Notícias

Banca de DEFESA: LORENA CITO LOPES RESENDE SANTANA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA CITO LOPES RESENDE SANTANA
DATA: 11/04/2014
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Curso de Farmácia - UFPI
TÍTULO:

Efeitos farmacológicos e toxicológicos do extrato etanólico das folhas de Mikania glomerata Sprengel


PALAVRAS-CHAVES:

ansiolítico, antioxidante, antimicrobiano, schistossomicida, toxicidade, planta medicinal, guaco.


PÁGINAS: 153
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A Mikania glomerata Sprengel é uma planta encontrada na primeira

farmacopéia brasileira, atualmente presente na lista de fitoterápicos de

interesse do SUS e no registro simplificado de fitoterápicos da ANVISA devido

sua ação farmacológica como broncodilatadora, expectorante e antitussígena.

É uma espécie que produz muitos metabólitos secundários que compõem um

fitocomplexo responsável por essas atividades. Este estudo foi realizado com o

objetivo de verificar os constituintes químicos, as propriedades fisíco-químicas

(densidade bruta, compactação, teor de cinzas totais, umidade e granulometria)

do pó obtido das folhas secas, os constituintes químicos, a toxicidade, as

atividades farmacológicas (ansiolítica, antioxidante, antimicrobiana e

equistossomicida), bem como o provável mecanismo de ação envolvido e o

efeito sobre os níveis de aminoácidos no hipocampo de camundongos tratados

com o extrato etanólico das folhas da planta de M. glomerata. No capítulo 1 foi

relatada uma prospecção científica constando os artigos contendo o nome

científico da planta, publicados desde 2002 até a atualidade, nas bases de

dados: Pubmed, ScienceDirect e Web of Science, verificando em qual base a

publicação foi encontrada e o respectivo ano, e uma prospecção tecnológica,

utilizando os bancos de dados: European Patente Office, World Intellectual

Property Organization, United States Patent and Trademark Office e Instituto

Nacional de Propriedade Intelectual, selecionando as patentes que possuíam o

nome científico ou o nome popular da planta no título ou resumo e observando

o respectivo ano e país de depósito. Foram encontrados 52 artigos e 21

patentes, a maioria referente ao uso terapêutico ou estético e composição

química da planta. Essa prospecção mostrou que existe interesse pela planta

estudada, mas que ainda há um campo vasto para pesquisa, como por

exemplo, a área de pesquisa de interesse (neuroquímica). No capítulo 2, foi

analisada a toxicidade aguda, com a administração de repetidas doses do

extrato em camundongo Swiss e foi verificada a ausência de toxicidade, visto

que, não ocorreram alterações nos parâmetros bioquímicos, hematológicos e a

DL50 encontrada foi de ~3000 mg kg-1

químicas foram analisadas mostrando que o pó pode ser utilizado para

preparações farmacêuticas sólidas. No capítulo 3, foram realizados testes

comportamentais, observando um efeito ansiolítico com aumento no tempo e

no número de entradas nos braços abertos no teste do labirinto em cruz

elevado, bem como, uma maior permanência no compartimento claro no teste

claro-escuro; testes sedativos e efeito relaxante muscular com uma redução no

número de cruzamentos, groomings e rearings no teste do campo aberto e um

maior número de quedas e uma menor permanência na barra giratória no teste

do rota rod. No capitulo 4 foi avaliado o potencial antioxidante do extrato

etanólico, utilizando três testes in vitro: inibição da produção do radical nitrito,

inibição da produção do radical hidroxila e produção de espécies reativas com

o ácido tiobarbitúrico. Os valores de CE50 encontrados foram: 0,106; 1,102 e

1,872 µg mL-1

antibacteriana e equistossomicida do extrato. As bactérias testadas foram:

Staphylococcus aureus, Klebsiella pneumoniae, Escherichia coli e

Pseudomonas aeruginosa, usando uma cepa padrão e uma cepa clínica de

cada bactéria. Na concentração de 20 mg mL-1

bactericida para as cepas padrão e clínica de S. aureus e cepa clínica de E.

coli. Nos testes de atividade equistossomicida o extrato causou alterações

morfológicas no tegumento dos adultos de Schistosoma mansoni. E no capítulo

5, foi investigado o possível mecanismo de ação do efeito ansiolítico do extrato

observado no capítulo 3, provavelmente mediado pelo sistema GABAérgico,

visto que, ocorreu um aumento dos níveis de GABA e redução da

concentração de glutamato e aspartato no hipocampo. Além disso, foram

identificados alguns constituintes, detectando a presença de ésteres metílicos

de ácidos graxos ((Z)-hexadec-7-enoato de metila, hexadecanoato de metila,

ácido hexadecanóico, (Z)-octadec-9-enoato de metila, octadecanoato de

metila, e outros constituintes, como: esqualeno, cinamato de metila, 2H-

cromen-2-ona (cumarina) e 2-hidroxifenil-propionato de metila). Finalmente no

capítulo 6, foi relatado um pedido de depósito de patente de invenção junto ao

Instituto Nacional da Propriedade Industrial referente a uma formulação

farmacêutica com propriedades ansiolíticas derivado do extrato etanólico

padronizado das folhas da planta M. glomerata com o objetivo de ser uma

alternativa para o tratamento da ansiedade que não gere dependência química

e ou física.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2617696 - ALDEIDIA PEREIRA DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - JOSUÉ DE MORAIS - USP
Interno - 1167321 - MARIA RITA DE MORAIS CHAVES SANTOS
Externo ao Programa - 1638239 - PAULO MICHEL PINHEIRO FERREIRA
Presidente - 1638285 - RIVELILSON MENDES DE FREITAS
Notícia cadastrada em: 18/03/2014 11:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 05:57