Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VALDELÂNIA GOMES DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VALDELÂNIA GOMES DA SILVA
DATA: 08/03/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais(NPPM/CCS/UFPI)
TÍTULO: Desenvolvimento de Nanoformulação contendo metabólitos isolados de extratos etanólicos e frações da folha e casca de Terminalia fagifolia para Aplicação Pré-Clínica em Modelos Diarreicos e Colite Ulcerativa induzida por ácido acético.
PALAVRAS-CHAVES: : Terminalia fagifolia; uso popular; atividade antidiarreica.
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Biologia Geral
RESUMO:

Considerada um grave problema de saúde pública, a diarreia, é avaliada como a segunda causa de óbitos em crianças, representando em torno de 1,5 milhões de mortes/ano em menores de cinco anos. Diante disso e com base na ampla utilização da casca de Terminalia fagifolia na medicina popular do Piauí para o alívio e tratamento de distúrbios do sistema gastrintestinal, como diarreias, gastrites e úlceras gástricas atreladas a investigações científicas. O objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade antidiarreica in vivo do extrato etanólico (EtOH-Tf) e suas frações (FAQ-Tf; FHA-Tf; FHEX-Tf) provenientes das folhas de Terminalia fagifolia em camundongos bem como os possíveis mecanismos envolvidos. Inicialmente, a atividade antidiarreica do EtOH-Tf e frações FAQ-Tf; FHA-Tf; FHEX-Tf foram avaliados no modelo de diarreia aguda e enteropooling induzido por óleo de rícino em camundongos Swiss, que foram pré-tratados com EtOH-Tf (31,25, 62,5, 125 e 250 mg/kg, v.o ) e frações FAQTf; FHA-Tf; FHEX-Tf (62,5 mg/kg-melhor dose; v.o) e depois de 1 h receberam óleo de rícino (10 mL/kg, v.o.). Para avaliar o trânsito gastrintestinal, os camundongos receberam óleo de rícino e 1 h depois foram tratados com EtOH-Tf (62,5mg/kg, v.o.). Após 1 h, os animais receberam 0,20 mL de carvão ativado por via oral, e 20 min depois foram eutanasiados e a distância percorrida pelo carvão no intestino foi mensurada. A participação opióide, antimuscarínica e/ou adrenérgica no trânsito gastrintestinal foi também investigada usando naloxona (2 mg/kg, s.c.; antagonista opióide), betanecol (3 mg/kg, i.p.; agonista muscarínico) e clonidina (0.1 mg/kg, ip.; agonista adrenérgico, respectivamente). Na diarreia inflamatória, os animais foram prétratados com EtOH-Tf (62,5 mg/kg, v.o.) e a diarreia foi induzida por PGE2 (100 μg/kg, v.o.). Após 30 minutos os animais foram eutanasiados e o volume do conteúdo intestinal foi mensurado. Além disso, o efeito do EtOH-Tf (62,5 mg/kg, v.o.) na diarreia secretora foi investigado utilizando o modelo de secreção de fluido em alças intestinais isoladas de camundongos vivos tratados com toxina da cólera. O EtOH-Tf foi avaliado quanto à sua capacidade na absorção de fluidos em alças intestinais isoladas e interação com receptores GM1. As doses testadas apresentaram efeito antidiarreico significativo (p<0,05) no protocolo de enteropooling (57,75%; 66,26%; 52,58%; 96,96%; 96,65%, respectivamente). Sendo que a dose de 62,5 mg/kg do extrato etanólico exibiu o melhor resultado, sendo adotada como dose padrão para os testes seguintes. O EtOH-Tf não reduziu o trânsito gastrintestinal, a partir de mecanismos opióides, anticolinérgicos, mas sim por mecanismo adrenérgico e exerceu ação no modelo de diarreia induzida por PGE2. Também foi capaz de reduzir a geração de fluidos e perdas de íons Cl-, ao interagir diretamente com os receptores GM1. Assim, comprova-se a atividade antidiarreica do extrato etanólico por meio da redução da motilidade gastrintestinal na diarreia aguda através da ação adrenérgica, na diarreia induzida por PGE2 e na diarreia induzida pela toxina da cólera, tornando-o um forte candidato à fármaco para tratamento de doenças diarreicas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Externo ao Programa - 1560969 - ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
Externo à Instituição - FRANCILENE VIEIRA DA SILVA - UEMA
Notícia cadastrada em: 14/02/2019 16:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 05/10/2022 00:31