Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VINICIUS SAURA CARDOSO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VINICIUS SAURA CARDOSO
DATA: 15/09/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de reuniões do Campus Ministro Reis Veloso - UFPI - Parnaíba - PI
TÍTULO:

" Elaboração, síntese e caracterização de nanopartículas de prata estabilizada com colágeno"


PALAVRAS-CHAVES:

Nanopartícula de prata, colágeno, viabilidade celular, bacteriostático.


PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A busca por produtos que favoreçam a cicatrização de tecidos biológicos vivos vem  de vários anos devido a ferimentos de guerra e a doenças mutilante degenerativa. A prata foi vastamente utilizada para assepsia de feridas devido à capacidade de agir contra microorganismos, porém, se descobriu que também prejudicava a vida humana por ser toxica. Desta forma, a nanopartícula de prata, quando descoberta, ganhou grande notoriedade, pois tem a capacidade de manter as caracteristica antimicrobianas e , em algumas composições e concentrações, não ser toxica ao corpo humano. Desta forma, surgiu a ideia de agregar a nanopartícula de prata com a proteína mais abundante nos mamíferos. O colágeno Tipo I, presente durante a cicatrização tecidual de forma endógena, se apresenta em alguns estudos como estrutura propícia no favorecimento da cicatrização. Desta forma a síntese de nanopartícula de prata estabilizada com colágeno  poderia fornecer um produto potencial cicatrizante (características do colágeno), mantendo a assepsia da ferida. Esta tese teve como objetivo desenvolver nanopartícula de prata  estabilizada em uma solução de colágeno com potencial aplicador no controle da homeostasia tecidual, inflamação e divisão celular. Foram idealizadas, sintetizadas  e testadas três de nanopartículas de prata estabilizada com colágeno Tipo I (AgNPcol) variando a relação molar entre a solução de nitrato de prata e do borohidreto de sódio. As AgNPcols foram caracterizadas conforme   seu tamanho, potencial zeta e indice de polidispersão utilizando DLS, por espectroscopia de UV-Vis, por MET, por FTIR, espectrocospia por adsorção atômica e XRD. Foram também testados a ação das AgNPcol contra bactérias Gram-positivas e Gram-negativas além de realizar ensaio de viabilidade celular e de permeação cutânea  da AgNPcol de melhor caracteristica segundo a literatura. Pode-se verificar que todas as nanopartículas sintetizadas possuiamformato esférico e potencial zeta positivo. A AgNPcol com razão molar de 1:6 apresentou menor diâmetro (64,34±16,05), menor índice de polidispersão (0,40±0,05 ) e maior eficiência de redução de prata (0,645 mM). Além disso, todas as nanopartículas sintetizadas mostraram uma atividade antimicrobiana tanto contra Staphylococcus aureus e Escherichia coli. A AgNPcol 1:6 foi selecionada para testes de viabilidade celular não apresentando toxicidade para as células (OSCC) na concentração examinada. Desta forma, foi possível sintetizar nanopartícula de prata estabilizada com colágeno com caracteristicas favoráveis a aplicação biológica com formato esférico, diâmetro entre 64,34 e 81,79nm, atividade antibacteriana contra microorganismos e não - toxicidade para células testadas (OSCC)


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1553559 - JOSE ROBERTO DE SOUZA DE ALMEIDA LEITE
Interno - 1551921 - GIOVANNY REBOUCAS PINTO
Interno - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 11/09/2014 15:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 23:27