Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIA MARIA DE FARIAS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIA MARIA DE FARIAS
DATA: 07/08/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do NUPCelt/CCA/UFPI
TÍTULO: Taxonomia, sistemática e genética populacional do caranguejo-uçá, Ucides cordatus: desenvolvimento de ferramentas moleculares e inferências filogenéticas.
PALAVRAS-CHAVES: marcador populacional, domínios hiperváriavel analise filogenético, posiçao taxonomica.
PÁGINAS: 183
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Genética
RESUMO:

O caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763), é uma espécie pertencente à família Ocypodidae e representa um dos mais importantes componentes da fauna dos manguezais, tem grande importância econômica e ecológica para as áreas de manguezal do Brasil. O objetivo desse trabalho foi estudar a sistemática molecular e estrutura genética populacional do caranguejo-uçá, Ucides cordatus, tendo em vista o fornecimento de subsídios à sua exploração racional como medida para permitir a sustentabilidade do recurso, e a maximização de aproveitamento do potencial já explorado do caranguejo de mangue. Foram desenhados primers nas regiões adjacentes à região controle isolaram a mtDNA-CR do Ucides cordatus (Decapoda, Brachyura); e realizados os sequenciamento da mtDNA-CR As regiões hipervariáveis também foram amplificadas com sucesso, HV1 (637 pb) e HV2 (445 pb). A RC do DNAmt em U. cordatus mostrou ser altamente polimórficas em as suas extremidades 5 'e 3' .Avaliamos as relações entre U. cordatus cordatus e U. cordatus occidentalis usando sequências de nucleotídeos do RNA ribossômico de subunidade grande (LSUrRNA ou 16S), citocromo oxidase I (COX-1) e também citocromo b (Cyt -b) do genoma mitocondrial como caracteres moleculares para inferência de relações filogenéticas. livre da influência ambiental. As matrizes de distância evolutiva foram calculadas a partir de dados de seqüência de DNA. As árvores filogenéticas foram inferidas com base nessas seqüências de nucleótidos. Foi obtido um forte sinal filogenético que suporta uma filogenia bem resolvida do grupo Thoracotremata. O uso de genes codificadores de proteínas na reconstrução de filogenia também provou ser útil. Avaliamos a distribuição espacial da diversidade genética e das taxas de migração (fluxo genético) entre as populações de Ucide cordatus no Brasil. Os loci foram altamente polimórficos, com média de 12 alelos por locus. Apesar da alta variabilidade genética, observou-se uma falta de diferenciação populacional de acordo com os valores de FST (média = 0,016) e análise bayesiana. As altas taxas de migração encontradas entre as populações (~ 17,2 migrantes efetivos por geração entre cada par de população) parecem ser a principal força que atua para sustentar a distribuição homogênea da diversidade genética entre as populações. Esses achados são vitais para o estabelecimento de uma base de dados a ser usada no desenvolvimento de programas de conservação para a espécie.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 012.068.217-60 - ADRIANA MELLO DE ARAÚJO - EMBRAPA
Presidente - 247.195.523-15 - FABIO MENDONCA DINIZ - EMBRAPA
Interno - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Externo ao Programa - 423411 - MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
Externo ao Programa - 714.494.263-87 - VLADIMIR COSTA SILVA - UFPI
Notícia cadastrada em: 16/07/2018 10:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 06:32