Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MIKAEL LEANDRO DUARTE DE LIMA TOLENTINO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MIKAEL LEANDRO DUARTE DE LIMA TOLENTINO
DATA: 22/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Sala virtual - google meet
TÍTULO: Histomorfometria do trato gastrointestinal de ovinos alimentados com dietas contendo feno de jurema preta (Mimosa tenuiflora (wild.) poiret) em substituição ao feno de capim buffel (Cenchrus ciliaris L.)
PALAVRAS-CHAVES: Histologia, nutrição animal, semiárido.
PÁGINAS: 37
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Nutrição e Alimentação Animal
ESPECIALIDADE: Avaliação de Alimentos para Animais
RESUMO:

Objetivou-se com esse trabalho avaliar as características histométricas das papilas ruminais e vilosidades intestinais de ovinos Santa Inês, alimentados com diferentes proporções de feno de jurema preta (Mimosa tenuiflora (wild.) Poiret) em substituição ao feno de capim buffel Cenchrus ciliaris L.).. Foram utilizados 24 cordeiros da raça Santa Inês, castrados, com peso corporal (PC) inicial de 20 kg. Foi adotado um período de adaptação de 14 dias experimental, os animais foram previamente vermifugados. Os tratamentos consistindo nas diferentes associações dos fenos: T1 = 0% de feno de jurema preta + 100% de feno de capim buffel, T2 = 33% de feno de jurema preta + 66% de feno de capim buffel,T3 = 66% de feno de jurema preta + 33% de feno de capim buffel,T4 = 100% de feno de jurema preta + 0% de feno de capim buffel. Nas secções de rúmen foram mensuradas altura, largura e área das papilas; no intestino delgado foram mensuradas altura, largura, superfície, área das vilosidades e profundidade das criptas (todos em µm). A relação altura das vilosidades: profundidade das criptas foi determinada pela razão entre a altura das vilosidades e a profundidade das criptas do intestino. A largura das papilas não foi influenciada pelas dietas (P>0,05). Por outro lado, a área das papilas ruminais diminuiu linearmente (P=0,01) à medida que se aumentou o nível de Jurema Preta na dieta dos animais. Com relação aos segmentos de intestino, a altura (P < 0,0001) e a superfície de contato (P = 0,01) das vilosidades do duodeno diminuíram linearmente com o aumento do nível de jurema preta na dieta (Tabela 3). Já a largura e a área diminuíram quadraticamente com valores mínimo de 132,95 e 50.625,53 µm ao nível de 436 e 575 g/kg MS, respectivamente No que diz respeito às variáveis das vilosidades do jejuno, observou-se que a altura desse segmento aumentou de forma quadrática (P<0,0001), à medida que se aumentou a participação do feno de jurema preta na dieta, sendo verificado um valor máximo de 623,22 µm ao nível de 333 g/kg MS de substituição. A largura das vilosidades diminuiu de forma quadrática, sendo observado um valor mínimo de 143,33 µm ao nível de 526 g/kg MS de substituição. Por outro lado, a área da vilosidade do jejuno não foi influenciada pelos tratamentos (P><0,05). Com relação às vilosidades do íleo, foi observado que a variável altura diminuiu linearmente (P = 0,0003) em função da dieta. As características histométricas do rúmen e intestino delgado de ovinos alimentados com diferentes proporções de feno de capim Buffer e de jurema Preta modificam-se em função da dieta. Sugere-se essa substituição até o nível de 33% na alimentação sem causar prejuízos ao desempenho do animal.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1712960 - MARCOS JACOME DE ARAUJO
Externo ao Programa - 3106567 - MIGUEL ARCANJO MOREIRA FILHO
Externo ao Programa - 2022499 - LARISSA MARIA FEITOSA GONÇALVES
Notícia cadastrada em: 11/03/2021 15:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 07/10/2022 05:45