Notícias

Banca de DEFESA: KARINNE SOUSA DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KARINNE SOUSA DE ARAÚJO
DATA: 03/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Núcleo Integrado de Morfologia e Pesquisas com Células-tronco (NUPCelt/UFPI)
TÍTULO: REPARAÇÃO ÓSSEA COM UTILIZAÇÃO DE COLÁGENO E COMPOSTOS DE URUCUM (Bixa orellana L.) EM Rattus Norvegicus
PALAVRAS-CHAVES: Bixa orellana. Osso. Colágeno. Espectroscopia Raman.
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Visando a obtenção de biomateriais que favoreçam a reparação óssea, materiais poliméricos biocompatíveis, como o colágeno, têm sido amplamente estudados. Também tem se buscado a utilização de produtos naturais, como os carotenoides (bixina, norbixina, dimetil-b-caroteno) extraídos do urucum, que apresentam efeitos antioxidante e anti-inflamatório. A pesquisa objetivou avaliar a reparação óssea com utilização de enxerto de colágeno associado a compostos extraídos de sementes de urucum (Bixa orellana L.) em modelo experimental na tíbia de Rattus norvegicus. Foram extraídos os compostos das sementes do urucum com KOH 4% e foi determinado o teor dos constituintes químicos majoritários identificados no extrato por cromatografia gasosa acoplada ao espectômetro de massas (CG-EM) após reação de derivatização. Foram utilizados 40 ratos divididos em quatro grupos. Foi produzido defeito ósseo de 2 mm na tíbia. No G1, a ferida óssea foi preenchida com coágulo; G2, com colágeno; G3, com o extrato seco do urucum e no G4, com colágeno/urucum 1:1. Após eutanásia, em 14 e 30 dias, as amostras das tíbias foram encaminhadas para análise histológica e espectroscopia Raman. Obteve-se um extrato seco das sementes de Bixa orellana L. contendo os carotenoides norbixina (26,55%), bixina (25,82%) e dimetil-β-caroteno (4,12%), os quais juntos representam 56,59% dos constituintes identificados pela CG-EM. A análise microscópica demonstrou que o G1 apresentou reação inflamatória moderada aos 14 e 30 dias. Nos grupos G3 e G4, no entanto, observou-se uma redução na densidade do infiltrado inflamatório. Foi verificado que os G2, G3 e G4 apresentaram melhor qualidade de osso neoformado aos 14 e 30 dias póscirúrgico. A análise Raman demostrou que G4 apresentou média das razões entre os picos 960 cm-1 e 1070 cm -1 significativamente maior quando comparado a média do G1. Além disso, o G4 foi estatisticamente semelhante ao osso hígido. Os compostos majoritários extraídos do urucum (Bixa orellana L.) com KOH 4% são carotenoide norbixina, bixina e dimetil-b-caroteno. O extrato obtido apresenta efeito anti-inflamatório e osteoindutor; e quando associado ao colágeno, promove mineralização da matriz óssea neoformada semelhante à encontrada no osso hígido na análise por espectroscopia Raman. Nas condições apresentadas neste estudo, a reparação óssea em modelo experimental na tíbia de Rattus norvegicus é favorecida com a utilização de compostos de urucum (Bixa orellana L.) associado ao colágeno.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA CONCEIÇÃO GOMES LIMA - UESPI
Externo à Instituição - ELIANA CAMPÊLO LAGO - UNINOVAFAPI
Interno - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Externo ao Programa - 031.219.503-63 - JOSE FERREIRA NUNES - UECE
Presidente - 125.859.984-87 - ROMULO JOSE VIEIRA - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 05/07/2017 15:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 09:14