Notícias

Banca de DEFESA: SHANTALA LUANA DE BRITO VERAS BREJAL PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHANTALA LUANA DE BRITO VERAS BREJAL PEREIRA
DATA: 25/02/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Videoconferencia
TÍTULO: VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM DIABÉTICOS TIPO II SUBMETIDOS A TESTES DE REFLEXO CARDIOVASCULAR
PALAVRAS-CHAVES: Diabetes Mellitus tipo 2; testes de função autonômica; variabilidade da frequência cardíaca; neuropatia autonômica cardíaca.
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: A Diabetes Mellitus (DM) é uma desordem metabólica decorrente do defeito na secreção, na ação biológica da insulina, ou em ambas, sendo caracterizada pela hiperglicemia. As complicações decorrentes da DM podem ser de caráter vascular, com distúrbios no controle autonômico cardíaco, representado pela Neuropatia Autonômica Cardíaca (NAC). A NAC pode ser avaliada pela análise da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) por meio de testes de reflexo cardiovascular. Objetivo: Analisar a modulação autonômica cardíaca em indivíduos portadores de Diabetes Mellitus tipo 2 durante a realização de testes de reflexo cardiovascular. Materiais e métodos: Tratou-se de uma pesquisa explicativa e experimental, na qual incluiu-se 43 participantes de ambos os sexos e idade entre 40 e 70 anos sedentários e ativos. Os participantes foram submetidos à avaliação de pressão arterial, frequência cardíaca e VFC nos momentos antes, durante e após Manobra Postural Ativa (MPA) e Manobra para Acentuação da Arritmia Sinusal (MARS). Resultados:observou-se diferença (p<0,05) nas variáveis RR mean, HR mean, SD2/SD1 durante a realização da MPA, e das variáveis SDNN, RMSSD, PNN50, HF, LF, LF/HF, SD1, SD2, SD2/SD1, Apen e SampEn durante a MARS. A FC mostrou alteração significante entre os três momentos da MPA. Houve correlação significante e moderada (r = -0,6418; p<0,0001) entre a variação de FC e tempo de DM2 durante a manobra de MPA. A variação da FC mostrou-se reduzida (p = 0,0004) entre os participantes com tempo de diagnóstico menor e maior a 9 anos. Conclusão: os achados sugerem a utilidade da VFC como ferramenta de avaliação da disfunção autonômica cardíaca, e que indivíduos com DM 2 tem menor variação da FC durante testes de reflexo cardiovascular a partir de 9 anos do diagnóstico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1900252 - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
Externo à Instituição - DANIEL MARTINS PEREIRA - UFMS
Externo ao Programa - 2988302 - GUILHERME PERTINNI DE MORAIS GOUVEIA
Notícia cadastrada em: 21/02/2021 07:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 29/09/2022 08:35