Dissertações/Teses

2022
Descrição
  • RALLYSON RAMON FERNANDO BARBOSA LOPES
  • ESTUDO DO PERFIL HEMODINÂMICO VASCULAR RENAL E DO TRATO DE SAÍDA DO VENTRÍCULO ESQUERDO EM PACIENTES HÍGIDOS
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 26/08/2022
  • Mostrar Resumo
  • O Doppler é uma tecnologia agregada à ultrassonografia convencional que permite identificar e analisar estruturas que se movem, possibilitando a detecção e análise do fluxo sanguíneo nas fases sistólica e diastólica do ciclo circulatório, a mensuração de forma indireta da resistência vascular periférica e vem sendo aplicada de forma efetiva para avaliação de doenças renais em cães e gatos. Essa efetividade deve-se ao fato dos rins possuírem uma grande vascularização que pode sofrer alterações hemodinâmicas de acordo com algumas afecções, destacando-se como uma ferramenta importante e em potencial para se avaliar alterações de perfusão renal e avaliação precoce de nefropatias. O objetivo deste trabalho é realizar uma avaliação hemodinâmica e morfológica completa por ultrassonografia Doppler renal e da via de saída do ventrículo esquerdo em pacientes caninos sadios. No estudo foram avaliados 20 cães clinicamente sadios, não sedados, contidos fisicamente e com exames laboratoriais dentro dos valores de normalidade. Todos os animais foram submetidos a um exame ecocardiográfico completo, em seguida, o diâmetro interno da via de saída do ventrículo esquerdo (DVSVE) foi mensurado na janela paraesternal. A área transversa da via de saída do ventrículo esquerdo (VSVE) foi calculada utilizando a fórmula πr 2. A velocidade integral tempo (VTI) da VSVE foi mensurada pelo Doppler pulsado antes da válvula aórtica na janela apical cinco câmaras e subxifóide. O volume sistólico (VS) foi resultado do produto das medidas do VTI da VSVE e área transversa da VSVE. O débito cardíaco foi estimado pelo produto do VS e frequência cardíaca. A aferição dos índices de resistividade (IR) e de pulsatilidade (IP) foi mensurada a partir da análise dopplervelocimétrica das artérias renais de ambos os rins por meio da avaliação quantitativa e indireta da resistência vascular intrarrenal. A perfusão renal em cada vaso foi calculada utilizando-se a fórmula πr 2 x VTI do fluxo espectral x a FC. Observou-se que na comparação das médias não houve diferença estatística significativa, à exceção do índice de pulsatilidade (IP) cujo valor encontrado foi maior para o rim esquerdo quando comparado ao rim direito (P < 0,05). As variáveis que apresentaram coeficiente de correlação estatisticamente significantes em relação ao VTI da aorta foram: Diâmetro (A-RE) (r = 0,64), Raio RE (r = 0,64), VS-RE (r = 0,82), Diâmetro (A-RD) (r = 0,56), Raio RD (r = 0,60) e VS-RD (r = 0,84). Já em relação ao débito cardíaco, nota-se que as variáveis que apresentaram correlação estatisticamente significante foram: DR-RE (r = 0,92) e o DR-RD (r = 0,94). Conclui-se, portanto, que em situações em que haja comprometimento do débito cardíaco, pode-se instalar facilmente disfunção renal devido à hipoperfusão deste órgão, a qual é resultante do baixo influxo de sangue para os vasos arteriais renais.

  • EVERALDO ARAÚJO FERREIRA
  • MODELAGEM DE DADOS DE LEISHMANIOSE VISCERAL NA CIDADE DE TERESINA E GERENCIAMENTO DE PROCESSOS NA TOMADA DE DECISÃO EM GESTÃO PÚBLICA
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 11/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa mensura a complexidade das doenças conhecidas como Leishmanioses e propõe a criação de um Modelo Dinâmico baseado nas Regras de Fuzzy, que descreve o comportamento da doença considerando indicadores estatísticos pesquisados nos últimos 15 anos. A Modelagem deverá subsidiar os processos gerenciais de tomada de decisão na Gestão Pública o que contribuirá para o controle ou minimização de um surdo epidemiológico. A doença pode manifestar-se como leishmaniose visceral (LV; também conhecida como calazar), leishmaniose cutânea e leishmaniose mucocutânea, sendo todas elas causadas por espécies de protozoário intracelular obrigatório do gênero Leishmania. A necessidade de se estudar o comportamento dinâmico de epidemias e endemias em populações no geral é de fundamental importância no que diz respeito à evolução, estabilidade e eventual controle das doenças. Porém, como boa parte dos fenômenos naturais, os fenômenos biológicos possuem uma carga grande de subjetividade que não são usualmente incorporadas nos tradicionais modelos de diagnósticos que os descrevem. Na última década, a literatura que trata de fenômenos incertos tem crescido consideravelmente, principalmente no tocante da teoria de controle automático segundo Zadeh (1965). Nosso principal interesse nesse trabalho está relacionado com o estudo e identificação de fenômenos biológicos ligados ao contágio do calazar que exibem graus de incertezas e que possam ser modelados pelas Bases de Regra Fuzzy. Acreditamos que tal ferramenta pode acrescentar informações ''novas '' no estudo de certas situações reais complexas, como por exemplo, em diagnósticos médicos, em epidemiologia, e em sistemas de interação de espécies, ecologia, onde tem-se apenas informações parciais ou imprecisas. Considerando cenário multifacetado, dentro de um contexto social urbano diverso no papel primordial de coleta, consolidação, avaliação e disseminação de informações para subsidiar a tomada de decisão, exigindo constantes inovações, sobretudo na forma de articular as diversas realidades contidas nas conjunturas das vigilâncias locais, a identificação de áreas críticas para doenças infecciosas e parasitárias no Brasil e o conhecimento sobre a sua relação com indicadores socioeconômicos são de fundamental importância para alinhar as ações de vigilância nos âmbitos local e nacional, fornecendo subsídios para o estabelecimento de medidas assertivas de controle, planejamento e intervenção, bem como para articular ações intersetoriais de mitigação das causas determinantes desses adoecimentos.

  • DANIELLE CLIMACO MARQUES
  • ECOCARDIOGRAFIA NA COMPARAÇÃO DO PERFIL HEMODINÂMICO DA VIA DE SAÍDA DO VENTRÍCULO ESQUERDO NAS JANELAS APICAL E SUBXIFOIDE EM CANINOS HIGIDOS
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 10/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • A mensuração do fluxo da via de saída do ventrículo esquerdo (VSVE) é um dos parâmetros adquiridos em um exame ecocardiográfico de rotina. Por ele é possível adquirir outros parâmetros de importância para a avaliação clínica do paciente como o volume sistólico e o débito cardíaco. No entanto, o estudo da variabilidade dos valores hemodinâmicos da VSVE e as suas variáveis referentes aos métodos de aquisição ecocardiográfica transtorácica ainda não estão bem estabelecidos na medicina veterinária. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo ecocardiográfico para a comparação da integral velocidade-tempo (VTI), volume sistólico (SV) e débito cardíaco (DC), derivados de janelas apical cinco câmaras e subxifóide em caninos hígidos. No estudo foram examinados 10 cães clinicamente sadios, não sedados contidos fisicamente. Após o exame ecocardiográfico completo, o diâmetro interno da via de saída do ventrículo esquerdo (DVSVE) foi mensurado na janela paraesternal no eixo longo ao nível do anel da valva aórtica durante a sístole. A área transversa da VSVE foi calculada utilizando a fórmula πr 2. A VTI da VSVE foi mensurada pelo Doppler pulsado antes da válvula aórtica na janela apical cinco câmaras e subxifóide. O SV foi resultado do produto das medidas do VTI da VSVE e área transversa da VSVE. O débito cardíaco foi estimado pelo produto do SV e frequência cardíaca. VTI, SV e DC foram comparáveis entre os dois grupos e mostrou uma diferença estatística significativa (P <0,05).  O DC médio na apical 5C foi de 2,22±1,29 L/min, enquanto o obtido pelo subxifóide foi de 2,60±1,49 L/min. O SV médio encontrado na apical 5C foi de 19,56±12,27 mL, enquanto o obtido no subxifóide foi de 22,82±14,21 mL. O VTI médio encontrado na apical 5C foi de 13,97±2,78 cm, enquanto na subxifóide foi de 16,34±3,30 cm. O reconhecimento dessas variabilidades e diferenças metodológicas de aquisições de dados são necessários para o entendimento, classificação e auxílio de terapêutica mais eficazes no âmbito clínico.

  • DANIELLE CLIMACO MARQUES
  • ECOCARDIOGRAFIA NA COMPARAÇÃO DO PERFIL HEMODINÂMICO DA VIA DE SAÍDA DO VENTRÍCULO ESQUERDO NAS JANELAS APICAL E SUBXIFOIDE EM CANINOS HIGIDOS
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 10/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • A mensuração do fluxo da via de saída do ventrículo esquerdo (VSVE) é um dos parâmetros adquiridos em um exame ecocardiográfico de rotina. Por ele é possível adquirir outros parâmetros de importância para a avaliação clínica do paciente como o volume sistólico e o débito cardíaco. No entanto, o estudo da variabilidade dos valores hemodinâmicos da VSVE e as suas variáveis referentes aos métodos de aquisição ecocardiográfica transtorácica ainda não estão bem estabelecidos na medicina veterinária. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo ecocardiográfico para a comparação da integral velocidade-tempo (VTI), volume sistólico (SV) e débito cardíaco (DC), derivados de janelas apical cinco câmaras e subxifóide em caninos hígidos. No estudo foram examinados 10 cães clinicamente sadios, não sedados contidos fisicamente. Após o exame ecocardiográfico completo, o diâmetro interno da via de saída do ventrículo esquerdo (DVSVE) foi mensurado na janela paraesternal no eixo longo ao nível do anel da valva aórtica durante a sístole. A área transversa da VSVE foi calculada utilizando a fórmula πr 2. A VTI da VSVE foi mensurada pelo Doppler pulsado antes da válvula aórtica na janela apical cinco câmaras e subxifóide. O SV foi resultado do produto das medidas do VTI da VSVE e área transversa da VSVE. O débito cardíaco foi estimado pelo produto do SV e frequência cardíaca. VTI, SV e DC foram comparáveis entre os dois grupos e mostrou uma diferença estatística significativa (P <0,05).  O DC médio na apical 5C foi de 2,22±1,29 L/min, enquanto o obtido pelo subxifóide foi de 2,60±1,49 L/min. O SV médio encontrado na apical 5C foi de 19,56±12,27 mL, enquanto o obtido no subxifóide foi de 22,82±14,21 mL. O VTI médio encontrado na apical 5C foi de 13,97±2,78 cm, enquanto na subxifóide foi de 16,34±3,30 cm. O reconhecimento dessas variabilidades e diferenças metodológicas de aquisições de dados são necessários para o entendimento, classificação e auxílio de terapêutica mais eficazes no âmbito clínico.

2021
Descrição
  • WERNER ROCHA ALBUQUERQUE
  • OCORRÊNCIA DE PLASMODIUM SPP. E HAEMOPROTEUS SPP. EM AVES SILVESTRES E DOMÉSTICAS NO ESTADO DO PIAUÍ.
  • Orientador : SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
  • Data: 19/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • As infecções por hemosporídeos aviários especialmente Haemoproteus spp. e Plasmodium spp são consideradas importantes fatores de declínio populacional e extinção de espécies, os estudos 
    destas infecções em aves podem levar ao entendimento de relações entre parasitas, hospedeiros e ambiente. O Brasil apresenta a maior avifauna no mundo e vários estudos foram realizados no país para entender fatores ecológicos e epidemiológicos destas infecções. O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de hemosporídeos em aves no Estado do Piauí. Foram capturadas aves nos seguintes municípios do Estado: Água Branca, Amarante, Lagoa Alegre, Parnaíba, 
    Piripirí e Teresina. As capturas foram realizadas utilizando rede de neblina e pulsar; As aves foram avaliadas morfometricamente e realizou-se coleta de sangue para avaliação hematológica 
    e amostras para realização de análise molecular. Hemosporídeos foram detectados em 6,71% (51/371) na avaliação por microscopia de luz e 24,4% (24/102) na avaliação molecular. A reação em Cadeia da Polimerase foi mais eficiente que a microscopia na detecção de 
    hemosporíodeos pelo teste qui quadrado (P≤0,05). A infecção foi relatada pela primeira vez em cinco hospedeiros Certhiaxis cinnamomeus (Curutié), Agelaioides fringillarius (Asa de Telha Pálido), Furnarius figulos (Casaco de Couro na Lama), Calidris minutilla (Maçariquinho) e  Conirostrum bicolor (Figuinha do Mangue). Os resultados demonstram que as infecções por hemosporídeos ocorrem em aves do Estado do Piauí, o diagnóstico molecular é mais eficiente que o diagnóstico microscópico nestas infecções e novos hospedeiros participam do ciclo destas infecções no estado.
  • IULIANA MARJORY MARTINS RIBEIRO
  • LÍQUIDO DA CASCA DA CASTANHA DO CAJU (ANARCADIUM OCCIDENTALE L.) (LCC) E SEUS PRINCIPAIS CONSTITUINTES: ATIVIDADES ANTI-LEISHMANIA, TOXICOLÓGICA E IMUNOMODULADORA
  • Orientador : IVETE LOPES DE MENDONCA
  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • As leishmanioses são doenças negligenciadas causadas por protozoários do gênero Leishmania, endêmicas em 88 países, constituindo um grande problema de saúde pública devido à sua alta incidência e letalidade. Estima-se que ocorram entre 50.000 a 1 milhão de novos casos leishmaniose em todo o mundo anualmente. Tem como agente etiológico 22 espécies do gênero Leishmania, transmitidas por aproximadamente 70 espécies diferentes de flebotomíneos dos gêneros Lutzomyia e Phlebotomus. Os tratamentos convencionais causam efeitos adversos graves, baixa tolerância, desenvolvimento de cepas resistentes, além de serem onerosos. Nesse contexto, os produtos naturais têm sido investigados na busca por novas alternativas terapêuticas. O líquido da casca da castanha do caju (LCC), um dos principais subprodutos do cajueiro, é uma fonte natural de compostos fenólicos, como ácido anacárdico (AA), cardanol (CN) e cardol (CD), e apresenta atividades antioxidantes, antiinflamatórias, antimicrobianas, antitumorais, larvicidas e inseticidas. Seus derivados também são amplamente explorados isoladamente, principalmente quanto às suas propriedades como antibacterianas, antioxidantes, antifúngicas, antitumorais, entre outras. O objetivo deste estudo foi avaliar as atividades anti-Leishmania, citotóxica e imunomoduladora do LCC, AA, CN e CD. Para tanto, foram realizados protocolos de atividade anti-Leishmania sobre formas promastigotas de L. infantum, L. braziliensis e L. major, citotoxicidade sobre macrófagos murinos, toxicidade aguda do LCC e CN sobre Tenebrio molitor, avaliação de macrófagos infectados com L. infantum e índice de sobrevivência. Ainda foram realizados ensaios de imunomodulação como atividade lisossomal, capacidade fagocítica e avaliação da indução na produção de óxido nítrico em macrófagos, além de docagem molecular, envolvendo-se quatro tipos de CN e as proteínas de Leishmania 2JK6 e 4A30. As substâncias testadas demonstraram potencial anti-Leishmania, e os valores de concentração inibitória média (CI50) do LCC, AA, CN e CD contra L. infantum foram: 148,12; 106,45; 56,74 e 154,32 µg/mL, contra L. braziliensis foram: 85,71; 50,83; 64,28 e 137,05 µg/mL, e contra L. major foram: 153,56; >800; 122,31 e 112,50 µg/mL, respectivamente. Na ação sobre os macrófagos, as concentrações médias de citotoxicidade (CC50) do LCC, AA, CN e CD foram 37,51;12,59; 31,44 e 40,53 μg/mL, respectivamente. Quanto à toxicidade aguda, foi avaliada a ação do LCC e CN contra T. molitor, apresentando dose letal média (DL50) no valor de 113,68 e 108,01 mg/Kg, respectivamente. Na avaliação do LCC e CN frente às formas amastigotas intracelulares, houve uma redução significativa no percentual de macrófagos infectados e no índice de sobrevivência das formas amastigotas internalizadas, com índice de seletividade (IS) significativo para ambas as substâncias. Os resultados de docagem molecular demonstraram que o possível mecanismo de ação anti-Leishmania do CN parece estar relacionada à interação do CNC15H25 com a enzima NMT 4A30, no segundo sítio ativo. LCC, AA, CN e CD apresentaram atividade imunomoduladora, atuando sobre parâmetros de ativação de macrófagos, demonstrado pelo aumento de sua capacidade fagocítica e de seu volume lisossomal, contudo não exibiram indução significativa da síntese de NO. Os resultados deste estudo são promissores e servem como pontos de partida para a realização de pesquisas posteriores que visem a avaliação do potencial leishmanicida in vivo.

  • FABIANE LEITE DA SILVA
  • ESTUDO DO CICLO PILOSO DE CUTIAS (Dasyprocta prymnolopha), CRIADAS EM CATIVEIRO, DURANTE A ESTAÇÃO SECA E CHUVOSA, NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI
  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 10/09/2021
  • Mostrar Resumo
  • Os pelos são estruturas anexas da pele da maioria dos mamíferos e se desenvolvem a partir de minis órgãos epiteliais, os folículos pilosos. A duração de cada fase do ciclo de crescimento piloso pode ser influenciada por vários fatores como genética, idade, sexo, região corporal, influência hormonal, estado de saúde e fatores climáticos. A dinâmica de desenvolvimento dos pelos é um assunto bem complexo ainda não totalmente elucidado nem caracterizado em todas as espécies animais. Não foram encontrados dados na literatura sobre o volume folicular e ciclo piloso do roedor silvestre cutia (Dasyprocta primnolopha), portanto objetivou-se com este estudo avaliar o ciclo piloso durante o período de um ano nas estações seca e chuvosa e comparar volume folicular dérmico das regiões dorsal, ventral e lateral do joelho de cutias machos e fêmeas, criadas em cativeiro no município de Teresina-PI. As práticas deste experimento foram aprovadas pelo CEUA (589/19) e SISBIO (70275-2). Foram utilizadas 6 cutias (3 machos e 3 fêmeas), as amostras de pelos para o tricograma foram coletadas a cada 30 dias, no início de outubro de 2019 a setembro de 2020. Os pelos foram obtidos do dorso, ventre e lateral do joelho alternando-se o lado a cada mês. Foram extraídos no sentido de crescimento com auxílio de uma pinça hemostática coberta com borracha na região denteada, posteriormente 100 pelos de cada região foram colados um a um em lâmina de microscopia para identificação das fases do ciclo piloso por meio da análise morfológica dos bulbos pilosos em microscopia óptica. As biópsias cutâneas foram coletadas (região dorsal, ventral e lateral do joelho) e processadas com um ano de antecedência para minimizar o estresse nos animais (CEUA: 407/17; SISBIO: 60484-1) e foram utilizadas para a determinação do volume folicular dérmico. Para tanto foram obtidas fotomicrografias de lâminas preparadas a partir de cortes histológicos verticais e seriados da pele de cutias das regiões de interesse que foram avaliadas por método de estereologia utilizando o software Image J que possui plugins em sua plataforma JAVA que auxiliaram na aplicação do sistema teste (ou malha) de pontos nas imagens digitais. O número de interações entre malha e folículos pilosos foi gravada e contada. A temperatura ambiental da cidade de Teresina- PI foi obtida do boletim metereológico da EMBRAPA. Realizou-se análise variância (ANOVA), seguido do teste de Tukey a 5% de probabilidade. Sob condições de cativeiro, em faixa climática tropical e região semiárida, cutias (Dasyprocta primnolopha) saudáveis, machos e fêmeas, apresentam maior percentual de pelos em fase telogênica, durante todo o ano, independente do período seco ou chuvoso. Machos e fêmeas não exibiram diferenças entre densidade pilosa, duração da fase do ciclo do pelo e volume folicular dérmico.

  • CHARLYS RHANDS COELHO DE MOURA
  • PARÂMETROS DE ARRITMOGÊNESE E DEFORMAÇÃO MIOCÁRDICA EM CUTIAS (Dasyprocta prymnolopha) CRIADAS EM CATIVEIRO
  • Orientador : NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
  • Data: 25/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • As cardiopatias afetam humanos e animais, necessitando de investigação para entendimento das alterações hemodinâmicas e teciduais. Visto isso, o estudo de novos modelos animais é importante para a padronização de parâmetros fisiológicos cardíacos, com a cutia representando um bom modelo. O objetivo do estudo foi avaliar os valores de normalidade de eletrocardiografia de alta resolução (ECGAr), vetorcardiografia (VCG), strain ventricular e atrial, strain rate ventricular por Speckle Tracking (2D-STE) e pressão arterial (PA) em cutias contidas fisicamente e sedadas com quetamina-xilazina e butorfanol. Foram utilizadas oito cutias hígidas criadas no Núcleo de Estudos, Produção e Preservação de Animais Silvestres NEPPAS/UFPI, as quais foram examinadas quanto à pressão arterial, exames eletrocardiográficos de alta resolução, eletrovetocardiografia e ecocardiografia, com analise de deformação por speckle tracking, especificando os índices de pressão arterial sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM), em 2D-STE as variáveis ventriculares strain radial (StRad), strain longitudinal (StLong), strain circunferencial endocárdico e epicárdico (StenCirc e StepCirc) strain rate radial (StrRad), strain rate longitudinal endocárdico (StrenLong), strain rate circunferencial endocárdico e epicárdico (StRenCirc e StRepCirc), picos de strain atrial longitudinal (PALS), contração atrial(PACS) e o índice de deformação de contração (CSI), bem como a avaliação em ECGAr do QRS filtrado (dQRS), a duração dos sinais de alta frequência e baixa amplitude na porção final do complexo QRS filtrado  (LAS < de 40 µV) e o RMS, raiz quadrada da voltagem média dos últimos 40 milissegundos do QRS filtrado contidas fisicamente e sedadas em dois protocolos, quetamina-xilazina e butorfanol. No VCG foram analisados os ângulos de P, QRS e QRS-T nos planos horizontal (PH), Sagital (PS) e frontal (PF), sua distribuição e inscrição espacial. Nos animais contidos fisicamente observou-se ECGAr, dQRS total de 93.25 ± 9.51 ms, LAS < 40µ de 28.50 ± 4.65ms e RMS de 95.50 ± 29.75, com uma diminuição do dQRS nos animais tratados com quetamina-xilazina e diminuição nos animais tratados com butorfanol, foi demonstrado abrangência de vetor médio entre 0 e 180 graus com direcionamento de vetor de despolarização médio para baixo e esquerda e para trás, usando junção de PF, PH e OS. Observou-se mudança no sQRS com elevação do índice nos animais tratados com quetamina-xilazina. Dados fisiológicos de 2D-STE obtidos foram, StenCirc de -21,78 ± 3,61%, StepCirc de -9,26 ± 1,79% StRenCirc -2,81 ± 0,55s-1, StRepCirc de -1,08 ± 0,12s-1 StenLong.  -18,85 ± 1,65% StRenLong -1,72 ±0,20s-1 StRad 28,50 ± 10,20% e StRrad 2,64 ± 0,54s-1, onde em ambos os protocolos de sedação reduziram significativamente a deformação longitudinal de fibras miocárdicas ventriculares. Em relação ao strain atrial com valores PALS, PACS e CSI, de 25,18 ± 5,32%, 12,65 ± 4,87% e 49,12 ± 13,00% com diminuição de valores de PACS no grupo tratado com quetamina-xilazina e pressão arterial com variáveis PAS, PAD, e PAM de 147,50 ± 8.45, 95,62 ± 6.78 e 112,88 ± 6.33 mmHg, respectivamente. A cutia apresenta-se como um modelo cardiológico relevante por apresentar morfofisiologia favorável à obtenção das variáveis, conferindo atributo fidedigno para estudos da deformação, remodelamento e arritmogênicidade cardíaca.

  • INDIRA RÉGIA E SILVA
  • AVALIAÇÃO HEMODINÂMICA DE VASOS MATERNOFETAIS POR MEIO DE ANÁLISE ULTRASSONOGRÁFICA DOPPLERVELOCIMÉTRICA EM FETOS CANINOS SOB ESTRESSE, DURANTE O TERÇO FINAL DE GESTAÇÃO
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 24/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A ultrassonografia gestacional pré-natal em cadelas é uma ferramenta diagnóstica para análise da viabilidade fetal. Por meio das técnicas de Doppler é possível a realização de uma avaliação obstétrica mais precisa, visto a capacidade de uma análise hemodinâmica e funcional em diversos vasos fetais. Os resultados desta Dissertação foram organizados em um capítulo, intitulado: “Estruturas Maternofetais no Terço Final de Gestação em Cadelas com Fetos Sob Estresse”, redigido conforme as normas do periódico “Acta Scientia Veterinariaes”. Objetivou-se neste, avaliar o comportamento hemodinâmico, por meio de ultrassonografia Doppler, do cordão umbilical (CU), artéria cerebral média (ACM) e artéria carótida comum (ACC), para caracterizar a resisteência vascular destes vasos maternofetais durante o terço final da gestação de cadelas com fetos em estresse fetal, bem como correlaciona-los entre si e com o sofrimento fetal. Foram examinadas 30 cadelas saudáveis, sendo os vasos avaliados em dois tempos: (1º): 50-54 dias e (2º): 55-60 dias de gestação. As variáveis estudadas foram: velocidade de pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF) e os índices de resistividade (IR) e de pulsatilidade (IP), bem como a relação sístole/diástole (S/D). A análise do IR e IP do CU demonstrou diferença estatística significativa entre os valores médios encontrados para os dois tempos, aumentando do primeiro para o segundo. Para as ACM e ACC, o IP, o IR e a relação S/D, demonstraram diferença estatística significativa entre os valores médios encontrados para os tempos estudados, no entanto, diminuindo do tempo 1 para o 2. A avaliação ultrassonográfica temporal por análise dopplervelocimétrica dos fluxos do CU, da ACM e da ACC permitiu a determinação de suas características e comportamento durante o tempo estudado, bem como a correlação entre os mesmos. Apesar de não ter sido acompanhado o desfecho da gestação, conclui-se que a utilização desta ferramenta mostrou-se segura para gestantes e fetos, bem como de obtenção relativamente fácil e rápida, podendo os resultados deste trabalho serem utilizados como base para pesquisas futuras. Ainda, por meio deste, é possível uma avaliação mais precisa de índices que indiquem sofrimento fetal, de uma forma mais precisa.

  • ANDRESSA KELLY BARBOSA RUFINO
  • AVALIAÇÃO DOS VALORES HEMODINÂMICOS PRESUMIDAMENTE NORMAIS DA ARTÉRIA UMBILICAL, ARTÉRIA UTEROPLACENTÁRIA, ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA E ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA FETAL NO TERÇO FINAL GESTACIONAL EM CADELAS
  • Orientador : FLAVIO RIBEIRO ALVES
  • Data: 23/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • A ultrassonografia bidimensional com doppler possibilita avaliar os índices vasculares do fluxo sanguíneo e morfologia na avaliação gestacional, e caracterizar a hemodinâmica vascular, determinando valores, como o índice de resistência (IR), índice de pulsatilidade (IP), e a velocidade de pulso sistólica (VPS) e a velocidade diastólica final (VDF). O estudo visa presumir valores hemodinamicamente normais no terço final gestacional de cadelas da artéria umbilical (cordão umbilical- CU), artéria uteroplacentária, artéria média cerebral (ACM) e artéria carótida dos fetos, correlacionando entre si os índices, para que possa avaliar a circulação feto-placentária, e predizer indiretamente como está a circulação cerebral fetal, e a viabilidade fetal e data provável do parto. No estudo foram avaliadas 30 cadelas, advindas da rotina do Hospital Veterinário Universitário (HVU-UFPI), onde se encontravam no terço final da gestação, entre 40 e 60 dias de idade gestacional, clinicamente saudáveis e sem alterações nos exames complementares sanguíneos. As cadelas foram avaliadas em duas fases do terço final gestacional, entre 40-50 dias, e 51-60 dias de idade gestacional. Em casa fase foi obtido através da ultrassonografia bidimensional com doppler as ondas VPS e VDF, e os índices de pulsatilidade e resistência, da artéria umbilical, artéria uteroplacentária, artéria cerebral média e a artéria carótida comum dos fetos. Em média, pelos menos 3 fetos em cada cadela foram avaliados e realizado as mensurações. Todos os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e ao Teste de tukey, utilizando o P valor de 5%. Foi observado diferença significativa entre os valores de velocidades e os índices entre as duas fases do terço final gestacional em todos os vasos sanguíneos estudados. Observou-se aumento dos valores de VPS e VDF e uma diminuição dos índices na segunda fase do terço final gestacional, podendo indicar maior associação da perfusão sanguínea materno-fetal, devido ao aumento da demanda para o desenvolvimento do feto.  O IR da artéria umbilical menor que 0,71 indica fase pré-parto, corroborando com o estudo, onde os valores de IR da artéria umbilical entre 51-60 dias de gestação assumiram valores de 0,68 ±0,07. As relações entre os IP entre ACM/CU e entre artéria carótida comum/CU também diminuíram entre as duas fases de avaliação, normalmente observado essa diminuição no final da gestação, possibilitando maior fluxo cerebral, mas sempre mantendo a frequência cardíaca fetal acima de 200bpm, indicando viabilidade fetal positiva.



Dissertações/Teses Antigas
2018
Descrição
  • VALDENIA MARIA DE SOUSA
  • AVALIAÇÃO DO GRAU DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PÉ DIABÉTICO E DO CONHECIMENTO DE PACIENTES SOBRE AS PRINCIPAIS MEDIDAS PREVENTIVAS
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Ano: 2018
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO: Entre as complicações crônicas do diabetes mellitus, uma das mais graves constitui-se no pé diabético, o qual surge inicialmente após úlcera plantar em resposta à associação da neuropatia diabética juntamente com a doença arterial periférica e os fatores extrínsecos. É importante portanto, que o enfermeiro e os demais profissionais de saúde que trabalham na ESF conheçam o grau de risco a que os pacientes estão sujeitos para o desenvolvimento de lesões ulcerativas nos pés, assim como o conhecimento que os mesmos possuem acerca dos cuidados essenciais com os pés. Objetivou-se avaliar o grau de risco e conhecimento dos pacientes com diabetes mellitus acerca das medidas preventivas para o desenvolvimento do pé diabético. Trata-se de um estudo analítico, quantitativo, realizado com 171 pacientes com diabetes mellitus, assistidos pela Estratégia Saúde da Família da zona urbana do município de Picos-PI. A coleta de dados ocorreu nas Unidades Básicas de Saúde e em domicilio no período de fevereiro a maio de 2018, por meio de 03 formulários, já elaborados e disponíveis para utilização, que englobam: dados demográficos, diagnóstico social e epidemiológico, exame clínico dos pés e conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés. Os dados foram coletados através de entrevista onde aplicou-se os formulários, seguida do exame físico dos pés. Foram calculadas estatísticas descritivas para variáveis quantitativas; e frequências para variáveis qualitativas. Para inferência analítica foram aplicados testes qui-quadrado bicaudal de Pearson para teste de associação e teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, a fim de testar os diferentes grupos de risco com relação à pontuação sobre conhecimentos essenciais dos cuidados com os pés. No que se refere ao a avaliação do conhecimento, utilizou-se a escala de Zernick e Henderson (1998) adaptada, onde procedeu-se a uma distribuição dos valores por questão e posterior soma com enquadramento em uma das 3 categorias estipuladas referentes ao nível de conhecimento. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, parecer nº 2.389.111. Dos pacientes avaliados observou-se o predomínio do sexo feminino (62,6%), destacaram-se as faixas etárias: 50 a 59 anos (28,7%) e 60 a 69 anos (29,8%), com uma média de 62,2 anos. O diabetes tipo 2 foi citado por 162 (94,7%) participantes. Com relação ao grau de risco observou-se que a maioria 85 (49,7%) apresentam grau de risco igual a um para o desenvolvimento do pé diabético, ou seja baixo risco. No que concerne os cuidados essenciais com os pés por grau de risco, ratifica-se que a distribuição da pontuação nos riscos 0 e 1 são superiores à pontuação dos pacientes em que se enquadram no grupo de risco 2. Já a pontuação entre os grupos 0 e 1 são estatisticamente iguais. Em relação ao nível de conhecimento, 143 (78,4%) possuem bom conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés. Os achados deste estudo revelam que os pacientes apresentam risco para o desenvolvimento do pé diabético, no entanto, possuem bom conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés, o que pode ser visto como um fator facilitador na inserção deste individuo no autocuidado. Este conhecimento pode ser ampliado ainda através da adoção de estratégias por parte dos profissionais, em especial o enfermeiro, que motivem tais pacientes a estarem cada dia mais inseridos no seu processo de cuidar, assim como a necessidade de se trabalhar de forma mais ativa os cuidados essenciais com os pés durante a consulta de enfermagem em todos os níveis de atenção.
2014
Descrição
  • HEILA DIAS DE SOUSA PINHO AGUIAR
  • ESTADO NUTRICIONAL RELATIVO AO ZINCO E ESTRESSE OXIDATIVO EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS
  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Ano: 2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudantes universitários tendem a adotar condutas de saúde pouco saudáveis, em especial refeições nutricionalmente desequilibradas. A alimentação inadequada parece contribuir com o aumento do estresse oxidativo e risco para surgimento de doenças crônicas não transmissíveis. Nesse contexto, o zinco (Zn) tem papel importante por integrar o sistema antioxidante. Este estudo avaliou a relação entre, estado nutricional relativo ao zinco e estresse oxidativo em estudantes universitários. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, com 242 universitários, de ambos os sexos, idade entre 20 e 30 anos. Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea (IMC) e da circunferência da cintura (CC). A análise da ingestão de calorias, macronutrientes e Zn foi realizada utilizando o método do registro alimentar de três dias. O padrão de ingestão de referência para os macronutrientes foi a faixa de distribuição aceitável de macronutrientes. Para a estimativa da prevalência da ingestão inadequada de Zn foi utilizado a Estimated Average Requeriment (EAR) como valor de referência. As concentrações plasmáticas e eritrocitárias do mineral foram determinadas por espectrofotometria de absorção atômica de chama. A atividade da enzima superóxido dismutase (SOD) foi determinada segundo a metodologia do fabricante Randox, e as concentrações do malondialdeído (MDA), por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC/PDA). Os dados foram analisados no programa SPSS for Windows 18.0, adotando-se o nível de significância de 5% na decisão dos testes. RESULTADOS: Os valores de ingestão de macronutrientes encontravam-se dentro das faixas de recomendação. Observou-se que a média da concentração de Zn estava acima da EAR em ambos os sexos. Por outro lado, o percentual de inadequação desse mineral foi de 27,09% para os estudantes do sexo masculino e de 16,85% para o feminino. Os estudantes apresentaram concentrações médias de Zn no eritrócito inferiores aos pontos de corte. As concentrações plasmáticas de Zn estavam adequadas para o sexo masculino em relação ao feminino (p<0,05). A atividade da enzima SOD encontrava-se dentro dos valores de normalidade, enquanto que a média do MDA foi inferior aos valores de referencia, sendo que ambos os resultados não diferiram entre os gêneros (p>0,05). Houve correlação negativa entre o Zn plasmático e a SOD (p<0,05) e positiva entre o Zn eritrocitário e a atividade dessa enzima (p<0,05). Não houve correlação entre os parâmetros do Zn e o MDA (p>0,05). CONCLUSÃO: Os estudantes apresentam comprometimento nutricional e das concentrações de Zn eritrocitário. A correlação positiva entre a atividade da SOD e as concentrações eritrocitárias de Zn reforça a participação desse mineral no sistema de defesa antioxidante, atuando indiretamente como protetor da peroxidação lipídica nas membranas celulares.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 11/08/2022 08:47