Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RICARDO BARBOSA DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RICARDO BARBOSA DE SOUSA
DATA: 14/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/zsy-frct-gus
TÍTULO: CELULOSE BACTERIANA COMO PLATAFORMA VERSÁTIL PARA FABRICAÇÃO DE FOSFATOS DE CÁLCIO DOPADOS PARA APLICAÇÕES BIOMÉDICAS
PALAVRAS-CHAVES: Polissacarídeos; Íons Lantanídeos; Biocerâmicas; Nanocompósitos.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Físico Química Inorgânica
RESUMO:

Celulose bacteriana, também conhecida como celulose microbiana ou biocelulose (BC) é um exopolissacarídeo oriundo de rotas biossintéticas de diversas espécies de bactérias, sobretudo as pertencentes ao gênero Komagataeibacter. Haja vista suas excelentes propriedades mecânicas, provenientes de sua estrutura 3D ultrafina, elevada resistência mecânica e alta cristalinidade, este biopolímero tem sido empregados na fabricação de compósitos e como plataformas versáteis para o crescimento de diversos biomateriais como os fosfatos de cálcio, com finalidades biomédicas, sobretudo relacionadas à regeneração tecidual óssea. Os fosfatos de cálcio, que compõem de forma predominante a fração mineral de ossos e dentes (tecidos duros), possuem sítios disponíveis para a substituição de íons Ca2+  por íons cério, os quais, segundo pesquisadores, uma vez adicionados em pequenas quantidades em materiais implantados podem estimular a atividade metabólica com potencialização das atividades antioxidante e antibacteriana. Membranas de celulose bacteriana (BC) biossintetizadas por bactérias da espécie Komagataeibacter rhaeticus AF1 foram empregadas neste trabalho como uma plataforma para precipitação de fosfatos de cálcio dopados com cério (Ce:CaP), os quais foram sintetizados por imersões sucessivas das membranas em soluções precursoras contendo íons Ca2+, PO43- e Ce3+. Após obtidos os compósitos, designados como BC-Ce:CaP, estes foram submetidos a uma etapa de calcinação a 600 °C durante 3 h. BC-Ce:CaP e Ce:CaP foram caracterizados pelas técnicas de microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de energia dispersiva de raios-X (EDX), análises termogravimétricas (TG/DTG) e difração de raios-X.  Ce:CaP apresentou as fases hidroxiapatita, clorapatita e buchwaldita (fosfato de cálcio e sódio) e revelou uma estrutura trabecular constituída por nanoestruturas com poros interconectados. Adicionalmente, BC-Ce:CaP e Ce:CaP apresentaram viabilidade celular e são materiais promissores, respectivamente, para aplicações em regeneração óssea guiada e como scaffolds minerais.



MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1357378 - CARLA VERONICA RODARTE DE MOURA
Presidente - 1553988 - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO
Interno - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Interno - 1722880 - JOSY ANTEVELI OSAJIMA FURTINI
Notícia cadastrada em: 03/08/2020 17:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/02/2024 21:47