• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 13:30. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
Notícias

Banca de DEFESA: TAMIRES EIDELWEIN

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAMIRES EIDELWEIN
DATA: 24/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Ambiente Remoto
TÍTULO: A Pachamama e o suma qamaña em Yumani – Isla del Sol (Bolívia): uma experiência etnográfica a partir do Constitucionalismo Andino.
PALAVRAS-CHAVES: Novo Constitucionalismo Latino-americano; Pachamama (Madre Tierra); Suma qamaña (buen vivir).
PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
RESUMO:

Trata-se de uma pesquisa de mestrado que busca compreender os princípios do constitucionalismo andino relacionados a cultura do respeito à Pachamama (Madre Tierra) e ao suma qamaña (buen vivir), a partir de uma experiência etnográfica junto à Comunidade Yumani – Isla del Sol (Bolívia). Nesse sentido, tem como propósito de investigação realizar uma aproximação do tema da cultura e investigar empiricamente as bases culturais do constitucionalismo andino, em especial a Constituição da Bolívia (2009), por meio de uma abordagem antropológica. Para tanto, busco aproximar Antropologia e Direito. De início relato a trajetória desta pesquisa, iniciando pelas minhas primeiras implicações ao realizar uma pesquisa etnográfica, realizo uma breve discussão antropológica sobre a Constituição boliviana e o percurso realizado desde os documentos jurídicos à etnografia. Em seguida, a partir da experiência etnográfica realizada, elaboro as principais reflexões relacionadas aos elementos simbólicos da cultura andina, ou seja, respeito a Pachamama e do suma qamaña ao cotidiano da comunidade Yumani. Discuto ainda a mobilização política dos mitos fundadores andinos no discurso e em documentos produzidos pelo governo de Evo Morales, dentre outros a constituição de 2009 e o Manifiesto de la Isla del Sol. Por fim, busco a compreensão da mobilização jurídica dos elementos simbólicos no Novo Constitucionalismo Latino-americano. Parti do pressuposto que a decolonialidade e descolonialidade afetam o constitucionalismo ideologicamente, ao passo que elaborei os fundamentos teóricos do comunitarismo e a teoria decolonial. Percebi, assim, que respeitar a Mãe Terra e o bem-viver, conforme consta na Constituição boliviana, são valores tradicionais andinos que extrapolam o texto constitucional. São mais do que isso, são valores vivos nas formas de vida comunitárias, as quais pude observar e das quais pude brevemente participar em trabalho de campo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3062968 - CARLOS ROBERTO FILADELFO DE AQUINO
Presidente - 1535017 - JOINA FREITAS BORGES
Externo ao Programa - 2174595 - LILA CRISTINA XAVIER LUZ
Interno - 600.432.083-80 - POTYGUARA ALENCAR DOS SANTOS - UFPI
Notícia cadastrada em: 16/02/2022 12:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 13:20