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Externo ao Programa - 913.964.335-20 - JOILSON RAMOS DE JESUS - UFBA
Notícia cadastrada em: 29/06/2017 08:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 04:38