Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CLAUCENIRA BANDEIRA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLAUCENIRA BANDEIRA DA SILVA
DATA: 26/02/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Núcleo de Tecnologia Farmacêutica - NTF/UFPI
TÍTULO: POTENCIALIDADES BIOLÓGICAS, QUÍMICAS E FARMACOLÓGICAS DE Annona coriacea (Mart).
PALAVRAS-CHAVES: Annonaceae; Annona coriacea; Aedes aegypti; araticum; larvicida; atividade antibacteriana; flouroquinolonas.
PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Bioquímica e Molecular
RESUMO:

Largamente distribuída nas Américas Central e do Sul, na África e Ásia, a família Annonaceae é composta por cerca de 135 gêneros e 2500 espécies. Dentre os quais se destaca o gênero Annona, constituído de 200 espécies. A espécie Annona coriacea Mart. apresenta importância significativa na descoberta de novos fármacos e cosméticos. Objetivou-se analisar as características biológicas, químicas e farmacológicas da espécie Annona coriacea Mart., frente a diversos ensaios, para potencializar sua utilização para a indústria farmacêutica contribuindo para o desenvolvimento de produtos naturais. No Piauí a espécie ocorre principalmente no Cerrado setentrional do Estado. O material vegetal foi coletado no Piauí no município de Campo Maior (Cerrado Setentrional), coordenadas S 05º 02' 51.7" W 42º 46' 57.3" altitude 98 m, em março de 2017. O exemplar foi incorporado ao acervo do Herbário Graziela Barroso da Universidade Federal do Piauí, sob o número de exsicata TEPB 30.764. As folhas foram desidratadas à temperatura ambiente e moídas para a posterior extração dos extratos hexânico de Annona coriacea Mart. (EHAC 15,96g; 7,98%) e extrato etanólico de Annona coriacea Mart. (EEAC 19,43g; 9,71%). O screening fitoquímico mostrou, para ambos os extratos, a presença de flavonoides, alcalóide, triterpenos /esteroides e cumarinas, característicos do gênero Annona. O EEAC com (IC50mg/mL 6,966) mostrou melhor atividade inibitória da enzima AChE, em relação ao EHAC (IC50mg/mL 42,98). Esses valores foram determinados frente ao controle positivo, Rivastigmina,  Os resultados obtidos dos ensaios de avaliação da atividade antimicrobiana mostraram que tanto EHAC como EEAC não apresentaram atividade inibitória contra nenhuma das cepas utilizadas, (Staphylococcus aureus SA1199-B, S. aureus ATCC 25923, Escherichia coli ATCC 25922, Candida albicans ATCC 10231 e C. albicans ATCC 34135) com os valores de CIM ≥ 1024 μg / mL, de acordo com os critérios para avaliação da atividade antimicrobiana de extratos vegetais. Na atividade moduladora nas concentrações subinibitórias (1/8 e 1/4 da CIM) o EEAC foi capaz de reduzir o CIM de norfloxacina (Nor) e brometo de etídio (EtBr) contra S. aureus SA1199-B (cepas resistentes a flouroquinolonas) em mais 50%. Comparado ao EEAC o EHAC apresentou apenas uma pequena redução (CIM ≥ 50%) na concentração subinibitória de 1/4, não apresentando redução na concentração subinibitória de 1/8. Os EEAC e EHAC mostram-se eficientes em relação a atividade larvicida frente ao Aedes aegypti, as concentrações de 100, 80, 60, 50 e 40ppm causaram mortalidade de 100% das larvas em 3º e 4º estágio. Apresentando também efeito residual. Esses resultados corroboram com os esperados pois diversos estudos mostram que muitas espécies desse gênero possuem atividades farmacológicas, tais como atividade larvicida, antioxidante, antimicrobiana, antitumoral, anti-inflamatória, ansiolítica, sedativa a atividade sobre o sistema nervoso central em roedores.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2368590 - RUTH RAQUEL SOARES DE FARIAS
Notícia cadastrada em: 14/02/2019 10:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 01:16