Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: THIAGO DE SOUZA LOPES ARAÚJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO DE SOUZA LOPES ARAÚJO
DATA: 20/01/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Universidade Federal do Delta do Parnaíba - UFDPar - Parnaíba-PI
TÍTULO: ABORDAGEM TERAPÊUTICA PROMISSORA NO TRATAMENTO DE DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS: ESTUDO PRÉ-CLINICO DO BIOPOLÍMERO EXTRAÍDO DO EXSUDATO DE Anadenanthera colubrina var. Cebil (griseb.) Altschul (GOMA DO ANGICO) EM CAMUNDONGOS
PALAVRAS-CHAVES: polissacarídeo, Fabaceae, diarreia, cólera, Escherichia coli
PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Biomedicina
RESUMO:

Biopolímeros extraídos de árvores tradicionais do nordeste brasileiro têm sido extensivamente estudados por suas diversas potencialidades biotecnológicos e atividades biológicas no trato gastrointestinal. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar as características químicas, potencial antidiarreico e a toxicidade aguda da goma do angico (GA), um biopolímero obtido a partir do exsudato de Anadenanthera colubrina var. cebil (Griseb.) Altschul (angico vermelho).  A estrutura da GA foi verificada por espectroscopia de infravermelho, medidas de analise elementar, massa molar, valores de potencial zeta, solubilidade e grau de impureza. Para a avaliação do potencial antidiarreico da GA foi utilizado o modelo de diarreia aguda induzida por óleo rícino e enteropooling. Camundongos albinos (Swiss) (20-25g) foram pré-tratados com GA (30, 60 e 120 mg/kg, v.o.) e após 1 h, foi administrado óleo de rícino (10 ml/kg, v.o.). Os animais foram colocados em gaiolas revestidas com papel absorvente e observados durante 3h para a presença de diarreia definida como fezes aquosas e/ou não formadas. Os efeitos de GA (60 mg/kg, v.o.) no trânsito gastrointestinal e na atividade Na+-K+-ATPase foram examinados. A participação opioide e colinérgica da GA no trânsito gastrointestinal foi também investigada usando naloxona (2 mg/kg, s.c.; antagonista opioide) e betanecol (3 mg/kg, i.p.; agonista colinérgico), respectivamente, bem como o efeito da GA no transito normal também foi avaliado. O efeito da GA (60 mg/kg, v.o.) sobre as contrações induzidas por agonistas (carbacol e KCl) em jejuno-íleo isolado foi mesurado. Subsequentemente, investigou-se o efeito da GA (60 mg/kg, v.o.) na diarreia secretora induzida pela toxina da cólera (TC) e Escherichia coli enterotoxigênica (ETEC). A GA foi também avaliada quanto à sua capacidade em estimular a absorção de fluidos em alças intestinais isoladas e interagir com receptores GM1 utilizando ensaio de ELISA. Além disso, os testes de toxicidade aguda foram conduzidos de acordo com a diretriz 423 da OECD. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética da Universidade Federal do Piauí (nº068/ 2014). Na espectroscopia FT-IR, a GA mostrou bandas nas regiões de 1608 cm-1, 1368 cm-1 e 1029 cm-1, que se relacionam a vibração das moléculas de água O-H, a vibração de deformação das bandas de CO e a vibração das banda CO do polissacarídeo, respectivamente, todos relevantes para ligações glicosídicas. O pico de massa molar da GA foi de 1,89 x 105 g / mol, com o potencial zeta indicando eletronegatividade. A GA também demonstrou alto rendimento e solubilidade com baixo grau de impureza. A GA (60 e 120 mg/kg) reduziu significativamente (P<0,05) a severidade da diarreia (33,711%, 61,180% e 73,341% , respectivamente), diminuindo a frequência de defecação e o número total de fezes diarreicas produzidas com a administração de óleo de rícino. O acúmulo de líquido intestinal (enteropooling) também foi reduzido pelo pré-tratamento com GA (60 e 120 mg/kg) (56,766% e 59,398%, respectivamente). A presença de GA (60 mg/kg) aumentou a atividade Na+-K+-ATPase nas células da mucosa intestinal e reduziu significativamente o trânsito gastrointestinal (43,61%) comparado ao grupo controle, além de reverter o efeito estimulatório do betanecol (36,86 %) e reduzir a transito normal do intestino (35,597 %), assim como a loperamida (45,558 %). No modelo ex vivo de jejuno-íleo isolado, a GA inibiu as contrações induzidas por KCl, enquanto falhou em alterar as contrações induzidas por carbacol. No modelo de secreção de fluido em alças intestinais isoladas tratadas com 1μg de TC em camundongos vivos, a  GA (60 mg/kg) inibiu significativamente a secreção de fluido intestinal (51.31%) e diminuiu a perda de íons Cl-, sugerindo uma competição de ligação à receptores GM1. A GA (60 mg/kg) também reduziu a diarreia induzida pela ETEC (51,61%) e preveniu a perda de peso nos animais, sem apresentar atividade antibacteriana. Além disso, a GA não induziu nenhum sinal de toxicidade. Em conclusão, o FT-IR da GA revelou uma identidade química compatível com os polissacarídeos, com massa molar de 1,89 × 105 g / mol e potencial zeta negativo. Os resultados obtidos nos ensaios biológicos sugerem que a atividade antidiarreica da GA provavelmente se deve à sua capacidade de 1) alterar os parâmetros fecais, 2) inibir o enteropooling, estimulando a atividade de N+/K+-ATPase nos enterócitos, 3) reduzir a motilidade gastrointestinal, possivelmente através bloqueio físico do influxo extracelular de íons na mucosa e 4) consequentemente inibindo as contrações do músculo liso intestinal. Além disso, a GA exibiu atividade antissecretória eficaz contra diarreia induzida por TC e ETEC, provavelmente devido ao bloqueio da ligação dessas toxinas ao receptor GM1.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Externo ao Programa - 841.003.203-10 - LEIZ MARIA COSTA VERAS - UFPI
Externo à Instituição - LUCAS ANTONIO DUARTE NICOLAU - UFC
Notícia cadastrada em: 26/12/2019 09:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 03:07