Notícias

Banca de DEFESA: JULIANA ARAUJO BRANDAO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA ARAUJO BRANDAO
DATA: 04/07/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório Leste
TÍTULO: EFEITOS DA TÉCNICA DE INIBIÇÃO DO CENTRO FRÊNICO SOBRE O CONTROLE POSTURAL, FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E EXPANSIBILIDADE TORÁCICA EM INDIVÍDUOS COM DOENÇA PULMONAR OBSTRUTRIVA CRÔNICA
PALAVRAS-CHAVES: DPOC, equilíbrio postural, manipulações musculoesqueléticas.
PÁGINAS: 48
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução:A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é caracterizada por obstrução do fluxo aéreo devido à bronquite crônica e enfisema pulmonar, apresentando complicações intrapulmonares e extrapulmonares que levam a limitações funcionais. Uma das possibilidades de tratamento para a doença é a terapia manual. Objetivo:Avaliar o efeito da técnica de inibição do centro frênico sobre o controle postural, força muscular e expansibilidade de indivíduos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. Metodologia:A pesquisa foi realizada por meio de uma abordagem quantitativa do tipo longitudinal prospectiva composta por 34 pessoas, realizada no Laboratório de Estudos de Sinais Biológicos (Biosignal) da Universidade Federal do Piauí na cidade de Parnaíba – Piauí. Foram incluídos indivíduos com diagnóstico médico de DPOC, faixa etária entre 60 e 84 anos, não apresentar doenças neurológicas e incapacidade cognitiva e não apresentar traumas ou ter realizado cirurgia na coluna vertebral. Os procedimentos foram realizados por meio da avaliação clínica e antropométrica, avaliação da função pulmonar, avaliação da cirtometria, avaliação do controle postural e realização das técnicas de conscientização respiratória e inibição do centro frênico. Resultados:Foram avaliados 21 indivíduos DPOC, sendo 08 do grupo fisioterapia convencional e 13 do grupo terapia manual, mais 13 indivíduos saudáveis. A cirtometria basal alcançou significância (p<0,01) após a aplicação das técnicas de inibição do centro frênico e conscientização respiratória. Além disso, as variáveis de frequência (50%) (p<0,04), velocidade média anteroposterior (p<0,01) e mediolateral (0,006) foram maiores no grupo DPOC quando comparados com o grupo de idosos saudáveis. Conclusão: Houve melhora da expansibilidade após a aplicação da técnica de inibição do centro frêniconos grupos estudadose indivíduos com DPOC apresentam controle postural comprometido quando comparado com idosos saudáveis, como: maior oscilação na direção anteroposterior e maior tempo de retorno para a linha de base do COP na direção anteroposterior e mediolateral, segundo a variável de velocidade média.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Interno - 1774210 - VINICIUS SAURA CARDOSO
Externo ao Programa - 1643216 - ALESSANDRA TANURI MAGALHAES
Notícia cadastrada em: 28/06/2019 15:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 29/09/2022 08:22