Notícias

Banca de DEFESA: RANUSCE DE SANTIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RANUSCE DE SANTIS
DATA: 08/12/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Laboratório de Anatomia Animal
TÍTULO: DESEMPENHO E MORFOMETRIA INTESTINAL DE FRANGOS DE CORTES SUBMETIDOS A DIETAS COM A INCLUSÃO DO ÓLEO DE BURITI (Mauritia flexuosa l.)
PALAVRAS-CHAVES: fonte energética, alimentação de aves, vilosidades intestinais
PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho produtivo e a morfometria intestinal de frangos de corte com dietas submetidas à inclusão do óleo de buriti. Para a realização deste trabalho experimental foram utilizados 180 frangos de corte machos, da linhagem Ross, os quais foram alocados em 18 box, contendo 10 aves em cada, de acordo com o seu peso médio. Foi utilizada ração a base de milho e soja, até os 14 dias de idade, de acordo com as exigências de Rostagno et al. (2011). Após esse período foi adicionada a ração, os níveis de 0%, 0,75% e 1,50% de inclusão do óleo de buriti para fase experimental das aves até os 28 dias de idade. A energia metabolizável do óleo de buriti foi de 6854 kcal/kg. Para avaliar o desempenho, foram selecionados três aves de cada box, totalizando 54 amostras. Para morfometria intestinal foi utilizada uma ave de cada box, totalizando 18 amostras. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para desempenho e rendimento de carcaça. Para avaliação da morfometria intestinal, ocorreu uma interação entre os tratamentos, para profundidade da cripta da porção média do duodeno, apontando que houve maior proliferação celular para o tratamento de 1,50% de inclusão de óleo de buriti, em relação aos demais tratamentos. No íleo, na camada muscular do jejuno houve uma diferença entre os tratamentos, apontando uma maior espessura da camada muscular para o tratamento com 0,75% de inclusão do óleo de buriti. Maior profundidade da cripta e aumento da espessura da camada muscular pode ser indicativo de alguma injúria. Como não houve alteração nas vilosidades intestinais, entre os tratamentos, podemos afirmar que a proliferação celular não causou prejuízo a mucosa intestinal. Nas demais variáveis, não houve efeito entre os tratamentos. Ao comparar as médias entre os tratamentos para a morfometria intestinal foi visto que conforme maior o nível de inserção do óleo de buriti maior altura, largura e perímetro das vilosidades do duodeno, sugerindo assim que aumentando os níveis de óleo na dieta pode trazer uma melhora nesses parâmetros. Portanto, pode-se concluir que o óleo de buriti não causou prejuízo ao desempenho e morfometria intestinal de frangos de corte no período de 14 a 28 dias de idade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551976 - GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
Externo ao Programa - 1406864 - GLENDA LIDICE DE OLIVEIRA CORTEZ MARINHO
Externo ao Programa - 4301550 - HATAWA MELO DE ALMEIDA MONTEIRO
Notícia cadastrada em: 06/12/2018 15:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 06:52