Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TAMNATA FERREIRA ALIXANDRE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAMNATA FERREIRA ALIXANDRE
DATA: 06/11/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Nupcelt
TÍTULO: Ações farmacológicas das frações do extrato das vagens de Samanea tubulosa Benth.
PALAVRAS-CHAVES: Bordão de velho, Toxicidade aguda, Inflamação e Antinociceptiva
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Geral
RESUMO:

A utilização de produtos naturais é uma forma alternativa para o tratamento
e/ou prevenção de doenças que teve início há milhares de anos. As propriedades
terapêuticas desses produtos eram elucidadas de forma meramente intuitiva ou
ocasional. Com a evolução da pesquisa científica, muitos princípios e substâncias
medicinais foram descobertos e utilizados como medicamentos. Estima-se que cerca
de 25% de todos os medicamentos modernos sejam derivados, direta ou
indiretamente, de plantas. A Samanea tubulosa Benth (Fabaceae), conhecida
popularmente por “Bordão de Velho”, é utilizada na medicina tradicional para tratar
processo inflamatórios e infecções cutâneas. O objetivo desse trabalho foi avaliar o
efeito das frações, hexânica e acetato de etila, quanto a toxicidade aguda e em
modelos de atividade anti-inflamatória e antinociceptiva em roedores. As frações
semipurificadas foram obtidas a partir do extrato etanólico das vagens de S. tubulosa,
particionado com diferentes solventes. A composição química das frações foi avaliada
por cromatografia em camada delgada e a fração hexânica foi escolhida para
identificação estrutural dos componentes químicos por cromatografia gasosa
acoplada a espectrometria de massas. Foram identificados nesta fração ácidos graxos
e seus ésteres (52,1%) e triterpenos derivados do lupano (28,58%) como a lupenona
(16,53%) e lupeol (12,05%). Nos ensaios farmacológicos com a administração das
frações por via oral, foi observado no teste de toxicidade aguda que os animais
tratados com as frações hexânica e acetato de etila não apresentaram sinais de
toxicidade, até a dose de 2000 mg/kg. No teste atividade anti-inflamatória de edema
de pata induzido por carragenina, observou-se maior efeito anti-inflamatório na dose
de 200 mg/kg, em ambas as frações. Já no teste da formalina e capsaicina para
atividade antinociceptiva, nas doses de 6,25; 12,5 e 25 mg/kg para ambas as frações,
foi observado ação antinociceptiva em todas as doses. No teste do glutamato, as
frações hexânica e acetato de etila apresentaram atividade antinociceptiva somente
na dose de 12,5 mg/kg. Nos testes do campo aberto e rota rod, as frações hexânica e
acetato de etila não mostraram atividade relaxante muscular ou efeito depressor
central. Conclui-se assim que as frações apresentaram efeito anti-inflamatório e
antinociceptivo sem efeito sedativo.
Palavras


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Interno - 423287 - JOSE RIBEIRO DOS SANTOS JUNIOR
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Externo à Instituição - MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA - UFPI
Notícia cadastrada em: 09/10/2017 15:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 00:15