Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: EMANUELA LIMA TEIXEIRA BARROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUELA LIMA TEIXEIRA BARROS
DATA: 04/12/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Campus Ministro Reis Velloso, Parnaíba
TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DE Chikungunya virus E INVESTIGAÇÃO DOS ARBOVÍRUS Dengue virus e Mayaro virus NO ESTADO DO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Arbovírus, Diagnóstico Molecular, Vigilância Epidemiológica
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Arbovírus são vírus transmitidos por vetores artrópodes hematófagos que podem causar doenças em animais e seres humanos. Dengue virus (DENV) é um arbovírus que encontra-se mundiamente distribuído e no Brasil, circula de forma endêmica desde a década de 80. A ocorrência de surtos anuais tem sido facilitada pela co-circulação dos quatro sorotipos (DENV1-4) em vários municípios. Mais preocupante ainda, é que grande parte das infecções são assintomáticas e quando sintomáticas, podem evoluir com manifestações hemorrágicas ou neurológicas fatais. Adicionalmente, Chikungunya virus (CHIKV) e Mayaro virus (MAYV) estão emergindo de forma alarmante em diversas regiões brasileiras. O primeiro, foi inserido no Brasil em 2014 e desde então disseminou-se rapidamente por vários estados, causando surtos e epidemias de uma doença debilitante que cursa com intensa e duradoura artralgia. Já MAYV, apresenta-se prevalente na região Norte e vem se destacando pelo aumento da incidência em áreas não endêmicas, com sintomas semelhantes aos ocasionados por CHIKV. Estas arboviroses representam um sério desafio à saúde pública, pois podem ser transmitidas por mosquitos antropofílicos do gênero Aedes, que estão amplamente distribuídos em áreas urbanas e peri-urbanas. Além disso, as manifestações clínicas apresentadas pelos pacientes podem ser agravadas em casos de co-infecções (entre arbovírus) ou na presença de outras comorbidades, dificultando tanto o diagnóstico diferencial como as ações de vigilância em saúde associadas ao monitoramento e controle dos surtos. Diante do aumento no número de casos, este estudo objetivou investigar a dinâmica de circulação dos arbovírus Dengue virus, Chikungunya virus e Mayaro virus no estado do Piauí entre os anos de 2016 e 2017. Foram coletadas 542 amostras de soro de pacientes com suspeita de infecção por arbovírus. Destas, 108 foram extraídas e analisadas através da técnica de RT-PCR, utilizando iniciadores que amplificam a região dos genes que codificam as glicoproteínas E1 e E2 de CHIKV e NS5 de DENV. Do total de amostras testadas, duas foram positivas para detecção de DENV, sendo possível identificar os sorotipos DENV-2 e DENV-4. Um paciente apresentou-se co-infectado por DENV-1 e CHIKV. Por outro lado, 27 amostras foram positivas para detecção de CHIKV, indicando a circulação e disseminação crescente deste vírus no estado. A partir destes resultados, cinco amostras foram enviadas para o sequenciamento parcial do genoma de CHIKV. A análise filogenética revelou que a linhagem circulante no Piauí pertence ao genótipo do Oeste-Central-Sul Africano (ECSA), que foi introduzido no Brasil através do estado da Bahia. O monitoramento clínico de pacientes acometidos por CHIKV mostrou que 8 dos 17 pacientes positivos de 2016, evoluíram para a fase crônica, apresentando sintomas cuja duração variou de 3 a 12 meses. Em conjunto, estes dados poderão auxiliar a vigilância epidemiológica a traçar estratégias eficazes de monitoramento da circulação viral e controle vetorial, na tentativa de prevenir futuras epidemias arbovirais na população piauiense.  


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Externo ao Programa - 1919589 - FERNANDA MACHADO FONSECA
Presidente - 1772764 - GUSTAVO PORTELA FERREIRA
Notícia cadastrada em: 22/11/2017 13:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 10:17