Notícias

Banca de DEFESA: YULLA KLINGER PEREIRA DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YULLA KLINGER PEREIRA DE CARVALHO
DATA: 14/08/2017
HORA: 15:00
LOCAL: NUPCelt/CCA/UFPI
TÍTULO: Desenvolvimento de um produto biotecnológico à base de goma do cajueiro (A. occidentale L.) e quitosana como suporte para cultivo de células-tronco mesenquimais
PALAVRAS-CHAVES: Goma de cajueiro (Anacardium occidentale L.); quitosana; scaffold; célulastronco mesenquimais.
PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Biomedicina
RESUMO:

A bioengenharia de tecidos envolve o uso de materiais biocompatíveis e biodegradáveis que atuam como matrizes utilizadas para o crescimento celular, denominadas scaffolds. A utilização de polímeros naturais na produção de scaffolds tem se mostrado promissora, uma vez que apresentam menor risco de rejeição quando implantados in vivo, além de apresentarem adesão celular mais eficiente quando comparados à materiais sintéticos. O objetivo desta pesquisa foi desenvolver um scaffold utilizando como matérias-primas a quitosana e a goma de cajueiro (Anacardium occidentale L.) modificada com anidrido ftálico (GCAF), e testá-lo in vitro em cultura de células-tronco mesenquimais da polpa dentária humana (CTMPDh). As CTMPDh foram isoladas, expandidas e caracterizadas quanto ao potencial de diferenciação nas linhagens mesenquimais e quanto ao perfil imunofenotípico para serem utilizadas nos testes in vitro. O scaffold foi fabricado utilizando a quitosana e a GCAF em iguais proporções e utilizando a técnica de congelação/liofilização. As CTMPDh foram cultivadas nos scaffolds durante 7 dias. Para avaliação da adesão e crescimento celular, técnicas histológicas e de microscopia eletrônica de varredura foram utilizadas. O potencial de citotoxicidade foi analisado através dos testes de MTT e atividade hemolítica do scaffold e das soluções de quitosana e GCAF separadamente. Para avaliação da atividade imunomoduladora, foram realizados os testes de atividade fagocítica e óxido nítrico do scaffold e da solução da GCAF em diferentes concentrações. O tamanho dos poros do scaffold foram analisados através da MEV. Para caracterização do scaffold foram realizados testes de intumescimento, FT-IR, DRX e TGA. As CTMPDh isoladas apresentaram morfologia fibroblastóide, capacidade de aderência ao plástico, diferenciação nas linhagens osteogênica, adipogênica e condrogênica, e expressão positiva para os marcadores de superfície CD105 e negativa para CD14 e CD45. As CTMPDh semeadas sobre o scaffold fabricado apresentaram morfologia típica, fixação e distribuição adequada pelo interior dos poros da matriz. A citotoxicidade da GCAF pelo método de MTT e hemolítico apresentaram CC50 e CH50 superiores a 1000 µg/ml-1 . A avaliação da capacidade fagocítica sobre o scaffold fabricado demonstrou ativação superior das células em todas as concentrações da goma testadas, indicando que a matriz fabricada apresenta potencial de biodegradabilidade. Houve um leve aumento na síntese do óxido nítrico até a concentração de 400 µg/ml-1 da GCAF. O teste de MTT realizado com scaffold sobre as CTMPDh após 24 e 48h, demonstrou viabilidade reduzida, provavelmente, em virtude da migração das células para o interior dos poros do scaffold desenvolvido. A taxa de intumescimento do scaffold foi de 96,4%, apresentando poros com tamanho entre 73 à 124 µm. A técnica de DRX mostrou que o scaffold desenvolvido apresentou maior cristalinidade devido apresentar picos mais definidos em sua estrutura. A TGA mostrou que o scaffold produzido apresentou temperatura de decomposição maior que os polissacarídeos usados para sua fabricação A utilização de scaffolds fabricados com GCAF e quitosana apresenta aplicabilidade para cultivo celular in vitro funcionando como uma matriz de suporte para o crescimento destas células, surgindo como um importante biomaterial a ser utilizado em procedimentos cirúrgicos como suporte e meio de transporte de células em processos de regeneração tecidual.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423174 - AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Externo ao Programa - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Presidente - 1553559 - JOSE ROBERTO DE SOUZA DE ALMEIDA LEITE
Externo à Instituição - MIRNA LUCIANO DE GOIS DA SILVA - NENHUMA
Externo ao Programa - 1691866 - NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
Notícia cadastrada em: 19/07/2017 09:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 07:31