Notícias

Banca de DEFESA: LAYANA PACHECO DE ARAUJO ALBUQUERQUE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAYANA PACHECO DE ARAUJO ALBUQUERQUE
DATA: 25/11/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Plataforma Google Meeting
TÍTULO: Avaliação dos níveis entre testosterona e dihidrotestosterona e a gravidade da leishmaniose visceral em homens
PALAVRAS-CHAVES: Doenças Parasitárias; Calazar; Hormônios sexuais; Sexo; Citocinas.
PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose associada a diversas manifestações clínicas que podem comprometer órgãos internos, em especial, fígado, baço, gânglios linfáticos e medula óssea, podendo ocasionar morte. Apesar da exposição masculina ser igual ou menor, quando comparada à feminina, a predisposição dos homens para a doença é evidente, elevando-se no período pós-puberdade. As diferenças sexuais na função imunológica estão diretamente relacionadas aos níveis hormonais de esteroides circulantes, as quais determinam o tipo de exposição, a patogenicidade, a infectividade de micro-organismos e a manifestação clínica da doença. Neste sentido, considera-se que a ação da testosterona e dihidrotestosterona (DHT) podem modular a resposta imunológica, apresentando efeitos sobre os mecanismos de defesa próinflamatórios contra as infecções parasitárias. Assim, este estudo objetivou avaliar os níveis entre testosterona total (TT) e DHT e a gravidade da leishmaniose visceral em homens. No capítulo 1, realizou-se revisão bibliográfica sobre o papel do sexo e dos hormônios sexuais na resposta imune das doenças infecciosas, com ênfase nas leishmanioses. Apresentaram-se resultados de artigos in vivo, in vitro e em humanos. Concluiu-se que os andrógenos estão associados a efeitos imunossupressores para maioria das infecções, enquanto os esteroides apresentam características imunomoduladoras. O capítulo 2 apresenta estudo longitudinal com 134 participantes (I - 113 doentes e II - 21 saudáveis), em que foram avaliadas variáveis epidemiológicas, manifestações clínicas, probabilidade de morte e concentração sérica dos hormônios. A idade média dos doentes foi de 36,5 anos. Os principais sintomas relatados foram febre (88,5%), esplenomegalia (87,3%), perda de peso (73,5%), fadiga (73,5%), hepatomegalia (65,7%) e palidez cutânea (61,1%). Sete pacientes (6,2%) evoluíram para óbito. As pessoas com a doença apresentaram menor concentração de TT (µ=502,2 ng/dL, p<0,001) e concentrações mais elevadas de DHT (µ=709,6 pg/mL, p=0,022). Os níveis séricos de DHT foram mais baixos nos doentes que apresentaram sintomas como vômitos (p=0,021), diarreia (p=0,025), dispneia (p=0,005) e sangramento gengival (p=0,049), além de apresentarem relação significativa com a probabilidade de morte acima de 10% (p<0,001). Sugere-se que o elevado nível de DHT encontrado na LV seja consequência da hipoalbuminemia, típica da doença, resultando em maior concentração de testosterona livre e mais síntese de DHT. Os dados sugerem que o DHT pode justificar a atenuação do quadro clínico e da gravidade, a maior mortalidade de idosos e a maior incidência de LV em homens adolescentes e adultos. O capítulo 3 teve como objetivo associar os níveis séricos das citocinas com a TT, DHT manifestações clínicas e probabilidade de morte na LV. Os homens com LV apresentaram maior concentração de IL-10, IL-6 e IFN-γ com diferença significativa em comparação aos saudáveis (p<0,001). Os sintomas vômitos, petéquias, epistaxe e hepatomegalia foram associados à algumas das citocinas. A concentração de IL-6 em níveis elevados apresentou associação significativa (p=0,035) com a probabilidade de morte ≥10%. A correlação entre os hormônios sexuais masculinos e as citocinas mostrou correlação negativa entre TT e DHT com IL-8. Considerando que pacientes com LV, mesmo que em estágios iniciais da doença já apresentam níveis elevados de IL-6, esta interleucina mostra a importância de considera-la na pré-disposição de morte para antecipar terapias e o não agravamento da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALDA MARIA DA CRUZ - Fiocruz - RJ
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo ao Programa - 571048 - DORCAS LAMOUNIER COSTA
Externo ao Programa - 3216279 - FRANCISCO VALMOR MACEDO CUNHA
Externo à Instituição - LUIZ ARMANDO CUNHA DE MARCO - UFMG
Notícia cadastrada em: 09/11/2021 10:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 00:25