Notícias

Banca de DEFESA: EVERTON MORAES LOPES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EVERTON MORAES LOPES
DATA: 01/11/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais - Bloco 15 (NPPM/CCS/UFPI)
TÍTULO: INVESTIGAÇÃO COMPARATIVA DA ATIVIDADE ANTINOCICEPTIVA DO ESTRAGOL LIVRE E COMPLEXADO COM β-CICLODEXTRINA EM MODELOS DE DOR NEUROPÁTICA
PALAVRAS-CHAVES: Estragol. Monoterpeno. β-ciclodextrina. complexo de inclusão. Neuropatia. Dor crônica.
PÁGINAS: 129
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A dor neuropática é uma condição dolorosa crônica, que surge quando há alguma injuria no sistema somatossensorial de percepção da dor, gerando sintomas como: hiperalgesia, alodinia, dor espontânea, entre outros. Atualmente existem alguns fármacos utilizados na sua terapêutica, entretanto a maioria deles não possui elevada efetividade ou são associados a diversos efeitos colaterais que oneram seu uso, principalmente de forma crônica. Nesse contexto, os produtos naturais, sobretudo os monoterpenos, surgem como uma alternativa viável para o problema. Assim, a presente pesquisa busca investigar a ação antinociceptiva do estragol diante dos modelos de neuropatia por constrição do ciático, bem como comparar a efetividade do monoterpeno livre frente ao complexado com β-ciclodextrina por coprecipitação e spray drier. Os resultados apresentados demonstram que o estragol não provoca danos celulares em organismos eucariontes, significativos, compatíveis com efeitos tóxicos. Na investigação da toxicidade aguda em modelos animais não demostrou alterações na massa de órgãos, parâmetros bioquímicos e testes comportamentais destacando assim a segurança terapêutica no uso agudo do monoterpeno. Nas avalaçãoes de dor crônica o estragol aumenta o limiar nociceptivo mecânico e reduz a sensibilidade térmica, sintomas da dor neuropática, caracterizando assim a ação antinociceptiva do monoterpeno. Entretanto considerando a baixa hidrosolubilidade, estabilidade e relatos de toxicidade do monoterpeno esse foi complexado com β-ciclodextrina. A complexação pelas duas técnicas aumentou a potência do monoterpeno, visto que o efeito foi mantido utilizando menor quantidade do estragol, sobretudo a complexação por coprecipitação prolongou o efeito do estragol. Desse modo, os ensaios farmacológicos prosseguiram comparando a ação do estragol com o complexo de inclusão com estragol por coprecipitação, e os resultados mostraram a efetividade do estragol complexado nos tratamentos subagudos. A ação antinociceptiva pode estar sendo mediada pelo efeito antioxidante, visto que as substâncias a peroxidação lipídica, também contribui para o reparo tecidal. O estragol livre e complexado, nas doses utilizadas, não provocou alterações gástricas, bem como, alteração nas atividades locomotora e exploratória dos animais. Contudo, o estragol apresenta atividade antinociceptiva a complexação por co precipitação garante maior segurança a utilização deste, visto que é possível obter efeito semelhante com menor quantidade de estragol incorporado a β ciclodextrina.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Externo à Instituição - FLÁVIA ALMEIDA SANTOS - UFC
Interno - 423287 - JOSE RIBEIRO DOS SANTOS JUNIOR
Externo ao Programa - 3302639 - LUCIANO DA SILVA LOPES
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 09/10/2018 08:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:58